Amar e ensinar a amar

Dia Internacional da Família (15 de Maio)

Amar e ensinar a amar

O Dia Internacional da Família é celebrado anualmente a 15 de Maio. A data foi escolhida pela Assembleia Geral da ONU, através da resolução 47/237 de 20 de Setembro de 1993, com o objectivo de aumentar o grau de consciência e de reflexão sobre todos os temas que rodeiam a família e também de fomentar os laços familiares. O primeiro Dia Internacional da Família foi celebrado em 1994.

A celebração do Dia Internacional da Família visa, entre outros objectivos, destacar:

– A importância da família na estrutura do núcleo familiar e o seu relevo na base da educação infantil;

– Reforçar a mensagem de união, amor, respeito e compreensão necessários para o bom relacionamento de todos os elementos que compõem a família;

– Chamar a atenção da população para a importância da família como núcleo vital da sociedade e para os direitos e responsabilidades desta;

– Sensibilizar e promover o conhecimento relacionado com as questões sociais, económicas e demográficas que afectam a família.

Considerada a unidade básica da sociedade e sendo o vínculo afectivo mais valorizado, a família é muito mais do que uma composição de pessoas formada por laços sanguíneos, como pais, avós, tios, primos, sobrinhos e netos. Ela é a origem da nossa existência, das nossas raízes pessoais e o centro de onde emerge toda a nossa afectividade. É uma realidade natural que sempre existiu e não é necessário ter uma religião para a defender.

A celebração do Dia Internacional da Família é uma grande oportunidade para que as famílias demonstrem o seu valor e empenho e reflictam sobre o modo de melhorar a relação entre todos os seus elementos.

Ninguém pode pensar que o enfraquecimento da família, fundada no matrimónio, seja algo que beneficia a sociedade. Antes pelo contrário, prejudica o amadurecimento das pessoas, compromete a prática dos valores comunitários e o seu desenvolvimento ético.

“A força da família reside essencialmente na sua capacidade de amar e ensinar a amar. Por muito ferida que possa estar uma família, ela pode sempre crescer a partir do amor”.

“Toda a vida da família é um ‘pastoreio’ misericordioso. Cada um, cuidadosamente, desenha e escreve na vida do outro. A família vive a sua espiritualidade própria, sendo ao mesmo tempo uma igreja doméstica e uma célula viva para transformar o mundo”.

“Um dos desafios fundamentais que as famílias enfrentam hoje, é seguramente o desafio educativo, que se tornou ainda mais difícil e complexo por causa da realidade cultural actual e da grande influência dos meios de comunicação”.

Neste Dia Internacional das Famílias, é importante que os pais, especialmente, revejam os seus conceitos e o seu papel e posição diante dos filhos e entre eles. É necessário que todos os membros assumam as suas responsabilidades dentro do lar, para que a família esteja equilibrada, pois da família nasce a paz necessária para a humanidade.

Susana Mexia 

Professora

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *