Jornal O Clarim

Semanário Católico de Macau

APRENDENDO COM OS MESTRES
Destaque Todas as Categorias

APRENDENDO COM OS MESTRES

Explicar Confúcio através do cinema

Depois de Wong Kar-wai e “The Grand Master”, a vez de Zhang Yimou e “The Hero”. A segunda sessão da primeira edição do Fórum de Cinema do Instituto Ricci de Macau e da Universidade de São José está agendada para 13 de Julho, depois da sessão inaugural do evento ter reunido cerca de quatro dezenas de pessoas na passada sexta-feira, no Auditório D. Bosco, no campus da USJ na Ilha Verde.

O Fórum – que abrange ainda um terceiro debate sobre cinema, agendado para 9 de Novembro – é o resultado do estreitamento da cooperação entre a Faculdade de Indústrias Criativas da Universidade de São José e o Instituto Ricci de Macau. Na passada sexta-feira, a cinematografia de Wong Kar-wai esteve em destaque com a projecção e posterior análise de “The Grand Master”, película que chegou às salas de cinema em 2013 e que narra a história de Ip Man, um dos mais reputados mestres chineses de artes marciais da primeira metade do século XX.

Em comunicado, o Instituto Ricci refere que o propósito do Fórum passa por “abrir diferentes perspectivas sobre um aspecto-chave da Ética Confuciana, nomeadamente o 君子, conceito moralmente redefinido do ‘Mestre’ que inspira boas acções mesmo perante as mais adversas circunstâncias”, aspecto que no entender do padre Stephan Rothlin, mentor da iniciativa, foi plenamente alcançado na primeira sessão do certame. «Desde há vários anos que procuro fomentar este projecto na área dos Meios Audiovisuais e Ética, uma vez que considero que para as gerações mais jovens – para as quais a aprendizagem audiovisual é muito importante – uma discussão significativa sobre vários aspectos de filmes ou de vídeos pode abrir novos horizontes em termos de pensamento», defendeu o director do Instituto Ricci de Macau, em declarações a’O CLARIM.

O sacerdote, actual Superior da Companhia de Jesus no território, mostrou-se satisfeito com a adesão à iniciativa, na qual tomaram parte cerca de quarenta participantes. O padre Rothlin assegurou que o Fórum não só terá continuidade, como também poderá ganhar expressão no mundo virtual, de forma a garantir um maior impacto: «O projecto não só vai ter continuidade nos próximos anos, como também deverá dar lugar a pequenos cursos através da Internet, de forma a que o impacto da iniciativa possa chegar a um público mais vasto».

Para ele, a sétima arte prefigura-se como uma das linguagens mais imediatas e mais eficazes no que toca à transmissão de valores culturais-chave. No caso da China e do pensamento confuciano, o cinema tem o mérito de simplificar a transmissão de conceitos que por vezes não encontram paralelo no pensamento ocidental. «Estas obras-primas do cinema são um abrir de olhos para uma melhor compreensão de valores-chave do Confucionismo, sejam eles o respeito pelos outros, a coragem, a adesão a certos códigos morais e éticos, ou o desprezo pela riqueza no seio de uma cultura que, por vezes, parece demasiado obcecada com aspectos materialistas como o dinheiro, o sucesso profissional, a aquisição de um bom carro ou o saldo do cartão de crédito», disse.

A segunda sessão do Fórum de Cinema do Instituto Ricci de Macau e da Universidade de São José está marcada para 13 de Julho, com a projecção do filme “The Hero”, realizado por Zhang Yimou. A edição inaugural da iniciativa chega ao fim a 9 de Novembro com “Youth”, obra cinematográfica assinada por Feng Xiaogang.

Antes, ao final da tarde de 9 de Abril, o Seminário de São José acolhe uma outra iniciativa, de cariz marcadamente teológico: o padre Cyril Law, especialista em estudos bíblicos, vai apresentar a sua tese de doutoramento sobre John Henry Newman e Ma Xiangbo, responsável pela primeira tradução integral da Bíblia para Chinês.

Marco Carvalho

LEAVE A RESPONSE

Your email address will not be published. Required fields are marked *