Pedro Lobo

Palatium Fine Wines factura cinquenta por cento no mercado de Hong Kong

Na onda do sucesso internacional dos portugueses.

A Palatium Fine Wines, empresa importadora de vinhos portugueses com sede em Macau, está a apostar em força no mercado de Hong Kong, dado que a marca “Portugal” começa a ter maior visibilidade, em parte devido aos sucessos alcançados nos últimos anos por vários portugueses, com repercussão à escala mundial.

«A nossa estratégia surge no seguimento da evolução natural do negócio, dado que sempre tivemos uma ligação com Hong Kong.

Nos últimos dois anos temos desenvolvido alguns contactos. E desde há um ano a esta parte aprofundámos alguns deles, de modo que conseguimos agora fazer a distribuição com um parceiro de Hong Kong, exclusivamente com vinhos portugueses fornecidos pela nossa empresa», disse a’O CLARIM Pedro Lobo, director-executivo da Palatium Fine Wines.

Afirmando que a presença da empresa que dirige «está a ser muito mais significativa» na Região vizinha, o mesmo responsável acrescentou que o mercado de Hong Kong «é muito mais maduro do que o de Macau», pois «tem acesso a vinhos completamente diferentes».

«A situação está a mudar para os vinhos portugueses. Felizmente, tem havido mais exposição da marca “Portugal” e dos néctares portugueses, o que se deve muito aos importadores que estão em Macau», frisou Pedro Lobo, aludindo às provas de vinhos e às “master classes” (provas vínicas dirigidas exclusivamente para um determinado tipo de vinhos) que têm sido organizadas na RAEHK.

No seu entender, «Portugal é uma marca que começa a despertar grande curiosidade também em Hong Kong», em parte fruto dos «sucessos que o País tem granjeado além-fronteiras», com a «conquista do Europeu de futebol em França» e com a «vitória de Salvador Sobral» no Festival da Eurovisão deste ano.

«Havendo esta curiosidade, e havendo alguma procura por produtos lusitanos, é natural que os vinhos portugueses comecem a ser falados, porque assistíamos em Hong Kong a provas de vinhos da Geórgia, da Hungria e de outros países, enquanto de Portugal havia muito pouco», explicou, tendo em conta o trabalho que a Palatium Fine Wines tem realizado ao longo dos anos até desenvolver contactos que lhe permitissem consolidar a sua estratégia na Região vizinha.

«Neste momento, cerca de cinquenta por cento da nossa facturação provém do mercado de Hong Kong», revelou Pedro Lobo, que espera chegar ao mercado de Taiwan «nos próximos tempos», após uma primeira abordagem exploratória.

PEDRO DANIEL OLIVEIRA

pedrodanielhk@hotmail.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *