MONSENHOR ANTE JOZIC

Monsenhor Ante Jozic despede-se de Macau e Hong Kong

Da China para a Costa do Marfim

 

O sacerdote croata foi nomeado arcebispo pelo Papa Francisco no início do mês de Fevereiro. Ao fim de uma década à frente dos destinos da Missão da Santa Sé em Hong Kong, vai assumir o cargo de núncio apostólico na Costa do Marfim. Na próxima segunda-feira, o monsenhor Ante Jozic irá estar em Macau para a bênção das novas instalações da Universidade de São José pelo cardeal Fernando Filoni.

Os sinos tocaram a rebate na pequena localidade croata de Trilj no início do mês de Fevereiro, depois de se ter tornado conhecida a notícia de que um dos mais distintos filhos da terra – o monsenhor Ante Jozic – havia sido nomeado arcebispo pelo Papa Francisco e designado pelo Sumo Pontífice para o cargo de núncio apostólico na Costa do Marfim.

O sacerdote, que durante os últimos dez anos liderou a Missão da Santa Sé em Hong Kong, foi elevado a arcebispo pelo Papa, a 2 de Fevereiro, no dia em que a liturgia da Igreja Católica comemora a Solenidade da Apresentação do Senhor e a Festa da Purificação de Nossa Senhora. O diplomata e canonista croata tornou-se, de acordo com o portal croata Misija Slobodna Dalmacija, o primeiro religioso nascido na região de Sijn a ser elevado à dignidade episcopal. Atravessada pelo rio Cetina, a região de Sijn acolhe um dos principais santuários marianos da Croácia. A exemplo do que sucedeu na paróquia de Trilj, a nomeação do monsenhor Ante Jozic para o cargo de núncio apostólico foi também assinalada de forma festiva pelos responsáveis do Santuário, que fizeram soar os sinos repetidamente como sinal de gáudio pela boa-nova.

Nascido a 16 de Janeiro de 1967, em pleno coração da então República Socialista Federativa da Jugoslávia, Ante Jozic realizou os estudos eclesiásticos no Seminário Teológico de Split e foi ordenado sacerdote a 28 de Junho de 1992, tendo sido consignado à arquidiocese de Split-Makarska pelo então arcebispo metropolitano Ante Juric. Depois de ser ordenado, completou a licenciatura em Direito Canónico, com o título “In Utroque jure”, e começou a servir como capelão em Makarska.

Três anos depois, em 1995, rumou a Itália com o propósito de estudar na Academia Pontifícia Eclesiástica de Roma. Depois de ter completado os estudos na capital italiana, em 1999, integrou o Serviço Diplomático da Santa Sé.

O padre Ante Jozic iniciou a carreira diplomática como membro da Nunciatura Apostólica na Índia. Em 2003 foi transferido para Moscovo, onde cumpriu idênticas funções, e em 2009 substituiu o irlandês Eugene Nugent à frente dos destinos da Missão da Santa Sé em Hong Kong.

Poliglota – para além de Croata, fala fluentemente Italiano, Espanhol, Inglês, Francês, Português, Alemão, Russo, Chinês e Polaco – o padre Ante Jozic foi durante os últimos dez anos o representante, de facto, do Papa na República Popular da China e um dos estrategas do acordo histórico firmado em Setembro do ano passado entre Pequim e a Santa Sé.

Numa entrevista concedida em meados de Fevereiro ao Sunday Examiner, o semanário em Inglês da diocese de Hong Kong, o monsenhor Ante Jozic falou das dificuldades com que se deparou na missão de que o Vaticano o incumbiu. «Durante os últimos dez anos trabalhei com quatro colaboradores, de forma profunda e com grande atenção, em vários aspectos relacionados com a China», disse. «A região alberga 149 dioceses, incluindo as duas dioceses de Hong Kong e de Macau. O nosso papel é complexo porque a situação difere de diocese para diocese. Lidamos com aspectos a propósito dos quais não nos pudemos dar ao luxo de cometer erros ou de ofender as pessoas envolvidas», explicou o recém-nomeado núncio apostólico para a Costa do Marfim.

Não obstante a peculiaridade que marcou as relações entre o Vaticano e a República Popular da China ao longo dos últimos dez anos e das dificuldades com que se deparou, o sacerdote faz um balanço positivo dos anos que passou à frente da Missão da Santa Sé na RAEHK. «A diocese de Hong Kong assume o papel de uma ponte para a Igreja na República Popular da China, ao organizar muitas actividades e ao facultar programas de formação para muitos sacerdotes e para muitas irmãs do Continente», referiu. «Fico muito feliz por ter estado aqui todos estes anos e por ter tido a oportunidade de trabalhar em prol de Hong Kong, de Macau e da China Continental. A fé é forte e a Igreja está a crescer nesta parte do mundo», sublinhou.

Também na entrevista que concedeu ao Sunday Examiner, abordou a questão da nomeação de um novo bispo para a diocese de Hong Hong e adiantou que o nome do novo responsável pela cátedra episcopal da vizinha Região Administrativa Especial poderá ser conhecido antes da Páscoa: «O meu Gabinete terminou o trabalho que lhe competia e entregou um relatório à Santa Sé. Terá que ser avaliado pela Congregação para a Evangelização dos Povos e pelo Santo Padre. Espero que possamos ter algumas novidades em relação a este aspecto por altura da Páscoa».

A cadeira episcopal da diocese de Hong Kong encontra-se vaga desde a morte do bispo D. Michael Yeung, a 3 de Janeiro. Neste âmbito, o padre Ante Jozic esclareceu que o processo de substituição de D. Michael Yeung à frente dos destino da diocese de Hong Kong tinha arrancado antes ainda do falecimento do epíscopo. Segundo ele, a escolha do novo titular da diocese de Hong Kong é da exclusiva responsabilidade do Vaticano, sendo que as autoridades civis – quer as da antiga colónia britânica, quer as da República Popular da China – não foram consultadas no âmbito do processo. «As autoridades civis não desempenham qualquer papel na escolha dos bispos em Hong Kong. Como é hábito, informámos as autoridades civis no dia anterior à nomeação, mas não o fazemos com o propósito de obter o beneplácito ou a autorização de ninguém», garantiu.

Durante os dez anos que esteve em Hong Kong, o monsenhor Ante Jozic deixou marca no seio da comunidade católica. Um dos mais antigos coros de Hong Kong – o “Vox Antiqua” – fez questão de homenagear o agora arcebispo com um agradecimento público nas redes sociais. “O monsenhor Ante Jozic é um amante da música. Agradecemos-lhe pelo apoio que nos deu no passado, particularmente por nos ter convidado a actuar na Sé Catedral, no âmbito do 82º aniversário do Papa Francisco. Foi uma honra conhecê-lo e trabalhar com ele”, escreveram os responsáveis pelo grupo no Facebook.

O padre Ante Jozic vai ser consagrado arcebispo a 1 de Maio na sua diocese natal, Split, numa cerimónia presidida pelo Secretário de Estado do Vaticano, o cardeal D. Pietro Parolin.

Marco Carvalho

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *