Jornal O Clarim

Semanário Católico de Macau

Destaque Todas as Categorias

Milhares de jovens com o Papa em Cracóvia, na Polónia

«Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia» (Mateus 5:7)

É este o mote que congrega a romagem de milhares de jovens à Polónia, mais concretamente a Cracóvia, para as Jornadas Mundiais da Juventude de 2016.

Organizadas pela Arquidiocese de Cracóvia e pelo Pontifício Conselho para os Leigos, são presididas por Sua Santidade, o Papa Francisco, em Viagem Apostólica à Polónia. O tema da Misericórdia, que faz parte do lema do Pontificado de Francisco “Miserando atque eligendo” (“Olhou-o com misericórdia e escolheu-o” ), é uma vez mais recordado e transmitido ao mundo, através dos jovens.

As Jornadas Mundiais da Juventude 2016 (WYD – World Youth Days – 2016) constituem um evento focado na Fé e, claro, nos Jovens, sendo organizadas pela Igreja Católica. Foram anunciadas na Eucaristia de encerramento das últimas Jornadas, no Rio de Janeiro, Brasil. São as segundas a realizar-se na Polónia, depois de Czestochowa, em 1991, sob a égide do Papa São João Paulo II, o fundador e idealizador desta iniciativa.

O arcebispo metropolitano de Cracóvia – arquidiocese que organiza e acolhe o evento – D. Stanisław Dziwisz, considera estas Jornadas de 2016 como um tributo particularmente significativo ao fundador da WYD, o antigo prelado daquela importante circunscrição eclesiástica e depois Papa, canonizado em 27 de Abril de 2014. Tributo a um Papa devoto do Misericordioso Jesus, inspirado nas visões de Santa Faustina Kowalska, cujo carisma e mensagens serão também recordados nestas Jornadas, que lhe são um tributo também.

Apesar da sede das WYD 2016 se centrar em Cracóvia, toda a Igreja polaca tem trabalhado na organização e preparação das mesmas, presididas pelo cardeal Dziwisz, secundado pelo bispo D. Damian Muskus. A Conferência Episcopal da Polónia e os seus comités diocesanos de Pastoral da Juventude são também parte da estrutura capilar que tem coordenado todo o processo organizativo. De destacar as peregrinações preparatórias do ícone Salus Populi Romani pela Polónia, tal como da Cruz da WYD, que percorreram todas as dioceses da nação polaca, em igrejas e capelas, mas também escolas, prisões juvenis e universidades. Estes dois símbolos da WYD percorreram também os países em torno da Polónia, além da Itália e Hungria, Roménia e Moldávia.

 

As Jornadas Mundiais da Juventude

É uma das memórias bonitas do mundo dos últimos anos. As WYD foram criadas como já se referiu por São João Paulo II, em 20 de Dezembro de 1985. Corriam os anos de 1983-84. Em Roma, aquele Papa promoveu o Ano Santo da Redenção, na memória do 1950º aniversário da Ressurreição do Senhor. Inseriu-se no programa o Jubileu Internacional da Juventude, próximo do Domingo de Ramos, o qual atraiu trezentos mil jovens de diversas partes do mundo até Roma, os quais foram acolhidos por cerca de seis mil famílias romanas.

O Papa João Paulo II deu então uma cruz de madeira para aos jovens «como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade, e anunciem a todos que somente na morte e ressurreição de Cristo podemos encontrar a salvação e a redenção». É esta a cruz peregrina, que tem pontificado sempre em vigílias internacionais e visitado dezenas de países em todos os continentes em todas as Jornadas até hoje realizadas. 1985 foi então proclamado como Ano Internacional da Juventude. O Papa polaco convocou então 350 jovens no Domingo de Ramos e repetiu a experiência do ano anterior. Depois instituiu oficialmente as WYD, em 20 de Dezembro de 1985, decorrendo as primeiras Jornadas no Domingo de Ramos de 1986. Desde essa data que passaram a ter lugar de dois em dois anos e depois de 2000 passaram a ser de três em três.

As Jornadas Mundiais de Juventude são um evento religioso bi ou trienal, destinado aos jovens (católicos, não católicos…), congregando em cada centenas de milhares, senão milhões, de participantes, durante cerca de uma semana. Celebrar e aprender a fé, conhecer a doutrina católica e desenvolver a partilha, a amizade e a espiritualidade, entre jovens de várias línguas, povos, culturas, origens.

A nível diocesano, existem Jornadas da Juventude, no Domingo de Ramos, nos anos que medeiam as WYD. O local destas é uma escolha pessoal do Papa, tal como o seu tema orientador, normalmente extraído de um excerto bíblico. Depois, a diocese organizadora criará a estrutura, hino, convocará apoios, enfim, preparará o evento, sempre em consonância com a Santa Sé. Cada WYD promove vários tipos de eventos religiosos multilingues, desde missas, catequeses, palestras, “workshops”, “shows”, meditação, retiros, acções de contacto com realidades marginais e pobres, etc.

Manila WYD 1995 continua a bater todos os recordes de afluência, superando os quatro milhões. Com o Rio 2013 em segundo lugar, ao atingir os 3,7 milhões.

 

A caminho de Cracóvia

Até 25 de Julho estavam já em Cracóvia mais de 210 mil peregrinos registados nas Jornadas, prevendo-se um forte aumento da afluência. A organização das Jornadas 2016 espera a participação de que mais de 335 mil peregrinos de 185 países, sendo Portugal a 9ª delegação mais numerosa, com cerca de sete mil jovens. Pela primeira vez na história das WYD vão estar presentes na Polónia jovens de países sem histórico de presenças no evento, como o Kosovo, Bangladesh, Gibraltar, Mianmar ou Sudão do Sul. De salientar que desta vez, para já, a maior parte dos primeiros grupos a chegar a Cracóvia se terá deslocado de autocarro.

Os peregrinos vão ter acesso a 250 eventos que incluem pintura, fotografia, ícones, banda desenhada, eventos desportivos, apresentações e espectáculos. As WYD 2016 abriram na terça-feira de tarde, com uma Missa de Abertura e o Festival da Juventude – apresentações artísticas, culturais e religiosas a partir do mote dos WYD de Cracóvia – “Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia”.

Com a chegada do Papa na passada quarta-feira, depois da cerimónia de boas-vindas, várias celebrações decorrem sob a sua presidência até este Domingo, como uma via-sacra, uma vigília de oração e a tradicional missa campal de encerramento. Tudo no Campus Misericórdia, na localidade de Brzegi, região de Wieliczka (célebre pelas suas magníficas minas de sal), numa área de aproximadamente 255 hectares. Findas as Jornadas, ali ficará naquele espaço uma casa para idosos e doentes.

Por último, mas talvez como princípio de todo este pulsar de jovens e de renovação da Igreja, cumpre recordar a ideia reitora do fundador das WYD, São João Paulo II: «…a esperança de um mundo melhor está numa juventude sadia, com valores, responsável e, acima de tudo, voltada para Deus e para o próximo».

Vítor Teixeira

Universidade Católica Portuguesa

LEAVE A RESPONSE

Your email address will not be published. Required fields are marked *