INSTITUTO CULTURAL VISTORIA IGREJAS DE MACAU

Instituto Cultural vistoria Igrejas de Macau

Vale mais prevenir…

A Diocese de Macau e o Instituto Cultural (IC) chegaram a um acordo para se proceder à vistoria das igrejas do território, com o intuito de prevenir a ocorrência de incidentes semelhantes ao registado, no último Domingo, que provocou a queda de parte do telhado da igreja de Santo Agostinho.

«A Diocese e o Instituto Cultural estão a acompanhar o caso e vão colaborar. Na reunião com o presidente [do IC] Guilherme Ung Vai Meng foram detectados os problemas e os perigos.

Vamos agora ver qual é a melhor forma para se fazer a manutenção da igreja de Santo Agostinho e ter em atenção as restantes igrejas para que os problemas sejam identificados com antecedência e decidir, caso a caso, que medidas a tomar», explicou o pároco interino da Sé, padre João Lau, para quem os efeitos da humidade e da formiga branca contribuíram para o incidente de Domingo.

Todavia, como não foram detectados riscos para a integridade física das pessoas, o pároco mostrou-se «esperançado que a igreja possa abrir, pelo menos aos Domingos, para celebração da missa».

Em declarações escritas enviadas a’O CLARIM, Ung Vai Meng salientou que «o IC planeia dar início ao projecto de recuperação do telhado e inspecção global da igreja, com base no princípio de “devolver o antigo à sua forma antiga”». Sublinhando que «o tecto da nave principal, recuperado em 2015, não foi o local onde ocorreu o colapso», garantiu que «actualmente não há nenhuma anormalidade» na referida estrutura.

Após o colapso na igreja originado pelo impacto do vento e das chuvas, «foi criado um grupo especializado que irá levar a cabo uma avaliação das condições de segurança do património arquitectónico já classificado, bem como do 1º grupo proposto para classificação de bens imóveis, em particular dos imóveis que apresentam uma estrutura semelhante à da Igreja de Santo Agostinho, ou seja, dos que apresentem um telhado de telhas, vigas de madeira e tectos falsos».

«Uma análise preliminar do IC indica que há cinco locais que estão em risco de sofrer danos com facilidade, nomeadamente o Seminário de São José, a Igreja de Santo António, a Capela de Nossa Senhora da Penha, a Igreja de Santo Agostinho e o Armazém do Boi, pelo que irá levar a cabo trabalhos rigorosos de inspecção e protecção nestes locais», descreveu Ung Vai Meng, assinalando que «o IC tem assumido desde sempre o papel e a responsabilidade de salvaguarda do património de Macau, dando grande importância à protecção do mesmo».

PEDRO DANIEL OLIVEIRA

pedrodanielhk@hotmail.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *