Jornal O Clarim

Semanário Católico de Macau

Formas de celebração do contrato de trabalho
Local Todas as Categorias

CONHECER AS LEIS DE MACAU

Formas de celebração do contrato de trabalho

Para garantir os vários direitos dos trabalhadores, de entre as leis de Macau, destaca-se uma lei intitulada “Lei das relações de trabalho” que contém estipulações específicas relativas ao assunto. O conteúdo desta lei inclui principalmente a regulação dos deveres dos empregadores e dos trabalhadores, as férias e faltas dos trabalhadores, entre outros. Para além disso, há uma estipulação indispensável, que é a relativa à celebração do contrato de trabalho.

Quando se fala do contrato de trabalho, é possível que os empregadores ou os trabalhadores venham a perguntar: é obrigatório que o contrato de trabalho seja celebrado por escrito? De acordo com o disposto na Lei das relações de trabalho, o contrato de trabalho não está sujeito a forma especial, podendo ser celebrado verbalmente ou por escrito. Porém, o contrato está sujeito à forma escrita quando se trate da celebração de “contrato de trabalho de menores” ou de “contrato de trabalho a termo”.

O “contrato de trabalho de menores” é aquele que é celebrado com alguém que ainda não tenha completado os 18 anos de idade. Para garantir o desenvolvimento físico e mental dos menores, a Lei das relações de trabalhos estipula a proibição dos menores trabalharem em determinados estabelecimentos de tais como: bares, karaoke, jogos de bilhar, bowling, máquinas de diversão, cibercafés, entre outros. Relativamente ao período de trabalho, é ainda proibido aos menores prestar trabalho extraordinário, bem como durante o período compreendido entre as vinte e uma horas e as sete horas do dia seguinte.

No que concerne ao “contrato de trabalho a termo”, a lei prevê que este tipo de contratos é celebrado apenas quando se reúnam cumulativamente as seguintes duas condições: 1. Cumprindo as disposições legais e tendo como objectivo satisfazer as necessidades temporárias da empresa, nomeadamente em função da sua natureza sazonal, transitória ou específica, tais como o início de uma nova tarefa de prazo indeterminado, o desenvolvimento de projectos não inseridos na actividade quotidiana do empregador, a prestação de trabalho sazonal, a substituição de trabalhador ausente, entre outros. 2. A duração do contrato de trabalho a termo está obrigatoriamente limitada ao período estritamente necessário à satisfação da respectiva necessidade. A celebração de contrato de trabalho a termo só é possível quando se reúnam cumulativamente as duas condições supramencionadas, caso contrário, haverá lugar apenas à celebração de contrato de trabalho sem termo.

Obs.: Na elaboração do presente artigo, foram tidas como principal referência as disposições dos artigos 17.º, 19.º e 29.º da Lei n.º 7/2008 (Lei das relações de trabalho), bem como do Despacho do Chefe do Executivo n.º 344/2008.

Texto fornecido pela Direcção dos Serviços de Assuntos de Justiça

LEAVE A RESPONSE

Your email address will not be published. Required fields are marked *