PADRE DANIEL RIBEIRO

Padre Daniel Ribeiro, da Congregação dos “Dehonianos”, descreve a sociedade de Macau

«Fosso entre ricos e pobres é avassalador».

Pregar a Doutrina Social da Igreja Católica em Macau, onde saltam à vista as tentações e as desigualdades entre ricos e pobres, é o principal objectivo delineado pela Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, assume o clérigo Daniel Ribeiro. A grande meta dos “dehonianos” é incutir nas novas gerações valores que transformem a sociedade local num ambiente mais fraterno, solidário e acolhedor, acrescenta o vigário-paroquial de São Lázaro. A missão vai ser oficialmente estabelecida no território a 1 de Maio.

«Macau constitui um grande desafio para nós, porque há muitos conflitos ao nível das desigualdades entre classes sociais. É muito clara a fronteira entre as pessoas mais pobres e as muito ricas. Há uma dicotomia muito grande das classes baixa e média para a alta», sustenta o padre Daniel Ribeiro, ao caracterizar a sociedade local.

A missão delineada pela Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, também conhecida por “dehonianos”, pode não ser tarefa fácil de concretizar em Macau. Todavia, não é nada que desmoralize o vigário-paroquial de São Lázaro, natural de Campinas (Brasil).

«O objectivo é pregar a justiça social. O maior desafio que encontramos é esta diferença entre classes. O fosso entre ricos e pobres é avassalador», vinca o sacerdote da congregação, que vai ser oficialmente estabelecida em Macau no dia 1 de Maio (Domingo), após dois anos de preparação no terreno.

«O nosso trabalho não é ainda muito visível, porque chegámos há relativamente pouco tempo. Por enquanto, trabalhamos no âmbito das paróquias de São Lázaro e de São Francisco Xavier, através da celebração dos sacramentos e formações paroquiais. Esperamos desenvolver o nosso trabalho no futuro», admite o clérigo brasileiro, acrescentando que o grupo de sete padres afectos à missão traçou como essencial a aprendizagem da língua chinesa para difundir de forma mais adequada os valores “dehonianos” junto da população.

O objectivo a médio-longo prazo é servir as necessidades da Diocese de Macau em qualquer campo de trabalho. No entanto, também há «o desejo muito grande» de trabalhar com a juventude, por ser o futuro de amanhã, e também da Igreja. «Principalmente da igreja de Macau, que pretende restabelecer-se e fortalecer-se. Por isso, tem que trabalhar com os jovens, usando uma linguagem nova e actualizada para que possam compreendê-la», refere o sacerdote, defendendo a ideia de uma «linguagem católica, fiel ao ministério da Igreja».

De igual forma, sublinha: «Como padres do Sagrado Coração de Jesus, desejamos apresentar os valores da nossa espiritualidade, especialmente aos jovens. Por acreditar que a juventude já é o presente da Igreja, ao trabalharmos com eles estamos em crer que a sociedade de Macau pode transformar-se num ambiente mais fraterno, solidário e acolhedor».

 

Projecto Ásia 

O padre Daniel Ribeiro faz parte do grupo de sete clérigos que vai estabelecer oficialmente a congregação dos “dehonianos” na RAEM – três são da Indonésia e os restantes da Argentina, do Brasil, de Portugal e da Índia.

«O nosso Governo-geral em Roma escolheu-nos para iniciarmos o “Projecto Ásia”, centrando a missão em Macau. Não tínhamos ainda ninguém na China continental, nem em Macau ou Hong Kong. Entre Janeiro e Abril de 2014 permanecemos nas Filipinas, onde delineámos os objectivos da missão. Após esta fase inicial, chegámos ao território em Abril do mesmo ano, a convite de D. José Lai», explica.

Desde então, segundo o padre Daniel Ribeiro, «preparámos a missão através do estudo do Cantonense, num curso de línguas promovido pela Diocese de Hong Kong» e do «contacto com a realidade de Macau», considerando os dois anos como «um período de adaptação».

 

Fundação e internacionalização (Caixa)

A Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus foi fundada pelo padre Léon Déhon na França, em 1878. A partir do apelido Déhon, surgiu a palavra “dehonianos”. Em 1891 o Papa Leão XIII publicou a encíclica “Rerum Novarum” (“Das Coisas Novas”, em Português), a primeira de Doutrina Social da Igreja. «A partir deste momento, o nosso fundador, homem bem formado em Jornalismo e Direito, percebeu a necessidade de propagar a doutrina social da Igreja em todo o mundo. [Tal doutrina] é algo diferente da política social e do partidarismo», descreve o padre Daniel Ribeiro. Os “dehonianos”, com aproximadamente dois mil e 200 membros, entre padres e religiosos, estão presentes em cerca de quarenta países. O território missionário do sul de Samatra (Indonésia) foi confiado à congregação em Dezembro de 1923. Os três primeiros “dehonianos” (dois padres e um irmão) chegaram lá em Setembro do ano seguinte. Por iniciativa do XVIII Capítulo Geral, foi criada uma missão nas Filipinas. No continente asiático estabeleceram ainda missões no Vietname, em Macau e Taiwan. Em Portugal são conhecidos por Sacerdotes do Coração de Jesus, denominação aceite pela congregação.

PEDRO DANIEL OLIVEIRA

pedrodanielhk@hotmail.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *