Category Archives: Eclesial

A Vida começa no final da zona de conforto

Não posso adiar

Não posso adiar.

Por estes dias, estive numa paisagem paradisíaca a fazer um retiro espiritual (não sei se devia estar a dizer isto!). Como se costuma dizer, tenho muita sorte por ter estas oportunidades.

Quando ia a caminho, pouco depois de iniciar a viagem, ainda sem companhia, passou por mim, no seu carro, uma amiga. Uma amiga muito querida, mas com quem não tenho falado muito. Culpa minha. Muita culpa minha.

Filosofia, uma dentada de cada vez (52)

E quanto ao coração?

E quanto ao coração?

Falámos de muitas coisas sobre o Homem, mas não dissemos nem uma palavra sobre o coração. O termo “coração” está tão ligado à natureza humana que uma “pessoa sem coração” muito dificilmente poderá ser considerada humana. As Sagradas Escrituras mencionam este facto mais de mil vezes. E mesmo assim não se encontram mencionadas nas faculdades (sentidos, apetites, intelecto, vontade) que São Tomás referia. A razão para este facto é que o termo “coração” é analógico. Ele é usado para definir diferentes realidades com um sentido comum a algo no interior profundo do ser humano. Deixem-nos dar uma vista de olhos a esses diferentes significados.

Vaticano

Papa pede aos padres homilias breves e bem preparadas

Papa pede aos padres homilias breves e bem preparadas

O Papa Francisco pediu que os padres preparem bem as suas homilias, para que sejam breves e ajudem as pessoas a entender a importância do Evangelho.

«Quem profere a homilia deve realizar bem o seu ministério. Aquele que prega, o sacerdote, o diácono, o bispo, oferecendo um real serviço a quem participa da Missa, mas também aqueles que ouvem devem fazer a sua parte», disse, perante milhares de pessoas reunidas no auditório Paulo VI para a audiência pública semanal.

Cerimónia de abertura integra hoje delegação da Santa Sé

Vaticano “participa” nos Jogos Olímpicos de Inverno

Vaticano “participa” pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Inverno.

O Estado do Vaticano foi convidado pelo Comité Olímpico Internacional (COI) a participar com uma delegação na inauguração dos Jogos Olímpicos de Inverno em Pyeongchang, na Coreia do Sul.

De acordo com o serviço informativo da Santa Sé, uma delegação do Vaticano estará hoje de maneira formal na abertura da competição, tendo já participado, pela primeira vez, na “sessão olímpica” que antecede o evento.

Filosofia, uma dentada de cada vez (51)

A Divina Graça viola a Liberdade ?

A Divina Graça viola a Liberdade ?

Deixem-nos dar um passo para além da Filosofia. Vimos que as virtudes humanas são uma força libertadora: ajudam-nos a exercitar a nossa liberdade. Além disso, uma pessoa que tenha sido baptizada pode alcançar ainda mais (ter mais sucesso). Porque recebeu a Graça, recebe as Virtudes Teológicas e os presentes do Espírito Santo. Tudo isto nos torna mais livres.

Este facto explica porque é que nós, católicos, pensamos que podemos elevar-nos acima da nossa condição de pecadores e genuinamente nos tornarmos santos.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – XLXIV

O Josefinismo

O Josefinismo

O Josefinismo, ou Josefismo, é um sistema político-religioso, de governação césaro-papista (poder temporal e espiritual no governante), que radica a sua designação no nome do imperador austro-húngaro José II, reinante entre 1765 e 1790. Podemos chamar ao Josefinismo um Galicanismo à maneira austríaca. Como característica essencial, aponta-se a reforma radical nas relações entre a Igreja Católica e o Estado, austríaco no caso, no sentido de que era este último quem pretendia dirigir a política religiosa nos seus territórios, sem interferências ou desígnios da Santa Sé. O Galicanismo francês foi a inspiração do Josefinismo, o contexto político foi o despotismo esclarecido, ou ilustrado, em pleno Iluminismo.

Filosofia, uma dentada de cada vez (50)

O que torna um homem mais livre?

O que torna um homem mais livre?

Já vimos que certos factores podem limitar a nossa liberdade interior: uma imaginação hiperactiva, ignorância, erros, emoções fortes (como o medo e a raiva) e uma vontade fraca. Também já vimos que, no entanto, essa liberdade torna-nos capazes de ultrapassar essas limitações. Uma pessoa pode forçar-se a fazer algo que não se sinta bem ao fazê-lo (tal como sair da cama de manhã, ser gentil com uma pessoa grosseira ou aborrecida, ou recuperar de um insucesso, etc.), é um sinal de que é realmente livre.

