Católicos travam demolição de igreja

China

Católicos travam demolição de igreja

Na província de Shanxi, na zona norte da China, uma comunidade cristã impediu a destruição da sua igreja, em Wangcun, fazendo face a uma decisão do Comité Distrital do Partido Comunista Chinês.

De acordo com a Fundação Ajuda a Igreja que Sofre (AIS), “dezenas de cristãos conseguiram travar a demolição” do referido templo, “quando os buldózeres já iniciavam as suas operações”.

“Armados” apenas com “cânticos e orações”, os sacerdotes e fiéis perfilaram-se junto à igreja, “dificultando o trabalho dos operários e da polícia, e obrigando as autoridades a recuar nas suas intenções”.

“Este episódio ilustra bem como a comunidade cristã continua a ser perseguida na China”, aponta a Fundação Ajuda a Igreja que Sofre.

“Neste caso particular, sucede que o próprio Governo local tinha autorizado obras de restauro do templo, construído nas primeiras décadas do século passado”, no entanto semanas depois, mesmo estando em causa um projecto com “um custo elevado” para a paróquia local, que teve de suportar a intervenção, o projecto foi cancelado.

Como razão para o travão nas obras, e para a decisão de demolir a igreja, o Comité Distrital do Partido Comunista Chinês invocou “motivos urbanísticos” e a necessidade de “melhorar a qualidade de vida das pessoas”.

Com a reacção da comunidade católica local, as autoridades suspenderam “para já” os trabalhos de demolição do templo.

A paróquia de Wangcun está integrada no distrito de Changzhi, que contará com “cerca de cinquenta mil católicos, numa população de quase 3,5 milhões de habitantes”, adianta a AIS.

 

Colômbia

O Papa Francisco endereçou uma mensagem à população da Colômbia, onde se encontra desde quarta-feira, apresentando a paz e a reconciliação como prioridades.

“O mundo de hoje tem necessidade de construtores de paz e de diálogo. Também a Igreja está chamada a esta tarefa, a promover a reconciliação com o Senhor e os irmãos, bem como a reconciliação com o Meio Ambiente, que é criação de Deus e que estamos a explorar de forma selvagem”, referiu.

A intervenção, em vídeo, antecedeu a 20ª viagem internacional do pontificado, na qual o Papa vai percorrer mais de vinte mil quilómetros para encorajar o processo de paz que procura colocar um ponto final a mais de cinquenta anos de guerra civil.

“Irei como peregrino de esperança e de paz para celebrar convosco a fé em Nosso Senhor e também para aprender com a sua caridade e perseverança na busca da paz e da harmonia”, afirmou Francisco.

O Papa agradeceu antecipadamente ao Presidente colombiano, aos bispos do País e a todos que trabalharam para que esta visita se realizasse.

O Santo Padre regressa a Roma no Domingo.

In ECCLESIA

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *