Category Archives: Centrais

Passeios por Havana – 3

A sínica costela de Fulgêncio

A sínica costela de Fulgêncio

Prossigo a minha caminhada ao longo de um El Malecon pouco movimentado e o próximo edifício a chamar-me a atenção (a surpreender-me, será mais correcto dizer) é um arranha-céus envidraçado de uma vintena de andares. Em primeiro plano, em jeito de saliência de fino pano, bem arvorado, avisto o celebérrimo estandarte das estrelas e das listras. Eis a embaixada norte-americana! E porque me surpreendo eu? Sim, é verdade. Por pouco esqueço o recente reatamento das relações diplomáticas entre os desavindos propínquos. O cenário serve na perfeição, até porque o enquadro no visor da máquina fotográfica juntando-lhe os automóveis descapotáveis que com regularidade passam na estrada.

Passeios por Havana – 2

O Nacional e a lembrança do Maine

O Nacional e a lembrança do Maine

É tal a voga turística pró-Cuba dos nossos dias que se não reservarmos estada para várias noites na cidade de Havana corremos o risco de termos de procurar novo poiso logo após a primeira dormida. É o que me acontece a mim. Mas, «no hay problema», tranquiliza a mãe do Mykel. Que comesse a omelete descansado que ela encontraria alternativa para os dias seguintes. Um par de telefonemas bastaram. Eis-me levado, quase ao colo, pela mãe, pelo próprio – ao qual se deve o empreendimento familiar – pai e até pela esposa do Mykel. O destino é a casa de uma vizinha, onde pelo mesmo preço (uns meros dez dólares) usufruo dum quarto maior e com janela.

Passeios por Havana – 1

Descapotáveis e alojamento local

Descapotáveis e alojamento local.

Percorro meia El Malecon com o passeio bastante maltratado, ainda por recuperar da devastação provocada pelo Irma, o furacão vedeta do ano transacto, e não me canso de ver passar, uns atrás dos outros, Chryslers, Dodges, Cadillacs, Buicks e Chevrolets de cromados bem polidos e flâmula desfraldada no topo da antena colocada na rectaguarda da viatura, verdadeiras beldades descapotáveis levadas a passear por motoristas trajados a rigor. Apetrechos obrigatórios: camisa floreada e panamá na cabeça. Estas viaturas são e continuarão a ser pelas décadas a devir, talvez, o mais importante “ex-libris” da capital cubana e motivo de atracção turística, pois há quem visite a ilha de Fidel apenas para poder usufruir dos seus espaçosos assentos com estofos de napa. É Havana, porventura, o local do planeta onde deparamos com a maior concentração por metro quadrado de carros vintage norte-americanos.

Desmistificando a “Mensagem Cristã” da Sétima Arte

Mais próximos de Harry Potter do que de Jesus

Mais próximos de Harry Potter do que de Jesus

Um fascínio inquietante é exercido pela série “Il miracolo” (O milagre), e, ao mesmo tempo, atrai e incomoda, nisto semelhante a outra série “religiosa” de grande sucesso, “The Young Pope” (O Jovem Papa). Se procurarmos compreender o que têm em comum, encontramos em ambas a religião apresentada como mais próxima do género “mistery” que do Cristianismo. Por este motivo podem ser definidas pós-cristãs: do Cristianismo permanece a aparência – as devoções, as imagens de plástico e as procissões de aldeia, o clero representado de formas quase caricaturais mesmo se com as características dramáticas de uma crise evidente – mas nada do essencial, ou seja, do ensinamento evangélico.

O Papa reza por elas na Intenção de Oração para o mês de Agosto

Políticas familiares adequadas

Políticas familiares adequadas

«As grandes escolhas económicas e políticas protejam as famílias como um tesouro da humanidade». É um verdadeiro apelo a uma «adequada política familiar» a intenção de oração do Papa Francisco contida na mensagem vídeo para o mês de Agosto, confiada à rede mundial de oração (www.thepopevideo.org).

