Bispos lusófonos vão reunir em Cabo Verde

Jovens são o tema central

Bispos lusófonos vão reunir em Cabo Verde

A cidade da Praia, em Cabo Verde, vai acolher entre hoje e segunda-feira o 13.º Encontro dos Bispos Lusófonos, da Igreja Católica, cujo tema geral é “Os Jovens na Igreja: presença efectiva e transformadora”.

O anúncio foi feito pela diocese de Santiago de Cabo Verde, através das suas páginas nas redes sociais.

Amanhã, o cardeal D. Sérgio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB), vai proferir uma conferência sobre o tema “Os desafios da Igreja à Sociedade”.

O 13.º Encontro dos Bispos Lusófonos vai reunir doze responsáveis, incluindo os cardeais D. Arlindo Furtado (Cabo Verde), D. Sérgio da Rocha e D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa.

Cabo Verde, Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe são os países de origem dos participantes.

No Domingo os bispos vão concelebrar com D. Arlindo Furtado, na catedral de Nossa Senhora da Graça.

 

Espanha

Os bispos católicos espanhóis de Navarra, País Basco e Baiona reagiram, no passado dia 20 de Abril, ao pedido de desculpa da ETA, evocando “60 anos de história de morte e sofrimento” provocados pela organização separatista.

Numa nota divulgada à Comunicação Social, os responsáveis católicos de Pamplona-Tudela, Baiona, Bilbau, Vitória e San Sebastián recordam as vítimas da violência, em particular os que morreram em atentados que continuam por punir.

A nota admite que houve “cumplicidades, ambiguidades e omissões”, nas comunidades católicas, face à violência da ETA, pedindo “perdão” por esse facto.

Os bispos alertam para a persistência de “ideologias totalitárias e idolátricas” que alimentam o terrorismo, apelando a uma “reconstrução moral”.

“A desejada dissolução da ETA oferece novas possibilidades para a normalização, que deveriam ser aproveitadas por todos”, pode ler-se.

A organização separatista basca ETA reconheceu os “danos causados” e a “responsabilidade directa” no sofrimento provocado à sociedade basca.

“Causámos muita dor e danos irreparáveis, queremos mostrar o nosso respeito aos mortos, feridos e vítimas das acções da ETA. Lamentamos muito”, declarou a organização, num comunicado divulgado pelos jornais Gara e Berria.

A ETA deve anunciar a sua dissolução a 5 de Maio, durante uma cerimónia marcada para Bayonne, no País Basco francês.

In ECCLESIA

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *