Category Archives: China

Vinho português premiado em Cantão

Vinho português premiado em Cantão

Excelência para um Aragonês.

Esta semana foi atribuída mais uma medalha a um vinho português. Desta feita, mesmo aqui ao lado, em Cantão, no decorrer da décima nona edição do certame Interwine China. Trata-se de um regional alentejano da casta Aragonês, já disponível na China e em Macau, que, como informa Gonçalo Nuno Bello, proprietário da Just Wine, detentora da marca Infinitae, «esteve quinze meses de estágio em barrica de carvalho francês». Para Gonçalo Bello a obtenção do prémio Supreme Gold Award, «a mais importante das medalhas de ouro», é o corolário do reconhecimento da qualidade dos vinhos portugueses nos estrangeiro, troféu duplamente valorizado porque se tratou de uma prova cega.

Os 50 anos da Revolução Cultural

OS 50 ANOS DA REVOLUÇÃO CULTURAL

Hábitos que custam a desaparecer.

Quando se fala em Revolução Cultural de imediato nos referenciam o panfleto incendiário posto a circular na China em Maio de 1966, e, em Agosto do mesmo ano, a intitulada lei das “Decisões acerca da Grande Revolução Cultural Proletária” que conduziria a uma campanha de destruição que marcou para sempre o tino e o destino de milhões de chineses. Poderíamos concluir que tudo isso passou. Mas não, resquícios do período mais sombrio da história da China perduraram ao longo de décadas.

Missionários católicos e ortodoxos em Pequim

MISSIONÁRIOS CATÓLICOS E ORTODOXOS EM PEQUIM

Um exemplo de amizade e confiança

O recente e histórico encontro do Papa Francisco com o Patriarca Kirill constituiu um gigantesco passo para uma maior, e sempre desejável, aproximação entre as duas versões de um Cristianismo dividido há mais de mil anos. Ao longo da história outros passos significativos foram dados, voluntariamente ou pela força das circunstâncias, por pessoas como o padre Caetano Pereira Pires, um dos quatro religiosos católicos destacados em Pequim na primeira metade do século XIX, todos eles de nacionalidade portuguesa. Nessa altura, com a extinção da Companhia de Jesus e a implementação de uma política proibitiva no que se refere à actividade evangelizadora dos missionários europeus na China – decidida ainda durante o reinado do imperador Yongzheng e progressivamente aplicada ao longo dos Governos seguintes – o brilho de outrora da Igreja Católica desvaneceu-se.

Papa na China, Santa Sé nomeia Bispos com o consentimento de Pequim, Taiwan perde reconhecimento

Nova página da História

Nova página da História.

O Papa Francisco poderá visitar a República Popular da China em 2017; a Santa Sé deverá nomear bispos no continente chinês (possivelmente três) – o que acontecerá pela primeira vez desde a ruptura das relações diplomáticas entre os dois Estados; e o Vaticano poderá deixar de reconhecer Taiwan, avançava na última sexta-feira (29 de Janeiro) a edição digital do jornal italiano Corriere della Sera.

O virar de página nas relações entre a China e o Vaticano parece estar cada vez mais próximo, após o Sumo Pontífice ter enviado uma mensagem ao Presidente Xi Jinping, extensível ao povo chinês, por ocasião do Ano Novo Lunar.

Xinjiang: religião como factor de clivagem

XINJIANG: RELIGIÃO COMO FACTOR DE CLIVAGEM

Tensão social numa região geoestratégica.

O Xinjiang é uma região rica em petróleo e gás natural, e é, em pleno deserto de Taklamakan, nas imediações do lago de Lop Nur, que os chineses conduzem todos os seus testes nucleares. É, por isso, considerada uma zona de enorme importância geoestratégica. A animosidade entre chineses e uigures é mais óbvia aqui do que no Tibete entre chineses e tibetanos, pois são ainda mais gritantes as diferenças que separam comunidades “obrigadas” a viver em conjunto. A religião surge como principal factor de clivagem.

China age contra o fundamentalismo islâmico

A radicalização do nacionalismo Uigur

A radicalização do nacionalismo Uigur

O recente assassinato de quatro cidadãos chineses no Mali – um refém e três outros vitimados por uma explosão num hotel – levou a China a decretar oficialmente “guerra ao Estado Islâmico”. Algo de previsível, pois há muito que o Império do Meio enfrenta, dentro de fronteiras, extremistas islâmicos. Tão pouco é novidade que entre os mais dedicados e audazes mercenários do Daesh se encontram indivíduos de etnia uigur, fruto da progressiva radicalização de um nacionalismo já com décadas.

70.º aniversário do bombardeamento de Hiroshima

China acusa Japão de ignorar crimes

China acusa Japão de ignorar crimes

Um jornal oficial chinês acusou ontem o Japão de assinalar o bombardeamento atómico de Hiroshima «de forma calculista» e manter o silêncio sob os crimes de guerra que cometeu na China e na Coreia do Sul.

Assinalar o 70.º aniversário do primeiro bombardeamento nuclear da história «é compreensível», afirmou o Global Times, uma das publicações do Diário do Povo, órgão oficial do Partido Comunista Chinês.

«Mas é preciso dizer que as cerimónias concentram a atenção no facto de o Japão ter sido vítima das bombas atómicas e deixam totalmente de lado as razões» que levaram aos bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki.

Investigado antigo vice-ministro do ambiente

Zhang Lijun

Mais um!

Um antigo vice-ministro chinês do Ambiente está a ser investigado por «grave violação da disciplina e da lei», anunciou ontem a Comissão Central de Disciplina do Partido Comunista Chinês, usando a terminologia habitual para os casos de corrupção.

Trata-se de Zhang Lijun, 63 anos, membro do Comité Central do PCC, que ocupou aquele cargo entre 2008 e 2013.

Filiado no PCC desde 1976, o ex-governante fez quase toda a sua carreira na área da protecção ambiental.

Bolsa de Xangai volta a cair

BOLSA DE XANGAI VOLTA A CAIR

Volatilidade inimiga

A bolsa de Xangai, cuja volatilidade voltou a alarmar esta semana os mercados internacionais, caiu 2,2% ontem, um dia depois de ter fechado em terreno positivo.

O Indice Composite de Xangai fechou nos 3.705, abaixo dos 3.789 pontos registados na sessão anterior, e a bolsa de Shenzhen, de menor dimensão, caiu 3,3%.

Na quarta-feira passada, dois dias depois da histórica queda de 8,48% (a maior em mais de oito anos), a bolsa de Xangai subiu 3,44%, interrompendo três sessões consecutivas em terreno negativo.

Acordo histórico sobre o programa nuclear do Irão

PROGRAMA NUCLEAR DO IRÃO

China sai beneficiada

O delegado de Angola no Fórum Macau, Belarmino Barbosa, disse a’O CLARIM que a implementação do acordo nuclear para o Irão deverá baixar o preço do petróleo à escala global, o que beneficiará particularmente a China.

«O acordo vai trazer implicações a nível mundial porque o Irão era um dos maiores produtores de petróleo, deixando de o ser após as sanções que lhe foram então impostas, o que poderá mudar agora. Assim que passar novamente a exportar petróleo, havendo maior oferta, a tendência será para que se baixe o preço do barril de crude», referiu o também representante comercial de Luanda no Consulado-Geral de Angola em Macau.

Disneylândia abre em Xangai na Primavera

DISNEYLÂNDIA ABRE EM XANGAI

Mickey e Guerra das Estrelas

A primeira Disneylândia do continente chinês deverá abrir na próxima Primavera em Xangai, após quatro anos de construção e um investimento de cinco mil e 500 milhões de dólares, anunciou ontem a Imprensa Oficial chinesa.

Os promotores esperam atrair dez milhões de pessoas logo no primeiro ano, disse um responsável do “resort” de 28 quilómetros quadrados onde o parque está integrado.

Casinos de Macau

Pequim de olho nas transferências ilegais

Pequim de olho nas transferências ilegais

Responsáveis do Ministério da Segurança Publica chinês vão encontrar-se com as autoridades financeiras e bancárias de Macau na próxima semana, para «fortalecer a supervisão» sobre transferências ilegais de dinheiro através dos casinos do território.

Estados Unidos são os maiores devedores

China com os ianques na mão

China com os ianques na mão

A China continua a ser o maior credor dos Estados Unidos, apesar da sua carteira de títulos do Tesouro norte-americano ter atingido o valor mais baixo dos últimos 14 meses, noticiou esta semana a Imprensa oficial chinesa.

Tung Chee-hwa promove Nacionalismo

TUNG CHEE-HWA PROMOVE NACIONALISMO

Artigo 23 de novo

O ex-Chefe do Executivo de Hong Kong, Tung Chee-hwa, defendeu que os habitantes da cidade devem deixar de se comportar «como estrangeiros» em relação à China Continental e devem valorizar as leis de segurança nacional.