Category Archives: Apontamento

Capa 17-11-17

Capa 17-11-17

O Nosso Tempo

Quem pode contar as estrelas?

Quem pode contar as estrelas?

Uns vivem só o presente, acreditando na estrita realidade do coração que pulsa, enquanto pulsa. A morte? É o sono de que não se desperta, a noite sem dia seguinte. Outros apostam na Ciência e acreditam que um dia poderemos contar as estrelas. Todas.

Depois há os falsos profetas. Jesus alertou os seus contemporâneos, e as gerações futuras, para o perigo dos falsos profetas.

O Nosso Tempo

Crónica do juiz distraído

Crónica do juiz distraído

Correu há tempos, nas redes sociais em Portugal, apelando à adesão de subscritores (e foram milhares os que responderam…), uma petição pública para que fosse sujeito a reprovação disciplinar o juiz que, em processo clamoroso de violência doméstica, interposto por mulher agredida pelo marido e pelo amante – em estranho conluio – resolveu perorar, na sentença, sobre o adultério. E criticar a adúltera, em vez de fustigar a agressão e de punir os agressores.

Isto é, o Meritíssimo enganou-se de perspectiva e julgou-se Deus…

Criação e Evolução

A magia da mão

A magia da mão.

A mão parece a extremidade vulgar dos membros superiores, mas o Homem já é um animal erecto e não precisa das mãos para andar, por isso pode agarrar em tudo sem se prender a nada do que ela se apropria. Quer dizer, a mão é o símbolo mais impressionante da inteligência, o Homem deita a mão a tudo e tudo cai sob o domínio do Homem. É pela mão que o Homem é o artífice do mundo. A mão é a obreira do pensamento e a presença prática do seu espírito no mundo.

Ao poder agarrar tudo, a mão do Homem supõe o cérebro e liga-se a ele.

Festa de São Francisco de Assis – 4 de Outubro

FESTA DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS – 4 DE OUTUBRO

Louvado sejas meu Senhor, pelo dom de S. Francisco à Igreja e ao mundo!

Paz e Bem a todos quantos nos lerem!

Estimados leitores, dentro de pouco tempo, vamos celebrar o santo mais parecido com Jesus Cristo e Jesus Cristo crucificado. Nele, em S. Francisco de Assis, foram impressas as 5 chagas, tais como as de Jesus, nas mãos, nos pés e no lado.

O Nosso Tempo

Da “inutilidade” de Deus

Da “inutilidade” de Deus

Foi o encontro o menos preparado e a conversa a mais imprevista, a deste Verão, com pessoa conhecida com quem, pelas voltas que a vida dá, não falava há muitos anos já.

Homem seco, não muito alto, Armando Silva abeira-se dos oitenta anos com dignidade, o porte erguido de uma árvore que, no pedaço de chão que lhe coube, soube espraiar as raízes no melhor húmus. Ou não tratasse ele a terra por tu, ele que durante a infância e a adolescência, com as suas mãos e o seu suor, a desbravou.

Reflexão

Acredita em Deus?

Acredita em Deus?

Esta pergunta simples e inofensiva é feita com muita frequência mas, ao contrário do que se possa pensar, a resposta é sempre muito vaga e complexa, porque na verdade não sabemos qual a ideia que cada pessoa tem na sua mente do que julga ser Deus e no qual acredita ou não.

Podemos comparar esta questão com uma outra: Se perguntarmos se consideram boa a Democracia é provável que a maioria nos responda que sim. Porém, o conceito de Democracia não é o mesmo para um chinês, um alemão ou um americano.

O Nosso Tempo

Os países são as pessoas

Os países são as pessoas

Pensar os países como entidades abstractas pode ser tentador, para quem é observador interessado da vida internacional.

Para utilizar a imagem tradicional do jogo de xadrez, nas relações entre Estados, os Governos fariam as vezes de peões, bispos, torres, cavalos, rainha… e rei. Caricaturando a referida imagem, tais peças não teriam alma. Seriam, figurativamente, como nos jogos à venda em qualquer loja da especialidade, de madeira ou de pedra polida, de marfim ou metal, mas não teriam “alma”, não possuiriam “vida”.

O Nosso Tempo

Fátima, elites e simplicidade

Fátima, elites e simplicidade

O Centenário das Aparições de Nossa Senhora em Fátima tem constituído pretexto a que múltiplos testemunhos sejam prestados sobre aqueles “acontecimentos extraordinários” da Cova da Iria, por parte de personalidades que, por via de regra, não se exprimem, ou só raramente, sobre a dimensão religiosa do nosso tempo. Dimensão que os perturba, mas que preferem ignorar, desmerecendo-a, em vez de a encarar de frente. E aqui há que distinguir a “elite” e… os outros.

A Estação do Ano que todos anseiam

Verão

Verão

Começou o Verão. Por aqui, começou também a época balnear. Montámos a piscina que o tio F e a tia T ofereceram ao afilhadito, arranjámos um belo tapete de relva sintética para cobrir um pouco da calçada e comprámos um rádio baratinho, porque o antigo sofreu uma pequena queda de uma altura suficientemente grande para lhe provocar danos irreparáveis.

Nós, por cá, gostamos muito de música. Alguns já tocam umas coisinhas. Fora isso, com o rádio, preparada a nossa “playlist” preferida, já podemos cantar e dançar até cair. Muitas vezes, cair literalmente!

O Nosso Tempo

À procura da resposta

À procura da resposta

Ainda a imensa tragédia de Pedrógão Grande. E, uns dias antes, o incêndio numa torre residencial, mesmo no coração de Londres.

O simples transitar ou um mero passeio na floresta converteram-se num fim definitivo, o mais horrível.

Uma noite tranquila, entre familiares, ou um princípio de sono reparador, no centro de uma capital sofisticada, de país rico, transformou-se no inferno dantesco dos nossos piores pesadelos.

Bullying

BULLYING

É bom prevenir!

Bullying é um anglicismo utilizado para descrever actos de violência física ou psicológica intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo ou grupo de indivíduos, causando dor, angústia e visando destruir a auto-estima da vítima, que se vê coagida a enfrentar as humilhações diante de todos os colegas.

A existência e a banalização do bullying poderá ser originada pela falta de apoio no ambiente familiar e gerada a partir da deficiente formação da personalidade, pois os valores familiares são os alicerces para se prever se uma determinada criança poderá ser ou não afectada por este tipo de comportamento ou se poderá vir a agir de forma discriminatória.

O Nosso Tempo

Uma cidade, muitos mundos

Uma cidade, muitos mundos

Vejo Sadiq Khan na televisão. E ouço-o falar, emocionado, aos seus concidadãos, num momento de medo e de desorientação, por causa dos ataques terroristas.

Ele, o primeiro “mayor” muçulmano da grande metrópole londrina, abusado, desrespeitado pelos inqualificáveis twitters de Trump, inadmissíveis de todos os pontos de vista.

O Nosso Tempo

Pequena introdução à vida selvagem

Pequena introdução à vida selvagem

Quem gosta de ver documentários sobre a vida selvagem, mormente sobre o comportamento dos animais, condicionados pelo seu instinto de sobrevivência, não deixa de ficar surpreendido com a analogia entre tal comportamento e reacções humanas quase equivalentes, na competição entre indivíduos e, por isso, entre comunidades.

Daí não ser despropositado olhar para a vida internacional (também) sob o óculo do especialista em Zoologia – que atenta mais no modo como os animais interagem e na hierarquia das espécies, do que na visão idílica da paz entre… lobos e cordeiros.

51º Dia Mundial das Comunicações Sociais

51º DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS

Promoção de uma Imprensa construtiva.

Por iniciativa do Papa Paulo VI e na sequência do decreto conciliar sobre os Meios de Comunicação Social “Inter Mirifica”, promulgado em 4 de Dezembro de 1964, e da Carta Apostólica motu próprio “In fructibus multis”, de 2 de Abril do mesmo ano, com a qual foi instituída a Pontifícia Comissão para as Comunicações Sociais, foi estabelecido como Dia Mundial das Comunicações Sociais o Domingo que antecede a Solenidade do Pentecostes. Entre nós, esta efeméride coincide com a Solenidade da Ascensão do Senhor (que noutros países se celebra no dia próprio, a quinta-feira anterior) e 7.º Domingo da Páscoa; que, neste ano de 2017, ocorre a 28 de Maio.