A lição final

A LIÇÃO FINAL

Um SMS vindo do Calvário

“Pai – Father – Abba – Daddy”

As primeiras e as últimas palavras de Jesus começam sempre com “Abba (Paizinho)”. “Daddy (Paizinho)” significa, “Confio em ti”, “Amo-te”. Começarei eu as minhas orações com esta sugestiva palavra?

«Pai, perdoai-lhes, porque eles não sabem o que fazem» (Lucas 23: 34)

Quando alguém nos magoa é tão simples pensarmos que foi de propósito, com maldade. Mas Jesus não julgou. Ele é Deus, Ele sabe tudo, e ainda assim desculpou os Seus algozes. A Ignorância diminui a voluntariedade do acto; ela diminui a liberdade, e com isso a correspondente responsabilidade da acção.

Jesus não julga. Ele desculpa.

Quando revelamos os nossos pecados durante a confissão, Jesus não nos condena. Ele perdoa-nos. “Perdoa-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”.

«Em verdade vos digo, hoje tu estarás comigo no Paraíso» (Lucas 23: 43)

Invejo aquele ladrão cheio de sorte. Ele roubou o Coração de Deus com apenas umas poucas palavras. Mas foram palavras que exprimiram tudo o que tinha que ser dito. Ele afirmou a FÉ de que Jesus era Deus, e que assim podia perdoá-lo. Demonstrou ESPERANÇA na Sua misericórdia. Demonstrou AMOR em Deus, ao perguntar pelo Paraíso, o que não é senão ficar junto de Deus para todo o sempre.

“Senhor lembra-te de mim…”

«Mulher, olha o teu Filho! Olha tua mãe!» (João 19: 26-27)

Na Última Ceia, Jesus já tinha entregue o Seu presente mais precioso que alguma vez poderia dar a alguém: a oferta de Si próprio – o Seu Corpo, Sangue, Alma, e Natureza Divina.

Agora, na Cruz, ele entrega a Sua segunda mais preciosa oferta: a Sua própria Mãe. Um discípulo verdadeiro adora Jesus na Eucaristia e aceita Maria como Sua própria Mãe. “Santa Maria, Mãe de Deus rogai por nós pecadores”.

«Meu Deus, meu Deus, porque me esqueceste?» (Mateus 27:46)

Jesus utiliza a frase inicial do Salmo 22, no qual está a profecia do Messias: «Todos os que me veem riem-se de mim, fazem-me caretas, e abanam as suas cabeças (versículo 7)»; «Posso enumerar todos os meus ossos – eles olham-Me fixamente e congratulam-se com o que veem; eles distribuem as minhas roupas entre eles, e jogam-nas à sorte (versicúlos 17-18)».

Apesar de estar recheado de desespero e tristeza, o mesmo salmo enaltece a FÉ de Deus: «Porque não odiou nem rejeitou os tormentos que o afligiram; e não lhe virou a cara, mas ouviu-o quando gritou por Ele (versículo 24)».

E também fala da Sua vitória: «Porque o poder pertence ao SENHOR, e ele tem domínio sobre todas as nações (versículo 28)».

«Tenho sede» (João 19:28)

Jesus mostrou uma vez mais que era realmente verdadeiro Homem. Ele partilhou connosco as nossas alegrias e dores, e continua a partilhá-las ainda hoje. Quando no fim de um longo dia eu lhe digo: “Jesus, estou tão cansado”, eu sei que ele me compreende. Eu sei que ele entende quando digo “estou desiludido”, ou “estou assustado”. Ele também sabe o que quero dizer quando digo “hoje estou tão feliz”.

Mas – pensei neste momento – raras vezes eu Lhe falo sobre as coisas boas que acontecem comigo, e sinto o Seu descontentamento: “Estás sempre a partilhar Comigo as tuas dores e aflições, não poderias também partilhar as tuas alegrias Comigo?”

«Está acabado» (João 19:30)

Jesus termina a Sua missão no momento em que é crucificado. Era esta a “hora”a que se tinha referido por diversas vezes. Mas parece-nos que a Sua hora de desgraça foi, na realidade, a Sua hora de Triunfo. O Mal parecia ter vencido… mas não, a última palavra pertenceu à Sua misericórdia e bondade.

Ao morrer por nós Jesus pagou o preço que precisávamos para readquirirmos o Paraíso. Na cruz Ele triunfou sobre o demónio. Se não tivesse morrido, nós nunca poderíamos sequer sonhar com a felicidade depois da morte.

Jesus fez algo maravilhoso por nós quando se tornou Homem. Ele transformou todos os males resultantes do Pecado Original (dor, doença, falha, morte) em moeda de troca, que podemos usar para adquirir o nosso lugar no Céu!

Para os que amam a Deus qualquer responsabilidade pode ser transformada em benefício (Romanos 8:28). Nenhum negócio na terra pode oferecer melhores condições.

«Pai, nas Tuas mãos entrego o Meu espírito» (Lucas 23:46)

Pouco antes do Verão do ano passado, enquanto conversava com um rapaz, perguntei-lhe: «–Vais a algum lugar durante as férias?»

«– Oh, sim, naturalmente!»

«– E posso saber onde vais, se não é indiscrição?»

«– Não sei, mas o meu Pai já tem tudo planeado».

Ah! Que confiança. Isto é o que Jesus nos ensina com as Suas últimas palavras: O Pai (Daddy) tem tudo planeado. Não há que se preocupar. Deixem tudo nas Suas mãos. Ele tem tudo planeado.

Pe. José Mario Mandía

(Tradução: António R. Martins)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *