Category Archives: Centrais

Entre o Deísmo, o Racionalismo e a Revitalidade da Igreja Católica

Crise da consciência europeia

Crise da consciência europeia.

Ao longo do século XVII foi-se dando uma mudança profunda em muitos espíritos, nomeadamente por influência de ideias anglo-saxónicas (o deísmo) e de ideias francesas (o racionalismo), as quais vieram a culminar no iluminismo anti-cristão do século XVIII.

A França, principal epicentro deste cataclismo, vertiginosamente adoptou as ideias defendidas por Voltaire, declarando uma guerra filosófica contra qualquer religião positiva, nomeadamente o Cristianismo, metamorfoseando os espíritos intelectuais da época e eivando-os duma forte virulência.

Comemoração de Todos os Fiéis Defuntos (2 de Novembro)

Pensar positivo é um acto de Fé

Pensar positivo é um acto de Fé

Com o decorrer dos dias fui-me apercebendo de que para algumas pessoas o mês de Novembro é muito triste. É óbvio que quando nos recordamos mais dos nossos entes queridos, amigos e conhecidos que já partiram, isso aviva a nossa saudade da sua amorosa presença, o que é um sinal muito humano de sensibilidade e de pura amizade.

Todavia, é bom não esquecer que a Igreja, neste mês, multiplica os sufrágios pelas almas do Purgatório e convida-nos a meditar sobre o sentido da vida à luz do nosso último fim: a vida eterna, para a qual nos dirigimos a passos rápidos.

Passeios por Havana – 6

Uma cidade com Portugal lá dentro

Uma cidade com Portugal lá dentro

Ao passar em frente ao lendário café Dos Hermanos vislumbro um ecrã televisivo e só então me dou conta que o Brasil defronta a Bélgica nos quartos de final do Mundial. E lá estão, sentados em mesas de tampos redondos em frente de uma Cristal fresca, alguns adeptos belgas enfarpelados de vermelho e amarelo. Na parede exterior uma tabuleta recorda os transeuntes que ali conviveram, “entre outros artistas e intelectuais de Cuba e do mundo”, Federico García Lorca, Alejo Carpentier, Enrique Serpa, Marlon Brando, Errol Flynn e Ernest Hemingway. Antecede esta gente a seguinte frase: “Aqui ergueram os seus copos num brinde à amizade e à alegria de viver”. De todos os nomes apenas o de Enrique Serpa – ignorante me confesso – nada me diz. Nada me diz, mas espevita-me a curiosidade, e muito, pois Serpa é apelido genuinamente português. Embora pouco ou nada se ouça falar dele ou da sua obra na ditosa lusa praça, fiquem desde já a saber que Enrique Serpa é considerado um dos mais importantes escritores e jornalistas cubanos da centúria de novecentos.

Passeios por Havana – 5

O português Diogo Colombo

O português Diogo Colombo

Ao prosseguir a passeata ribeirinha deparo com mais uma estátua. Desta feita, a de um multifacetado personagem – aventureiro, corsário, comerciante, capitão de navio, explorador, administrador colonial, cavaleiro da ordem de São Luís –, educado pelos jesuítas, de seu nome Pierre Le Moyne D’Iberville. A ele se deve a fundação da colónia francesa de Luisiana, na Nova França, hoje território norte-americano. Natural de Montreal, D’Iberville é considerado “o primeiro grande soldado nascido no país”, em 1616, e a sua vida é objecto de estudo entre os estudantes canadianos de Ciências Políticas. A carreira do citado é ainda fundamental lembrete acerca da importância do trabalho de casa pós-triunfo.

São Miguel Arcanjo e os Anjos Caídos

SÃO MIGUEL ARCANJO E OS ANJOS CAÍDOS

Papa apela ao combate espiritual.

O Papa Francisco alertou que «a barca da Igreja é atingida por ventos contrários e violentos», tendo lançado para este mês de Outubro – especialmente dedicado ao Rosário – um forte apelo à oração, nomeadamente contra Satanás, o inimigo número um da Igreja e de todos os cristãos. O apelo convida os fiéis, de todos os continentes, a rezarem o Santo Rosário todos os dias, pedindo à Virgem Maria e a São Miguel Arcanjo que protejam a Igreja do inimigo, nestes tempos difíceis. O Papa pede para se adicionar ao Terço a oração “Sob Vossa protecção”, à Santíssima Virgem Maria, e uma outra oração a São Miguel Arcanjo (composta pelo Papa Leão XIII). D. Stephen Lee, bispo de Macau, uniu-se ao Papa nesta senda. Para o efeito, fez publicar na edição d’O CLARIM da passada sexta-feira uma Cúria Diocesana respeitante ao tema. E o que sabemos nós sobre São Miguel Arcanjo e outras entidades angélicas?

Subjectivização do Mundo, do Homem e da Natureza

SUBJECTIVIZAÇÃO DO MUNDO, DO HOMEM E DA NATUREZA

Sexo, droga e rock and roll

O século XIX viu germinar no seu seio algumas ideologias políticas que marcaram a modernidade e haviam de desencadear uma profunda crise cultural, aliada ao espoletar do desenvolvimento e endeusamento do progresso da ciência, prometendo um futuro mais feliz, mais digno do homem que se concebia com autonomia, eficácia e liberdade suficiente para não depender dum Ser Criador, mas considerando-se um aperfeiçoamento evolutivo da sua condição de primata especial a caminho do super-homem.

Um facto, lamentável sem dúvida, é que o século XX mergulhou inicialmente numa guerra mundial tremenda, a primeira, aquela que havia de acabar com a paz no mundo.

Jornada Mundial da Juventude 2019

Virgem Peregrina vai estar no Panamá

Virgem Peregrina vai estar no Panamá.

O Santuário de Fátima vai enviar a Imagem Peregrina n.º 1 para a Jornada Mundial da Juventude no Panamá, agendada de 23 a 27 de Janeiro de 2019, onde o Papa Francisco irá estar presente.

O encontro mundial de jovens vai realizar-se na Cidade do Panamá e decorre pela primeira vez na América Central, com o tema “Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc., 1,38), escolhido pelo Santo Padre.

Pio XII – Defensor do Homem

Recordações e Testemunhos

Recordações e Testemunhos.

“Não têm faltado, nos meios mais dados a análises superficiais dos acontecimentos e a leituras mais apressadas da vida das pessoas, juízos de valor a questionar a imparcialidade e a pôr em causa a rectidão das atitudes de Pio XII na sua relação com a acção política na Alemanha, ao tempo de Adolf Hitler, e mais concretamente com a sua perseguição aos judeus. (…)

Não foi caminho fácil, por isso, aquele que Eugénio Pacelli teve de percorrer desde jovem padre como cidadão de uma pátria, a Itália, à procura da sua própria identidade e do seu necessário horizonte de vida no concerto dos povos da Europa e do mundo.

Passeios por Havana – 4

O parente de Espinoza e os luso-canários

O parente de Espinoza e os luso-canários

A avenida Paseo del Prado, divisória da zona histórica, a dita Habana Vieja, é uma área com muitos edifícios já recuperados que desemboca no Capitólio, antiga sede do Governo e actual Academia das Ciências, talvez a parte mais nobre da cidade. Até 1863 conviveu de perto com a antiga muralha (demolida nesse ano), situando-se outrora ali a estação ferroviária de Villanueva. Se seguirmos em sentido contrário, entramos directos na boca do porto de Havana, que mais parece um lago com cinco reentrâncias e ao qual se acede por um canal apropriadamente denominado Canal de Entrada. São escassas e pequenas as embarcações que naquelas calmas águas pairam, simples barcoitas de pesca artesanal. Para lá me dirijo, não sem antes ter anotado no meu caderno de campo o nome Emma Rosa Chuy escrito numa pequena placa afixada na fachada amarela de uma escola de educação especial que mais tarde decifraria.

Passeios por Havana – 3

A sínica costela de Fulgêncio

A sínica costela de Fulgêncio

Prossigo a minha caminhada ao longo de um El Malecon pouco movimentado e o próximo edifício a chamar-me a atenção (a surpreender-me, será mais correcto dizer) é um arranha-céus envidraçado de uma vintena de andares. Em primeiro plano, em jeito de saliência de fino pano, bem arvorado, avisto o celebérrimo estandarte das estrelas e das listras. Eis a embaixada norte-americana! E porque me surpreendo eu? Sim, é verdade. Por pouco esqueço o recente reatamento das relações diplomáticas entre os desavindos propínquos. O cenário serve na perfeição, até porque o enquadro no visor da máquina fotográfica juntando-lhe os automóveis descapotáveis que com regularidade passam na estrada.

Passeios por Havana – 2

O Nacional e a lembrança do Maine

O Nacional e a lembrança do Maine

É tal a voga turística pró-Cuba dos nossos dias que se não reservarmos estada para várias noites na cidade de Havana corremos o risco de termos de procurar novo poiso logo após a primeira dormida. É o que me acontece a mim. Mas, «no hay problema», tranquiliza a mãe do Mykel. Que comesse a omelete descansado que ela encontraria alternativa para os dias seguintes. Um par de telefonemas bastaram. Eis-me levado, quase ao colo, pela mãe, pelo próprio – ao qual se deve o empreendimento familiar – pai e até pela esposa do Mykel. O destino é a casa de uma vizinha, onde pelo mesmo preço (uns meros dez dólares) usufruo dum quarto maior e com janela.

Passeios por Havana – 1

Descapotáveis e alojamento local

Descapotáveis e alojamento local.

Percorro meia El Malecon com o passeio bastante maltratado, ainda por recuperar da devastação provocada pelo Irma, o furacão vedeta do ano transacto, e não me canso de ver passar, uns atrás dos outros, Chryslers, Dodges, Cadillacs, Buicks e Chevrolets de cromados bem polidos e flâmula desfraldada no topo da antena colocada na rectaguarda da viatura, verdadeiras beldades descapotáveis levadas a passear por motoristas trajados a rigor. Apetrechos obrigatórios: camisa floreada e panamá na cabeça. Estas viaturas são e continuarão a ser pelas décadas a devir, talvez, o mais importante “ex-libris” da capital cubana e motivo de atracção turística, pois há quem visite a ilha de Fidel apenas para poder usufruir dos seus espaçosos assentos com estofos de napa. É Havana, porventura, o local do planeta onde deparamos com a maior concentração por metro quadrado de carros vintage norte-americanos.

Desmistificando a “Mensagem Cristã” da Sétima Arte

Mais próximos de Harry Potter do que de Jesus

Mais próximos de Harry Potter do que de Jesus

Um fascínio inquietante é exercido pela série “Il miracolo” (O milagre), e, ao mesmo tempo, atrai e incomoda, nisto semelhante a outra série “religiosa” de grande sucesso, “The Young Pope” (O Jovem Papa). Se procurarmos compreender o que têm em comum, encontramos em ambas a religião apresentada como mais próxima do género “mistery” que do Cristianismo. Por este motivo podem ser definidas pós-cristãs: do Cristianismo permanece a aparência – as devoções, as imagens de plástico e as procissões de aldeia, o clero representado de formas quase caricaturais mesmo se com as características dramáticas de uma crise evidente – mas nada do essencial, ou seja, do ensinamento evangélico.

O Papa reza por elas na Intenção de Oração para o mês de Agosto

Políticas familiares adequadas

Políticas familiares adequadas

«As grandes escolhas económicas e políticas protejam as famílias como um tesouro da humanidade». É um verdadeiro apelo a uma «adequada política familiar» a intenção de oração do Papa Francisco contida na mensagem vídeo para o mês de Agosto, confiada à rede mundial de oração (www.thepopevideo.org).

«Falando das famílias – confidencia o Pontífice – muitas vezes vem à mente a imagem de um tesouro». Mas – reconhece – o «ritmo da vida actual, o stress, a pressão do trabalho e até a pouca atenção por parte das instituições podem pô-las em perigo».

Teólogo Paul Thigpen fala sobre o seu livro “Santos que enfrentaram Satanás”

Paul Thigpen

Rejeitar a veracidade dos factos é cego e irracional

Numa entrevista concedida à Aleteia, o escritor, teólogo e professor Paul Thigpen falou do seu livro “Saints Who Battled Satan”, publicado em Novembro de 2015, que considerou ser uma continuação do (também seu) best-seller “Manual for Spiritual Warfare”. A existência de Satanás e de outros espíritos malévolos está muito presente nas Sagradas Escrituras e é atestado pelo Catecismo da Igreja Católica, assim como por escritos dos Padres da Igreja. A presença destas entidades é também confirmada pelo testemunho de inúmeros santos, sendo este o tema central do livro de Paul Thigpen. Nesta obra conta-nos as histórias de dezassete santos (homens e mulheres de Deus) – escolhidos entre muitos outros – que enfrentaram o Demónio em diversos contextos históricos e geográficos.