ALEXIS TAM

Alexis Tam com tarde difícil na Assembleia Legislativa

Falar não chega.

O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, não teve ontem uma tarde fácil na Assembleia Legislativa, ao ser bastante criticado em várias frentes no debate sectorial das Linhas de Acção Governativa para 2016.

«Desde a tomada de posse, até agora, que os amigos da Comunicação Social me têm dito que o senhor secretário é dos mais pró-activos a dar respostas aos jornalistas, mas também tem havido problemas ao nível da sua governação», disse Ng Kuok Cheong, em alusão aos casos dos documentos confidenciais de pacientes do Centro Hospitalar Conde de São Januário que eram para ser destruídos, mas foram parar à Avenida Dr. Rodrigo Rodrigues, e das falhas detectadas na atribuição e fiscalização de subsídios a escolas particulares.

«Tem respondido que vai fazer melhor e, com o tempo, melhorar os procedimentos», sustentou o mesmo deputado, acrescentando que o secretário tem defendido os titulares dos cargos de chefia e de direcção, algo que – no seu entender – não tem acontecido na mesma medida com os trabalhadores da linha-da-frente. «Não estará a passar um cheque sem cobertura? Ou será que vai cumprir com os seus objectivos?», questionou pouco depois.

O parlamentar Ko Hoi Hin queixou-se da fraca qualidade dos autocarros que prestam serviço público e pediu a dinamização da Avenida Almeida Ribeiro e do espaço envolvente. «Não estamos a ver nada de progresso», sublinhou. «Macau tem muitos recursos turísticos, mas como poderemos embelezar o património cultural e atrair mais turistas?», inquiriu também. «É feio. Pode afectar a imagem de Macau. É uma vergonha», vincou ainda Ko Hoi Hin, agora a propósito dos autocarros de turismo que precisam de ser substituídos.

O discurso de Vítor Cheung Lup Kwan foi igualmente contundente: «Há escolas que cometem irregularidades. O que o senhor secretário tem a fazer é prevenir esses problemas. A sociedade exige muito de si, senhor secretário, porque a sua pasta tem a ver com a vida da população».

Noutro âmbito, o deputado instou o Governo a introduzir mais campos de futebol no território, mesmo que numa primeira fase sejam a título provisório, para fazer face à demanda de praticantes da modalidade e à realização de eventos internacionais.

Na resposta, Alexis Tam considerou a área da Saúde «a prioridade das prioridades» da sua governação e reforçou que «o sistema de saúde tem vindo a progredir e a melhorar», porque «mais de 80% da população goza [agora] de assistência médica gratuita». Reiterou que vão ser contratados mais médicos e enfermeiros, primeiramente em Macau, e depois na China continental, Hong Kong, Taiwan e Portugal.

Em relação aos campos de futebol, tendo lembrado que o Instituto do Desporto é a entidade pública responsável pela coordenação dos espaços do campus da Universidade de Macau, aclarou que «as entidades [competentes] vão colaborar na “prestação” [dispensa] das instalações desportivas para a prática de desporto, nomeadamente, de futebol».

PEDRO DANIEL OLIVEIRA

pedrodanielhk@hotmail.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *