A Chamada para a Grandiosidade (2)

A CHAMADA PARA A GRANDIOSIDADE (2)

Primeiro é primeiro

Um dia um jovem perguntou ao bem-aventurado Álvaro del Portillo: «– Padre, eu penso que Deus está a solicitar-me algo, mas penso que os meus pais querem que eu faça outra coisa. O que é que eu faço?».

D. Álvaro sorriu e disse-lhe: «– O Primeiro Mandamento primeiro, e o Quarto é o quarto».

Na semana passada vimos que a Santidade necessita que nós cresçamos no que respeita às virtudes humanas – as boas qualidades humanas que gostaríamos de ver nos nossos familiares, entre os nossos amigos e colegas, e que nós próprios devemos cultivar. Uma dessas virtudes humanas é a da Ordem, que pode ser definida apenas como o sentir das prioridades: O que deve ser primeiro, primeiro, o que é quarto, em quarto lugar.

Os homens de negócios entendem a importância deste conceito, porque ele torna as suas operações mais eficientes e produtivas.

O clássico livro chinês “Grande Aprendizagem” (Great Learning) – atribuído a Confúcio – ensina-nos que “os nossos antepassados, que queriam demonstrar virtudes excelentes (às pessoas do) reino, primeiro ordenaram devidamente os seus próprios Domínios (territórios, distritos, Estados). Ao desejarem ordenar correctamente os seus domínios, começaram por estabelecer regras para as suas Famílias. Com o objectivo de regulamentar as suas famílias, começaram por educar as Pessoas. Querendo educar as pessoas, melhoraram (corrigiram) os seus Corações. Ao quererem melhorar (corrigir) os seus corações, primeiro desejaram ser sinceros nos seus Pensamentos. Desejando ser sinceros nos seus pensamentos, alargaram, ao máximo possível, os seus Conhecimentos. Tal aumento nos conhecimentos baseia-se na investigação das coisas”.

Se a ordem é importante para os seres humanos, ela é ainda mais essencial para vivermos a nossa Fé. Se quisermos ser santos, temos que ser ordenados, trabalhando sempre com um perfeito sentido das prioridades.

O Livro do Génese diz-nos que Deus trabalhou de forma ordeira e não de forma atabalhoada. O Livro da Sabedoria (11:20) reza assim: «Ele ordenou todas as coisas pela sua medida, número e peso».

Deus pede que O imitemos no Seu trabalho, Ele deseja imitar-nos no Seu trabalho ordenado. Isto é o que São Josemaría dizia: “Virtude sem ordem? Estranha virtude” (Caminho, ponto n. 79).

No entanto, pôr ordem nas nossas vidas não é fácil. O meu professor de Química, na universidade, dizia-nos que a nossa turma seguia as leis da entropia. O que é isso? Simplesmente falando, a entropia é a medida da desordem no seio de um certo Sistema.

A segunda lei da Termodinâmica diz que num sistema isolado a entropia (quer dizer: a desordem) tem tendência a aumentar até ao máximo. Quando uma estrela colapsa, formando um “Buraco Negro” (Black Hole), a sua entropia expande-se enormemente.

Com isto, o nosso professor queria dizer que a nossa turma, quando ele não estava presente, inevitavelmente cairia no caos.

Para reverter essa situação é necessário uma adição de energia. Para pôr ordem na nossa vida, corrigir a desordem e o caos interior, também necessitamos de uma “injecção” de energia, e a isso chamamos “esforço”. O Papa Bento XVI disse uma vez: «O mundo oferece-vos conforto. Mas vocês não foram feitos para o conforto. Vocês foram feitos para a Grandiosidade».

Pe. José Mario Mandía

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *