ARQUITECTOS DE MACAU AJUDAM A RECONSTRUIR ESCOLAS NAS FILIPINAS

Arquitectos de Macau ajudam a reconstruir escolas nas Filipinas

Solidariedade sem limites

A Organização Não Governamental “Architecture Sans Frontières-Macau” (ASF-M) está a desenvolver o “Projecto Yolanda”, com vista à reconstrução de sete escolas da província de Capiz, nas Filipinas.

O projecto inicial centra-se na reconstrução de um edifício com duas salas de aula, na Escola Primária de Punta Cogon, em Roxas City, prevendo-se depois que a iniciativa se estenda a outros estabelecimentos de ensino que foram devastados pelo super-tufão Yolanda em Novembro de 2013.

«Iniciámos o projecto há cerca de seis meses, depois de sermos contactados pelo Grupo de Oração [sedeado na RAEM], na sequência de um contacto inicial de antigos moradores da comunidade filipina no território», disse Dominic Choi, presidente da ASF-M, à margem do “Macau Solidário”, evento realizado na passada sexta-feira na Creative Macau.

Após vários contactos encetados com o padre Taz Lasola, da missão Padre Pio em Roxas, a ASF-M decidiu elaborar um plano de acção, que incluiu uma deslocação ao terreno, juntamente com rotários filipinos e do Clube Rotário de Macau Central, para identificar os locais afectados.

Foram também estabelecidos contactos com construtores para a comparação de preços dos materiais e com outras entidades oficiais das Filipinas. As duas salas de aulas, na Escola Primária de Punta Cogon, estão orçadas em 600 mil patacas. Cada sala terá capacidade para acolher entre quarenta e cinquenta alunos.

A execução do projecto é apoiada pelo Departamento de Educação do Governo das Filipinas, em colaboração com a OCHA, departamento das Nações Unidas para a coordenação dos assuntos humanitários.

«Para nós o projecto tem um grande significado porque o mais importante é poder ajudar uma comunidade que verdadeiramente necessita de se tornar mais resiliente, não só a ultrapassar a dificuldade do momento, mas também a preparar o futuro. Por isso, estamos agora a incidir a nossa acção na reestruturação das escolas», referiu o arquitecto da ASF-M, Sérgio Spencer, também à margem do “Macau Solidário”.

A finalista do curso de Comunicação e Media da Universidade de São José, Maria Lynz, fez uma pequena actuação ao piano, à medida que a audiência visualizava num projector imagens sobre o “Projecto Yolanda”. O evento foi organizado pela ASF-M, em parceria com a Universidade de São José e com o Creative Macau.

 

Gratidão

A vice-cônsul-geral das Filipinas em Macau, Ira Micheline Valdez, ficou bastante sensibilizada com a acção da ASF-M. «Nunca estou surpreendida por acontecerem coisas boas. É algo natural, que umas pessoas ajudem as outras. Mais do que tudo, sinto apreço pelas pessoas de Macau e pelos expatriados que não são das Filipinas, mas ajudam quem nem sequer conhecem. Tenho um profundo sentimento de apreço e também de gratidão», sublinhou, à margem do evento de sexta-feira.

PEDRO DANEL OLIVEIRA

pedrodanielhk@hotmail.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *