Category Archives: Entrevista

Padre Bonifacio García Solís, Líder Dominicano da Província de Nossa Senhora do Rosário

PADRE BONIFACIO GARCÍA SOLÍS

Proclamar a Boa Nova a quem não conhece o Evangelho.

Instalar comunidades dominicanas em mais países asiáticos e ter missionários vocacionados para as novas gerações são os principais objectivos da Província de Nossa Senhora do Rosário, da qual Macau faz parte. A’O CLARIM, o líder provincial, padre Bonifacio García Solís, aborda vários aspectos da formação e fala dos desafios da evangelização e das preocupações imediatas da Ordem.

Carlos Lobo, Presidente da Câmara de Comércio de Angola em Macau

Carlos Lobo

«Esperamos que Xi Jinping continue a promover as relações entre a China e Angola».

Presidente da recém-criada Câmara de Comércio de Angola em Macau, Carlos Lobo está optimista quanto ao estreitar das relações comerciais entre a RAEM e o país africano. A’O CLARIM, falou sobre o novo Presidente angolano, a indústria do Jogo e a liderança de Xi Jinping.

Padre Luís Sequeira sobre as Legislativas de 17 de Setembro

Padre Luís Sequeira

«Há sede de poder e de autoridade».

Um candidato ideal para o padre Luís Sequeira é aquele que pensa genuinamente nas pessoas, em vez de querer alcançar posição social, mesmo tocando nos problemas mais graves que afectam a sociedade. A’O CLARIM, o jesuíta critica as plataformas ligadas aos casinos e a falta de seriedade da classe política e dos governantes.

Padre Andrzej Blazkiewicz, Missionário no Caminho Neocatecumenal

Padre Andrzej Blazkiewicz

«Há que recuperar os laços nas relações familiares».

Natural da Polónia, onde conheceu Karol Wojtyla (Papa João Paulo II), o padre Andrzej Blazkiewicz está em Macau para servir a missão do Caminho Neocatecumenal. Responsável pelo aconselhamento familiar, sustenta a’O CLARIM que o sucesso de um casal reside essencialmente na disponibilidade em ouvir o outro. E há também que dar atenção aos filhos, ou seja, às novas gerações.

José Ángel Hernández, pároco da Igreja de Nossa Senhora de Fátima

Padre José Ángel Hernández

«Ajudamos quem professa outras crenças e religiões».

Situada numa das áreas mais pobres de Macau, a paróquia de Nossa Senhora de Fátima é caracterizada pela sua multiculturalidade, com incidência para os chineses, vietnamitas e falantes de língua inglesa. O pároco José Ángel Hernández quer fazer chegar a Palavra do Senhor a todos, razão pela qual tem as portas da igreja abertas a católicos e não-católicos, inclusivamente da comunidade de Fujian. Há também quem venha de Zhuhai. Para breve está agendada uma peregrinação ao Santuário de Fátima, em Portugal.

Realizador Joel Brandão assina documentário sobre as Comunidades de Macau

Joel Brandão

Há um grande distanciamento entre portugueses e chineses.

Joel Brandão, de 23 anos, a realizar uma curta-metragem sobre as comunidades de Macau, constata que os portugueses e os chineses vivem em mundos paralelos. São culturas diferentes que não se tocam, mas promovem a tolerância. O cineasta espera fazer a estreia do seu trabalho no território.

Bruce Aitken, do Branqueamento de Capitais à Escala Mundial para o Catolicismo

Bruce Aitken

«Tive sempre sede pelo espiritual, e não pelo material».

Tem 72 anos e foi responsável por uma rede de branqueamento de capitais com ligações à CIA, a responsáveis governamentais e aos principais barões de droga no mundo. Bruce Aitken, a propósito da autobiografia que lançou em Abril, falou a’O CLARIM sobre a sua vida e a razão por que se converteu ao Catolicismo após cumprir pena de prisão nos Estados Unidos. A residir em Hong Kong, dirige agora um programa de rádio com grande sucesso entre a população prisional do território vizinho.

Airi Oguri fala da Tese sobre Macau que submeteu na Universidade de Estudos Estrangeiros de Quioto

Airi Oguri

Português corre o risco de ser apenas decorativo.

Natural do Japão, Airi Oguri quis perceber por que razão pouco ou nada se ouve falar a língua portuguesa na RAEM. Ao abordar a sua tese de licenciatura sobre Macau, que submeteu na Universidade de Estudos Estrangeiros de Quioto (Japão), no âmbito do curso de estudos luso-brasileiros, salienta que a diminuição da população de portugueses e de macaenses pode levar a que o Português seja apenas uma língua decorativa no futuro.

Paulo Aido, Jornalista da Fundação Ajuda à Igreja Que Sofre

Paulo Aido

Fátima é antídoto para a quebra de fé no Ocidente.

Velho conhecido de Macau, o jornalista Paulo Aido fala a’O CLARIM do seu trabalho na Fundação Ajuda à Igreja que Sofre, dos projectos que a instituição tem espalhados pelo mundo e das preocupações face à China continental. Também na qualidade de escritor aborda a sua produção literária de cariz religioso e a motivação para escrever o primeiro romance histórico relacionado com as últimas possessões portuguesas na Índia. Sobre a visita do Papa Francisco a Portugal, agendada para daqui a duas semanas, refere que o Santuário de Fátima é o antídoto para a quebra de fé no mundo ocidental.

Augusto Nogueira, futuro Presidente da IFNGO, sobre a nova lei da droga em Macau

Augusto Nogueira

Não podemos esperar pelos juízes.

Augusto Nogueira, nomeado presidente da Federação das Organizações Não-Governamentais para a Prevenção de Droga e Abuso de Substâncias (IFNGO), quer dar maior visibilidade à entidade que vai passar a liderar a partir de Novembro, “abrindo-a” a outras ideologias para além da tolerância zero. A’O CLARIM, o presidente da Associação de Reabilitação de Toxicodependentes de Macau deixa reparos à revisão da legislação sobre a droga, defendendo que deve haver maior envolvimento de especialistas da Saúde na aplicação da lei local.

Arthur Brito, Presidente do “Macau Arts Culture and Heritage Institute” da Califórnia

Arthur Britto

«Os jovens não estão integrados».

A propósito do “Simpósio Macaense”, que decorre amanhã na Califórnia por ocasião da 41ª conferência da “Luso-American Education Foundation”, Arthur Britto falou a’O CLARIM sobre o evento e os seus intervenientes. Os problemas dos jovens macaenses e das instituições com sede na América do Norte foram outros dos assuntos abordados pelo presidente do “Macau Arts Culture and Heritage Institute”.

Paul Chan Wai Chi, Ex-Deputado e Director do Observatório de Macau

Entrevista

Governo tem medo dos interesses instalados.

Abordar assuntos pouco debatidos na RAEM foi o objectivo do convite ao cardeal D. Joseph Zen para vir ao território falar sobre as relações sino-vaticanas, assume Paul Chan Wai Chi. Em entrevista a’O CLARIM, o antigo deputado sustenta que o Governo não resolve determinados problemas que afectam a população porque tem medo dos interesses instalados. A candidatura à Assembleia Legislativa pela Associação de Novo Macau e a importância da língua portuguesa foram outros dos temas abordados pelo director do Observatório de Macau.

António Nobre, ex-ajudante de campo do Governador Almeida e Costa

António Nobre

«Não estou surpreendido com o desenvolvimento de Macau».

Três décadas após os acontecimentos, António Nobre desmistifica a governação de Almeida e Costa em Macau. Embora polémico, foi um homem de coragem, não oferecendo de mão beijada o aeroporto aos interesses estrangeiros, afirma o ex-ajudante de campo do então Governador, que também não está surpreendido com o exponencial desenvolvimento da RAEM. A’O CLARIM lembra a amizade com Ho Yin e elogia o general Ramalho Eanes, de quem conta um dos muitos episódios reveladores da sua incontestável honestidade.

Fernando Airosa Branco, ex-membro da banda “The Grey Coats”, integra a comunidade macaense de São Paulo

Fernando Airosa Branco

«Ser macaense é um estado de alma».

Natural de Macau, Fernando Airosa Branco ficou famoso nos anos sessenta ao integrar a banda “The Grey Coats”. Eram outros tempos, o que também se traduz nas transformações que paulatinamente foram atingindo a comunidade a que pertence. «Ser macaense é um estado de alma», sustenta o antigo funcionário do Banco Nacional Ultramarino e da Fundação Macau, agora a residir em São Paulo, no Brasil. A’O CLARIM, diz que a habitação é o principal problema da RAEM, dado que há muita especulação imobiliária.

Carlos Albano descobre Portugal a viajar na Ásia

CARLOS ALBANO

«Macau sempre mexeu com o meu imaginário».

Ávido por literatura de ficção ou histórica, ficou a conhecer Macau sem nunca cá ter estado antes. Carlos Albano deve-o a Henrique de Senna Fernandes, Rodrigo Leal de Carvalho e Luís Gonzaga Gomes. No entanto, ficou decepcionado com a realidade nua e crua quando esteve pela primeira vez no território no passado mês de Dezembro. A’O CLARIM, o algarvio descreveu as suas aventuras no périplo por antigos lugares de presença portuguesa na Tailândia, Malásia e Sri Lanka.