«Falando das famílias – confidencia o Pontífice – muitas vezes vem à mente a imagem de um tesouro». Mas – reconhece – o «ritmo da vida actual, o stress, a pressão do trabalho e até a pouca atenção por parte das instituições podem pô-las em perigo».

Teólogo Paul Thigpen fala sobre o seu livro “Santos que enfrentaram Satanás”

Paul Thigpen

Rejeitar a veracidade dos factos é cego e irracional

Numa entrevista concedida à Aleteia, o escritor, teólogo e professor Paul Thigpen falou do seu livro “Saints Who Battled Satan”, publicado em Novembro de 2015, que considerou ser uma continuação do (também seu) best-seller “Manual for Spiritual Warfare”. A existência de Satanás e de outros espíritos malévolos está muito presente nas Sagradas Escrituras e é atestado pelo Catecismo da Igreja Católica, assim como por escritos dos Padres da Igreja. A presença destas entidades é também confirmada pelo testemunho de inúmeros santos, sendo este o tema central do livro de Paul Thigpen. Nesta obra conta-nos as histórias de dezassete santos (homens e mulheres de Deus) – escolhidos entre muitos outros – que enfrentaram o Demónio em diversos contextos históricos e geográficos.

Beatificações e Canonizações

A santidade tem truque

A santidade tem truque

Algumas pessoas pensam que a santidade não tem truque, que é inteiro mérito de um super-homem, ou de uma super-mulher. Aparentemente, ser santo implicaria aguentar a dor, como um faquir, controlar o medo como um domador de leões, vencer o cansaço como um atleta da maratona e, talvez, somar a estas proezas a eloquência dos políticos. Tudo isto sem truque.

A Igreja tem uma perspectiva diferente da santidade, a tal ponto que só canoniza alguém quando a intervenção de Deus é manifesta, através de um milagre. A pessoa pode ter realizado com mérito um milhão de proezas, mas isso não chega.

Departamento Postal de Francisco

DEPARTAMENTO POSTAL DE FRANCISCO

«Querido Papa, escrevo-te…», e eles lêem.

Padres, religiosas e também mães. Abrem a correspondência, distribuem-na e respondem às cartas, uma a uma. Porque ele assim quis: «Deve fazer-se assim com todos, não é?».

Os sacos chegam logo de manhãzinha, ao terceiro andar do Palácio Apostólico, um departamento da Secretaria de Estado. Ali há uma porta e uma escada que desce para o andar logo abaixo, que está em posição intermédia. No passado, eram salas onde se podiam fazer boas sonecas estas onde agora se abre o correio dirigido ao Papa.

Pároco do Campo Grande, em Lisboa, dá a resposta

O que é a Doutrina Social da Igreja?

O que é a Doutrina Social da Igreja?

  1. O século XIX foi caracterizado por três grandes correntes que influenciaram profundamente toda a organização social: o racionalismo, que vinha já do século XVIII; o marxismo que, em meados do século XIX pôs em questão toda a referência religiosa; a industrialização, que provocou a transferência de populações rurais para as fábricas.

É neste contexto que nasce a “questão social”, isto é, a procura de uma forma justa de lidar com os trabalhadores e com as empresas, onde estes desenvolvem actividade. Entram em confronto dois aspectos fundamentais: o capital, que detém o poder económico, e o trabalho, que garante a produção, indispensável ao lucro da empresa.

Ciberguerra

O Futuro já

O Futuro já

É muitas vezes qualificada como a arma dos pobres, mas são os Estados mais poderosos que a usam com mais perícia. Os ciberataques vão muito além da simples pirataria dos primórdios da Internet, em que jovens atrevidos penetravam, só pelo desafio, em redes informáticas que lhes estavam vedadas. Hoje, o ciberespaço é um domínio essencial da guerra moderna – e com isso tornou-a permanente, tanto mais que é quase sempre travada nas sombras.

Imagine que a rede eléctrica de um país inteiro vem abaixo e demora horas a ser restabelecida. Ou que as bolsas de valores e os bancos deixam de conseguir fazer as suas transacções de um momento para o outro, sem aviso prévio.

Entre tecnologias novas e tradicionais

Entre tecnologias novas e tradicionais

DISCURSO DE PAOLO RUFFINI, PREFEITO DO DICASTÉRIO PARA A COMUNICAÇÃO DA SANTA SÉ, POR OCASIÃO DA XIX ASSEMBLEIA PLENÁRIA DOS MEMBROS DA ASSOCIAÇÃO DAS CONFERÊNCIAS EPISCOPAIS DA ÁFRICA ORIENTAL (AMECEA)

Mesmo tendo sido nomeado há pouco pelo Santo Padre prefeito do Dicastério para a comunicação da Santa Sé, eu não podia perder esta ocasião da vossa importante assembleia.

Permiti que eu comece expressando, em nome do Dicastério para a comunicação da Santa Sé, como nos sentimos felizes por termos sido convidados para participar na XIX assembleia plenária dos membros da Associação das Conferências Episcopais da África Oriental (Amecea).

António Manuel Maurício Camilo, Comandante da “NRP Sagres”

ANTÓNIO MANUEL MAURÍCIO CAMILO

«O navio será a Casa de Portugal durante os Jogos Olímpicos de Tóquio».

Após o habitual período de treino, o navio-escola Sagres largou de Lisboa a 27 de Abril com destino à costa leste dos Estados Unidos, fazendo escala no porto do Funchal de 1 a 3 de Maio. Entre 24 e 28 do mesmo mês esteve no porto de Filadélfia onde participou no Tallships Festival 2018 na companhia de outros veleiros convidados. De seguida, o “NRP Sagres” levou a cabo um conjunto de actividades integradas no “Mês de Portugal”, escalando os portos de Newark, Nova Iorque, Newport e Boston, onde recebeu, entre outras entidades, o Presidente da República, nos eventos relativos à comemoração do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas e ao Dia de Defesa Nacional.

Religiões e Médicos contra a Eutanásia

Eutanásia torna as sociedades “desesperadas”

Eutanásia torna as sociedades “desesperadas”.

Tem-se debatido de forma intensa e apaixonada a despenalização da eutanásia. Oito comunidades religiosas uniram-se para rejeitar a eutanásia e o mesmo aconteceu com os últimos seis bastonários da Ordem dos Médicos. A Família Cristã dá-lhe conta do que tem acontecido em países em que é legal e dos movimentos na sociedade portuguesa.

«A legalização da eutanásia não é moralmente neutra, porque envia uma mensagem terrível: em certas circunstâncias, o homicídio premeditado é legítimo e até é bom». A afirmação é do filósofo belga Michel Ghins, que esteve recentemente em Portugal para explicar o que tem acontecido neste país, onde desde 2002 a eutanásia é legal.

Pré-Sínodo em Roma

PRÉ-SÍNODO EM ROMA

Jovens querem ser protagonistas na Igreja.

Roma recebeu mais de 300 jovens, provenientes dos cinco continentes, para uma semana de reflexão sobre os seus desejos, anseios, preocupações e dificuldades. O Papa Francisco acolheu-os e pediu-lhes que falassem sem filtro, com coragem. E agora tem um documento para apresentar aos bispos no sínodo que transporta consigo todas essas questões.

Quando se começou a falar da realização de uma assembleia pré-sinodal, ninguém sabia muito bem o que se iria passar.

Filho de Emigrantes faz parte do Exército do Papa

Marco Tavares Marques

Um “português” na Guarda Suíça.

Sabia que também se fala Português na Guarda Suíça, a tropa de elite do Papa? Filho de portugueses emigrados na Suíça, mas com raízes profundas em Portugal, Marco Tavares Marques leva a cultura portuguesa ao Vaticano e explica como é que o espírito português o ajuda na tarefa diária de proteger o Papa.

É o primeiro “português” a fazer parte da Guarda Suíça. A suspeita, lançada à reportagem da Família Cristã por D. José Bettencourt, bispo português recém-nomeado pelo Papa como núncio apostólico para a Geórgia e a Arménia, e confirmada pelo capitão Duruz, da Guarda Suíça, quando nos cruzamos dentro do Vaticano.