Paquistão

Fé cristã resiste entre muros e arame farpado

Fé cristã resiste entre muros e arame farpado

O arcebispo de Lahore (Paquistão) falou, na passada segunda-feira, à agência ECCLESIA sobre a violência contra os cristãos no Paquistão, que voltou a crescer nas últimas semanas.

D. Sebastian Shaw lamentou que no seu país, de maioria muçulmana, subsista uma cultura de «morte» contra quem é «diferente».

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – XLXIII

O Molinismo

O Molinismo

O termo “Molinismo” é uma designação usada para alusão ao sistema que se propôs reconciliar a Graça e a Livre Vontade (ou Livre Arbítrio). Este sistema, ou doutrina, foi desenvolvido pelo sacerdote jesuíta espanhol Luís de Molina (1535-1600), tendo depois sido adoptado no essencial pela Companhia de Jesus, com a devida controvérsia. Em geral, opõe-se à doutrina tomista (de São Tomás de Aquino, embora o termo tenha um sentido mais amplo) da graça, a qual era defendida pelo teólogo dominicano frei Domingo Báñez (1528-1604). Este, na senda tradicional da teologia escolástica (tomista), tentou harmonizar a graça e o livre arbítrio segundo os princípios de São Tomás de Aquino, também dominicano.

Família e Fé

A civilização da imagem

A civilização da imagem

Em certo país existia um quartel militar perto de uma aldeia. No meio do pátio desse quartel estava um banco de madeira. Era um banco simples, branco e sem nada de especial.

Junto desse banco estava um soldado de guarda. Fazia guarda de dia e de noite. Ninguém no quartel sabia porque se fazia guarda junto a esse banco. Os oficiais transmitiam a ordem e os soldados obedeciam. Ninguém duvidava ou perguntava. Era assim.

Filosofia, uma dentada de cada vez (49)

Que factores podem limitar a liberdade?

Que factores podem limitar a liberdade?

A liberdade “baseia-se na razão e na vontade” (Catecismo da Igreja Católica, 1731). No Ser Humano (ao contrário dos Anjos) estas duas capacidades não trabalham a sós – elas são condicionadas por outros factores. Deixem-nos falar desses factores.

Ignorância ou erro. Ignorância não é o mesmo que erro. A ignorância é a falta de conhecimento e a falta de informação. O erro, por outro lado, é causado por falta de julgamento. A ignorância é, em princípio, quando não se sabe se alguma coisa é encarnada ou azul; erro é quando, incorrectamente ou por engano, pensamos que algo é azul, quando de facto é encarnado.

O Nosso Tempo

Os papagaios de Deus

Os papagaios de Deus

O Papa Francisco no Chile e no Peru. Mais uma etapa, muito significativa, do grande caminheiro.

Referir-me-ei aqui apenas ao Chile. Em Santiago, Francisco falou da Igreja, à Igreja. E apelou ao não-clericanismo, tendo insistido, no encontro com os bispos, na necessária recusa duma concepção dos leigos como pertença de bispos e padres, ou seus empregados. E foi mesmo mais ousado, dizendo que os leigos não são papagaios (sic), mas pessoas livres de se exprimirem.

China

Autoridades investigam advogados que defendem cristãos

Autoridades investigam advogados que defendem cristãos

A fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) denuncia que as autoridades da província de Yunnan, no Sul da China, estão a investigar os advogados de cristãos “acusados” de terem ligações a uma igreja evangélica considerada “ilegal”.

Na informação enviada à agência ECCLESIA, o secretariado português da AIS explica que a Igreja “Three Grades of Servants” foi considerada como “seita” e, nesse contexto, “perigosa” pelos responsáveis do Partido Comunista Chinês.

Família e Fé

Para que serve a Filosofia?

Para que serve a Filosofia?

Não sabia como começar a aula. Os alunos não tinham paciência. Alguns nem sabiam o que essa palavra significava. A cadeira era para eles, no mínimo, uma seca.

“Filosofia, para quê? Se ao menos servisse para alguma coisa”, pensavam os alunos.

«– Vamos fazer um jogo. Eu pergunto e vocês respondem. Acham bem?», propôs o professor.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – XLXII

O Quietismo

O Quietismo

O século XVII é um século de espiritualidade. Religioso, místico. Mas é também de inquietação religiosa, doutrinal. Ou de quietação, por outro lado… de Quietismo: apesar da etimologia do termo, o movimento, ou tendência, que dá por este nome, provocou inquietação, discussão, tensão… O Quietismo foi um movimento místico que adveio no Sul da Europa – em particular em Espanha, também na França e na Itália, mas não só… – no século XVII, no seio da Igreja Católica, em plena aplicação e vivência da reforma católica tridentina. Na sua origem está Miguel de Molinos (1628-1696), um sacerdote e místico espanhol, que não se deve confundir com o jesuíta espanhol Luís de Molina (1535-1600), o “fundador” do Molinismo.