INSTITUTO RICCI DE MACAU REGRESSA AOS SIMPÓSIOS INTERNACIONAIS

Instituto Ricci de Macau regressa aos Simpósios Internacionais

O Protestantismo após a restauração jesuíta

O presidente do Instituto Ricci de Macau (IRM), padre Artur Wardega, disse a’O CLARIM que estão a ser envidados esforços para retomar os simpósios internacionais organizados por aquela entidade.

Depois de estar assegurada a realização do evento sobre a repressão, sobrevivência e restauração da missão jesuíta no mundo, a decorrer entre as próximas terça e quinta-feira no Museu das Ofertas sobre a Transferência de Soberania de Macau, Artur Wardega confirmou que daqui a dois anos o IRM vai acolher a realização de outro simpósio internacional, no qual será abordada a relação entre os jesuítas e os protestantes.

«Em debate estará a forma como os jesuítas do território se relacionavam com os protestantes em Macau, e também com os da região do Sudeste Asiático a partir de 1842, após a segunda chegada [destes] à costa da China juntamente com as potências ocidentais, tais como a Grã-Bretanha, a França e os Estados Unidos, entre outras», referiu a propósito da edição de 2016.

O evento, organizado em parceria com o Colégio de Boston (Massachusetts), irá realizar-se cerca de um ano antes do 500º aniversário da Reforma Protestante. Artur Wardega salientou que a periodicidade dos simpósios internacionais do IRM vão depender das efemérides que de alguma forma estejam relacionadas com os jesuítas.

Entretanto, o IRM vai organizar no próximo dia 10 de Novembro mais um seminário, desta vez subordinado ao tema “Conde Maurice August Benyowsky em Macau (1771)”, tendo como orador Edward Kajdanski.

O evento será dividido em três partes: prelecção de Kajdanski, doação ao Museu de Macau do mapa com o itinerário marítimo do conde Maurice – viagem efectuada entre Bolsheretsk, Estreito de Taiwan, Macau (onde passou quatro meses), Cantão e França – sendo ainda efectuada uma apresentação de várias publicações da sua autoria.

 

Projectos

O IRM pretende retomar a publicação da revista Chinese Cross Currents, não no formato tradicional, mas na versão electrónica. «Vai ser de âmbito semestral, mas por enquanto ainda estamos à procura de colaboradores e pessoas que estejam interessadas em contribuir com temas», referiu Wardega, que realçou o papel desempenhado pelo jesuíta Yves Camus enquanto editor da publicação.

Na forja estará também a publicação de um livro dedicado ao bispo D. Melchior Carneiro, integrado na série “Jesuítas”, e de uma obra sobre proeminentes mestres budistas, na série “Humanitas”.

PEDRO DANIEL OLIVEIRA

pedrodanielhk@hotmail.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *