Responsabilidade legal decorrente do acidente de viação (I)

Conhecer as Leis de Macau

Responsabilidade legal decorrente do acidente de viação (I)

Em caso de acidente de viação, pode estar em causa o problema de pagamento de indemnização da parte culpada, que é provavelmente responsável pelo ressarcimento dos danos causados ao lesado, por exemplo a título de despesas médicas ou de despesas de reparação do veículo danificado. Quando em consequência do acidente de viação resultem mortos ou feridos, a parte culpada pode ainda vir a assumir a responsabilidade penal que daí pode advir.

Veja-se, como exemplo, o seguinte acidente de viação: por descuidado do condutor do veículo (como por exemplo, o veículo entra na via na situação em que deve ceder a passagem), este embate num ciclomotor ou motociclo, provocando danos no ciclomotor ou motociclo e ainda ferimentos no respectivo condutor. Então, o ferido pode efectivar a responsabilidade civil e a responsabilidade penal do condutor que contribuiu para o acidente de viação.

A «responsabilidade civil» tem a ver com a responsabilidade atribuída a qualquer pessoa que viole um direito alheio com dolo ou mera culpa (podem ser direitos pessoais ou direitos patrimoniais), sendo susceptível de ser obrigada a indemnizar o lesado. Também no exemplo acima referido, o condutor culpado no acidente de viação deve indemnizar o lesado, ressarcindo-o das despesas de reparação do ciclomotor ou motociclo e das despesas médicas. O objectivo da obrigação de indemnização é reconstituir o estado da vítima ou do objecto como se este não fosse ferida ou danificado. Em princípio, a reconstituição natural é prioritária, só quando a reconstituição natural não for possível ou não for suficiente, os danos da vítima devem ser ressarcidos em dinheiro.

O pedido de indemnização civil deve ser deduzido em acção cível junto do tribunal. A parte que intenta a acção cível (o autor) deve fornecer provas para justificar o facto que indica como verdadeiro. De acordo com as disposições legais, se o pedido de indemnização não exceder o valor 50 000 patacas, não é obrigatória a constituição de advogado, podendo a parte intentar acção por si no âmbito do «processo referente a pequenas causas».

Além da responsabilidade civil, na semana seguinte serão apresentadas as disposições relativas à responsabilidade penal resultante do acidente de viação.

Nota: Na elaboração do presente artigo, teve-se como referência o disposto nos artigos 477.º, 556.º e 560.º do Código Civil.

Texto fornecido pela Direcção dos Serviços de Assuntos de Justiça.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *