Um ano após o Centenário das Aparições de Fátima

Macau renova fé em Maria

Macau renova fé em Maria.

Um ano após a celebração do Centenário das Aparições de Fátima, a igreja de São Domingos volta a assinalar a efeméride no Domingo, 13 de Maio, com eucaristia em Chinês, pelas 8 horas, seguida da exposição e adoração do Santíssimo Sacramento, pelas 15 horas.

A oração do terço, em Português, realiza-se às 17 horas, e a bênção do Santíssimo Sacramento com renovação da consagração acontece quarenta e cinco minutos depois. A missa eucarística, em Português, é celebrada a partir das 18 horas, seguindo-se a procissão entre a igreja de São Domingos e a ermida da Penha, onde será feita a oração do rosário. A peregrinação ficará concluída com a bênção do Santíssimo Sacramento aos fiéis e a toda a cidade de Macau.

A paróquia de Nossa Senhora de Fátima também se associa à data religiosa, mas em outros moldes.

«Na paróquia de Nossa Senhora de Fátima celebramos a festividade a 13 de Outubro, coincidindo a data com a última aparição de Nossa Senhora [aos três pastorinhos em 1917]. Temos depois o privilégio de celebrar a 13 de Maio, associando-nos à diocese de Macau. Os nossos paroquianos também participam na procissão da tarde [entre a igreja de São Domingos e a ermida da Penha]», disse a’O CLARIM o pároco José Ángel Castellanos.

A pensar na comunidade católica de língua inglesa, referiu que pelas 14 horas vai ser exibido, no salão paroquial, um filme sobre as aparições de Fátima, sendo efectuados comentários às aparições e feita a oração do rosário. Para a comunidade vietnamita vai decorrer uma procissão no jardim da igreja da paróquia ainda antes da missa das 16 horas e 30.

Já o padre João Evangelista Lau recordou que a celebração das aparições de Fátima «conta com várias décadas» em Macau. «É uma tradição com cerca de noventa anos, se não me engano. Espero que possa continuar para sempre, porque embora Macau esteja bastante longe de Portugal a fé não tem fronteiras», vincou o pároco da igreja de São Lázaro.

Os devotos da quase-paróquia de São José Operário também irão participar na procissão até à ermida da Penha – conforme referiu o pároco Manuel Machado – para renovarem a sua fé e continuarem com a tradição.

Segundo o padre Andrzej Blazkiewicz, há «uma série de razões profundas» para o povo português, e os que estão emigrados, celebrarem este acontecimento: «Primeiramente é dos portugueses, mas também de todos nós, porque a mensagem de Fátima marca a história moderna diante do mal, que atingiu a humanidade e ainda continua a confundir muitos», apontou o vigário auxiliar para a comunidade portuguesa da paróquia de Nossa Senhora Carmo.

«O convite à oração do rosário e à penitência pela conversão da Rússia, o que significa isto para nós, sabendo de tantas vidas que foram ceifadas em nome da falsa ideologia? Hoje, com a alteração de meios, ainda por cima com uma acção mais perigosa, avança o mal contra as famílias e directamente contra a verdade do ser humano, como é o caso da ideologia de género», concluiu o sacerdote de nacionalidade polaca, fluente em Português.

PEDRO DANIEL OLIVEIRA

pedrodanielhk@hotmail.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *