Category Archives: Páscoa

Mensagem de Páscoa de D. Stephen Lee

D. Stephen Lee Bun Sang

«A luz de Cristo gloriosamente ressuscitado nos dissipe as trevas do coração e do espírito».

Durante o tempo Quaresmal, experimentámos um momento extraordinário de graça – as «24 Horas para o Senhor» – uma iniciativa promovida pelo Papa Francisco, por meio da qual ele convidou todos os fiéis da Igreja Universal a celebrar o Sacramento da Reconciliação durante a adoração do Santíssimo Sacramento. O Santo Padre inspirou-se nas palavras do Saltério «Mas de Ti vem o perdão» (Sl 130: 4) como tema de fundo deste ano. De sexta-feira, 9 de Março, a sábado, 10 de Março, tivemos a oportunidade de adorar o Santíssimo Sacramento, experimentar esse momento de Reconciliação e ser iluminados pois através do perdão e da reconciliação, a escuridão é dissipada e uma «nova luz» se acende nos nossos corações (in Missal Romano, «lucernário» da Vigília Pascal).

A Páscoa na Visão do Padre Andrzej Blazkiewicz

A PÁSCOA NA VISÃO DO PADRE ANDRZEJ BLAZKIEWICZ

Encarnação do Senhor é “arma” contra o pecado.

O padre Andrzej Blazkiewicz disse a’O CLARIM que o significado da Páscoa, fruto da encarnação do Senhor e da ressurreição de Jesus Cristo, representa uma das armas mais eficazes de luta contra o pecado. Para tal, cada um de nós terá de levar a cabo um caminho de aturado trabalho com vista ao aperfeiçoamento espiritual.

«Posso dizer que hoje, com crescente convicção, participo no mistério da ressurreição. Sabemos que cada Domingo é a Páscoa semanal. O Domingo convida-nos a alimentar a comunhão. E quando há comunhão, exige-se por sua vez a constante conversão.

Tríduo Pascal na Comunidade Portuguesa

Tradição e bons costumes

Tradição e bons costumes.

As celebrações do tríduo pascal, entre hoje e sábado, realizam-se em língua portuguesa na Sé Catedral e na igreja de Santo António. Adoração ao Santíssimo Sacramento, Missa, Via-Sacra, Hora Santa e “correr as igrejas” são actividades agendadas para a comunidade.

A pastoral portuguesa da diocese de Macau continua fiel à tradição da Páscoa no território. De acordo com o padre Daniel Ribeiro, «além da programação da Semana Santa, que tem vindo a ser divulgada para a Sé Catedral», celebra-se hoje a «adoração ao Santíssimo Sacramento, depois da Missa da Última Ceia», terminando por volta das 23 horas.

O Ministério Pascal da Cruz e da Ressurreição em Comunhão com o Sentido Cristão do Sofrimento Humano

Participantes na Redenção de Cristo

Participantes na Redenção de Cristo.

A questão mais difícil de um crente suportar e compreender é certamente a causa do sofrimento humano que, em certos casos, é levado e vivido ao extremo e, em outros, tido como injusto ou incompreensível. Quando temos de carregar uma cruz, olhamos o céu e perguntamo-nos: porquê eu? Como vou suportar? Será que Deus escuta as minhas orações? Como vou conseguir viver e qual a razão do meu sofrimento, da minha vida no plano de Deus? Esse sofrimento torna-se, por vezes, uma forma de aproximação e entrega a Deus, mas, em certos casos, provoca um abandono da fé, pela dor incompreensível, causada pela sensação de abandono e desespero. Os sofrimentos e calamidades no mundo espelham a face do inimigo de Deus, desde a queda de Adão e Eva.

Santa Cruz (Inglês)

Santa Cruz (Inglês)

Santa Cruz (Inglês)

Santa Cruz (Português)

Santa Cruz Pt

Santa Cruz (Português)

A Páscoa em Portugal, Macau, Itália, Angola e Brasil

A PÁSCOA EM PORTUGAL, MACAU, ITÁLIA, ANGOLA E BRASIL

Consumismo e simplismo, sem religiosidade

Luiz Oliveira Dias, Fabrizio Croce e Belarmino Barbosa recordam como era a Páscoa nos países onde viveram e comparam-na com a que se celebra em Macau. Consideram que as pessoas prestam cada vez menos atenção à festividade, porque a tradição tem vindo a ser simplificada e o consumismo é imparável.

Quando era menino, Luiz Oliveira Dias vivia com fervor a época da Páscoa em Leiria (Portugal). Os tempos são agora outros. A tradição já não é o que era, inclusivamente em Macau.

Ressurreição e Vida Nova

RESSURREIÇÃO E VIDA NOVA

A Páscoa está a chegar

A Páscoa está a chegar, o tempo da renovação e da redenção. De júbilo, é o símbolo da Ressurreição e da Vida Nova. É a principal festa da Igreja, a mais antiga entre os cristãos, o epicentro do ano litúrgico, a “festa das festas”, como referira o Papa Leão I (440-461). A Páscoa é a mola vital da espiritualidade cristã. O Cristianismo radica na pessoa de Jesus, como sabemos, no que Ele é em Si e no que Ele é para nós, enquanto motivação para sermos um “outro Cristo”, como já referira um grande sábio beneditino português, D. Geraldo Coelho Dias, OSB (1934- ).

Quinze anos depois do pedido de perdão de João Paulo II

QUINZE ANOS DEPOIS DO PEDIDO DE PERDÃO DE JOÃO PAULO II

Tempo de reconciliação

Quaresma é tempo de purificação. De reconciliação. E de salvação. Foi há precisamente 15 anos que João Paulo II teve um gesto inovador. No Grande Jubileu implorou o perdão para os pecados passados e presentes da Igreja.

«É forçoso reconhecer que a história regista também numerosos episódios que constituem um contra-testemunho para o cristianismo. […] Por causa daquele vínculo que nos une uns aos outros dentro do Corpo místico, todos nós, embora não tendo responsabilidade pessoal por isso e sem nos substituirmos ao juízo de Deus – o único que conhece os corações – carregamos o peso dos erros e culpas de quem nos precedeu», lia-se na Bula de Proclamação do Grande Jubileu do Ano 2000, “Incarnationis mysterium”.

Mensagem do Papa Francisco para a Quaresma de 2015

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA A QUARESMA DE 2015

«Fortalecei os vossos corações» (Tg 5, 8)

“Amados irmãos e irmãs!

Tempo de renovação para a Igreja, para as comunidades e para cada um dos fiéis, a Quaresma é sobretudo um «tempo favorável» de graça (cf. 2 Cor 6, 2). Deus nada nos pede, que antes não no-lo tenha dado: «Nós amamos, porque Ele nos amou primeiro» (1 Jo 4, 19). Ele não nos olha com indiferença; pelo contrário, tem a peito cada um de nós, conhece-nos pelo nome, cuida de nós e vai à nossa procura, quando O deixamos. Interessa-Se por cada um de nós; o seu amor impede-Lhe de ficar indiferente perante aquilo que nos acontece.

A lição final

A LIÇÃO FINAL

Um SMS vindo do Calvário

“Pai – Father – Abba – Daddy”

As primeiras e as últimas palavras de Jesus começam sempre com “Abba (Paizinho)”. “Daddy (Paizinho)” significa, “Confio em ti”, “Amo-te”. Começarei eu as minhas orações com esta sugestiva palavra?