D. José Alves

Évora (Portugal)

D. José Alves despede-se com forte sentimento de gratidão

O Papa aceitou, na passada terça-feira, a renúncia do arcebispo de Évora, D. José Alves, de 77 anos, após este ter atingido a idade determinada pelo Direito Canónico para a resignação.

Em nota enviada à Agência ECCLESIA, o responsável refere que conclui esta missão com “um forte sentimento de gratidão para com Deus”.

“Agradeço, particularmente, os anos que estive à frente da querida Arquidiocese de Évora, que procurei servir com humildade, com dedicação, com fé e com amor, graças à preciosa colaboração dos presbíteros, diáconos, consagrados e de um sem número de fiéis, adultos e jovens, que generosamente colocaram as suas vidas ao serviço do Evangelho”, escreve.

O Papa escolheu como novo arcebispo de Évora D. Francisco Senra Coelho, de 57 anos, até agora bispo auxiliar de Braga e antigo membro do clero eborense.

D. José Alves fala num “dom maravilhoso”, recordando a “alegria de acompanhar” o seu sucessor durante o tempo de formação e ao longo do seu ministério presbiteral.

O cânone 401 do Código de Direito Canónico determina que qualquer bispo diocesano que tenha completado 75 anos de idade deve apresentar a renúncia do ofício ao Papa, o qual toma uma decisão sobre o caso.

O Papa Francisco pediu a D. José Alves que continuasse à frente da arquidiocese alentejana durante mais dois anos, nomeando agora como seu sucessor D. Francisco Senra Coelho, que ocupava o cargo de bispo auxiliar de Braga.

D. José Alves foi nomeado arcebispo de Évora a 8 de Janeiro de 2008, pelo Papa Bento XVI, e tomou posse da Arquidiocese no dia 17 de Fevereiro desse mesmo ano.

Natural da diocese da Guarda, D. José Francisco Sanches Alves nasceu a 20 de Abril de 1941, na freguesia de Lageosa (Sabugal); estudou Filosofia e Teologia nos seminários da diocese da Guarda.

Em 1966, a 3 de Julho, foi ordenado presbítero na catedral de Évora; na arquidiocese de Évora foi vigário-geral, coordenador diocesano da Pastoral e presidente do Cabido da Catedral.

A 7 de Março de 1998 foi nomeado bispo auxiliar de Lisboa e a sua ordenação episcopal celebrou-se em Évora, a 31 de Maio de 1998.

A 22 de Abril de 2004 foi nomeado por João Paulo II como bispo da diocese de Portalegre-Castelo Branco.

Em 2008, após a sua nomeação como arcebispo de Évora, sucedendo a D. Maurílio de Gouveia, D. José Alves recebeu das mãos do Papa Bento XVI o pálio, insígnia litúrgica própria dos arcebispos metropolitas.

Este sistema administrativo veio da divisão civil do Império Romano, depois da paz de Constantino (313), e em Portugal há três províncias eclesiásticas: Braga, Lisboa e Évora.

In ECCLESIA

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *