Category Archives: Eclesial

Teologia, Uma dentada de cada vez (19)

Quem escreveu a Bíblia?

Quem escreveu a Bíblia?

“Carta de Amor para os Homens” – É o que São João Crisóstomo (347-407) chamava à Sagrada Escritura. É nisso que acreditamos desde o tempo dos Apóstolos: Que a Bíblia vem de Deus.

O Catecismo da Igreja Católica (nº 105) diz-nos que Deus é o autor da Sagrada Escritura. “A verdade divinamente revelada, que os livros da Sagrada Escritura contêm e apresentam, foi neles registada sob a inspiração do Espírito Santo” (“Dei Verbum”, 11 – “Palavra de Deus”, 11).

O CIC acrescenta: “Com efeito, a santa Mãe Igreja, segundo a fé apostólica, considera como sagrados e canónicos os livros completos do Antigo e do Novo Testamento com todas as suas partes, porque, escritos por inspiração do Espírito Santo, têm Deus por autor, e como tais foram confiados à própria Igreja” (“Dei Verbum”, 11; João 20:31; 2 Timóteo 3:16; 2 Pedro 1:19-21; 3:15-16).

Último livro de Alexandre Havard, Fundador do virtuoso Leadership Institute

“Do temperamento ao carácter”

“Do temperamento ao carácter”

Temperamento e carácter em conjunto formam a personalidade humana.

O temperamento é a nossa predisposição natural e inata a reagir de determinada forma. É um dom da natureza e, no limite, um dom de Deus. O temperamento pode ser colérico ou melancólico, sanguíneo ou fleumático. Nascemos com o nosso temperamento e não podemos mudá-lo: morremos com as qualidades e os defeitos do nosso temperamento, mas é sobre esta base que forjamos o nosso carácter.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – XCIV

O antiteísmo – I

O antiteísmo – I

Já nestas páginas falámos várias vezes de Deísmo, uma concepção filosófica naturalista que defende a criação do universo por uma inteligência superior, a qual pode ser Deus (ou deuses), mas também pode não ser. Essa acção criadora exercera-se através da razão, do livre pensamento e da experiência pessoal, não através dos sistemas usados pelas religiões teístas como a revelação ou a tradição. Aqui surge uma vez mais o conceito de Teísmo, a crença na existência de deuses, seja um (monoteísmo), vários (politeísmo) ou um acima de todos os demais, supremo (henoteísmo). É uma crença, não uma religião, o suporte desta do ponto de vista da assunção da ideia de Deus(es). As religiões podem ser, assim, teístas, deístas ou panteístas, por exemplo, entre outras formas.

Um tema sempre actual

Filhos, para que vos quero?

Filhos, para que vos quero?

Pode parecer redundante, cansativa e monótona esta ideia fixa, mas nem sempre bem fixada, de insistir na importância da sublime missão da educação dos filhos. Porém, todos nós podemos desfrutar da beleza desta realidade espelhada e reflectida na sociedade ou, pelo contrário, sentirmo-nos agredidos, inquietados e desconfortados quando isso não acontece, em consequência da lacuna da sua ausência.

Teologia, Uma Dentada de Cada Vez (18)

E quanto à Bíblia?

E quanto à Bíblia?

O Primeiro Concílio do Vaticano define a Bíblia no capítulo dois da Constituição Dogmática “Dei Filius” (“Filhos de Deus”) como sendo uma colectânea de livros, os quais “foram escritos por inspiração do Espírito Santo, tendo Deus como seu autor, e como tal confiados à Igreja”.

Esta definição inclui duas importantes características:

1– A Bíblia procede do próprio Deus. As Sagradas Escrituras são uma carta de amor de Deus para os Homens, por intermédio do que se designou “Inspiração Divina” – graça que foi concedida a alguns homens para escreverem os conteúdos das Sagradas Escrituras. Deus falou com os Homens recorrendo à linguagem humana. Mais tarde falaremos sobre o que consiste esta inspiração.

2– A Bíblia foi entregue à Igreja como um “presente” para ser estimado, explorado, interpretado e transmitido aos outros.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – XCIII

O Evolucionismo Teísta – 4

O Evolucionismo Teísta – 4

Já aqui temos vindo a referir que a ideia da intervenção de Deus no processo da evolução surgiu no meio criacionista. Depois, há toda uma facção a negar, em nome da Ciência ou da Razão, mas não de forma clara e absoluta. Contudo, a visão que se oferece como a mais perigosa, e que temos vindo a analisar, é justamente a que tenta conciliar dois pensamentos que não fazem parte de uma mesma cosmovisão: o evolucionismo teísta. Esta constitui, de facto, uma tentativa de ser neutro e conciliar a cosmovisão bíblica cristã com a cosmovisão naturalista-empirista. É como uma tentativa de relativizar a questão, de criar um conceito politicamente correcto.

Teologia, Uma Dentada de cada Vez (17)

O que significa a Sagrada Tradição?

O que significa a Sagrada Tradição?

Da última vez vimos que a Tradição Apostólica é transmitida através da Sagrada Tradição e das Escrituras Sagradas (Compêndio do Catecismo da Igreja Católica nº 13). Primeiro deixem-nos analisar (discutir) a Sagrada Tradição. O que queremos dizer com a Sagrada Tradição?

O termo “Tradição” vem do Latim “traditio”, “entregando”, “entrega”. O termo “Tradição” não se refere a costumes ou práticas como rezar o Rosário ou fazer parte de procissões ou peregrinações.

Para que a banalização do mal não se torne numa constante

O Deus das Moscas

O Deus das Moscas

Prémio Nobel da Literatura 1983, publicado originalmente em 1954, “O DEUS DAS MOSCAS” é um dos romances mais rico e denso de interpretações, tão perturbador quanto fascinante, sempre disponível para se deixar ampliar em ricas e oportunas leituras, como é apanágio de um bom livro.

O seu autor, William Golding, inglês nascido na Cornualha, era professor de Ciências da Natureza e de Literatura Inglesa, dois ingredientes que, se à priori parecem ser antagónicos, nesta história exercem um efeito de complementaridade fascinante.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – XCII

O Evolucionismo Teísta – 3

O Evolucionismo Teísta – 3

A Bíblia é a Palavra de Deus viva, dada ao mundo pelo Criador do universo. Mas a descrição de como Ele criou o mundo pode não ser compatível com a teoria da evolução. Muitos defendem que tentar combinar os dois é como tentar combinar elementos incompatíveis, que não se misturam! Quando Charles Darwin (anglicano, mas tendencialmente agnóstico) e Alfred Wallace (espiritualista teísta) publicaram em 1858 acerca da teoria da evolução das espécies por meio da selecção natural, foram muitas as controvérsias nos meios científicos e religiosos, declarando-se uma absoluta incompatibilidade entre a concepção adâmica (Adão e Eva) da criação com a teoria da evolução. Mas alguns teólogos e cientistas defenderiam a compatibilidade teológica e científica entre criação e evolução, sustentando-se na ideia de que a teoria de Darwin proclamava uma origem comum do Ser Humano, enquanto alguns cientistas defendiam a poligénese e diferentes espécies humanas.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – XCI

O Evolucionismo Teísta – 2

O Evolucionismo Teísta – 2

O evolucionismo (ou evolução) teísta tem dois grandes objectos de análise. No primeiro objecto, procura definir se existe um Deus. Neste sentido, procura também determinar se Ele esteve ou não directamente envolvido no processo de origem da vida. Segundo esta visão, Deus pode ter estado na origem, na “construção”, na criação das leis naturais, talvez mesmo Ele tenha criado essas coisas com a ideia da vida em mente, questionam os adeptos desta tendência. Mas, nesses alvores da Criação, Deus afastou-se e deixou o processo seguir o seu próprio rumo e assumir a direcção. Deus deixou o mundo entregue a si próprio, fazer como tem feito, pelo que a vida surgiu, eventualmente, de matéria morta. Esta corrente é em tudo semelhante à evolução ateísta, pois ambas defendem, ou pressupõem, uma origem natural da vida.

Teologia, Uma dentada de cada vez (16)

TEOLOGIA, UMA DENTADA DE CADA VEZ (16)

A Bíblia diz-nos tudo o que precisamos saber?

Vimos anteriormente que Deus Se revelou totalmente com a chegada de Jesus. Também vimos que Jesus Cristo escolheu sucessores que pudessem continuar o Seu trabalho, ou seja, transmitir a revelação até ao fim dos tempos. Esses sucessores têm transmitido através dos séculos o que é chamado de “Depósito da Revelação”. O termo “depósito” é uma alegoria – chamemos-lhe assim – ao dinheiro que depositamos no banco para aí ficar guardado em segurança e produza juros (cresça).

Jesus Cristo confiou as verdades aos apóstolos e seus sucessores, para que estes as pudessem preservar e transmitir, e consequentemente as fizessem crescer. Os apóstolos e os seus sucessores (os bispos) têm pois a obrigação de as salvaguardarem e ensinarem. Esta responsabilidade é denominada como “Gabinete de Ensino” ou “Magisterium” (Magistério) da Igreja. A maioria das verdades reveladas entregues à Igreja, para que ela as preservasse e transmitisse, foram entregues por escrito (Sagradas Escrituras) e verbalmente (Tradição Sagrada).

Família e Fé

FAMÍLIA E FÉ

Viver juntos não ajuda a preparar o casamento

Viver juntos, antes do matrimónio, contribui para que o casamento seja muito mais frágil. Esta afirmação está bem estudada, documentada e certificada.

Qual é o motivo dessa maior fragilidade? Não existe no ambiente hodierno a ideia de que juntar-se é o melhor modo de preparar-se para o casamento?

Budziszewski, professor de Filosofia da Universidade do Texas, recorda que existe uma diferença essencial e radical entre casar-se e juntar-se.

«O que procuram as pessoas que se casam é precisamente isso: adquirir um compromisso para sempre. Pelo contrário, o que procuram as pessoas que se juntam é diametralmente oposto: não ter nenhum compromisso, pelo menos para já».

Teologia, Uma Dentada de Cada Vez (15)

O que significa a Revelação Sobrenatural?

O que significa a Revelação Sobrenatural?

REVELAÇÃO NATURAL– Vimos como podemos reconhecer Deus usando o nosso raciocínio. Deus mostra-Se ou revela-Se por meio das coisas que Ele criou, assim como um pintor comunica os seus sentimentos e sensações pelas suas obras. Daí o termo “revelação natural”. Apesar disso, não podemos conhecer muito mais do que um pouco devido às limitações do nosso conhecimento. É-nos possível saber que um pintor existe quando vemos as suas pinturas. Através do seu trabalho também nos é possível conhecer os seus interesses, ou inclinações, e ainda podemos saber muito mais se com ele pudermos conversar directamente. Isto é o que significa a revelação natural.

Ecumenismo

ECUMENISMO

Igreja Ortodoxa da Ucrânia vê independência reconhecida

O patriarca ecuménico Bartolomeu assinou, no passado Domingo, em Istambul, o “tomos” (decreto) que concede a independência à Igreja Ortodoxa da Ucrânia.

A cerimónia foi precedida por uma Divina Liturgia celebrada pelo clero do Patriarcado Ecuménico de Constantinopla com o clero da Igreja Ortodoxa da Ucrânia.

A Missa da Epifânia, na igreja ortodoxa de São Jorge de Istambul, Turquia, contou com a presença do Presidente ucraniano Petro Poroshenko e vários representantes do Governo do País.

Com a concessão da autocefalia, a Igreja da Ucrânia passa a ser a 15ª Igreja ortodoxa.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – XC

O Evolucionismo Teísta – 1

O Evolucionismo Teísta – 1

O evolucionismo teísta, ou evolução teísta, é um dos três grandes pontos de vista sobre a origem da vida que se colocam a par, ou em colisão, com a Igreja e a sua doutrina sobre a origem da vida. As outras abordagens são o evolucionismo ateísta (ateu), (também conhecido como Darwinismo) e a criação especial. Para a Igreja Católica, como se sabe, Deus é o criador que dá a vida a todos os seres vivos, conferindo ao ser humano um lugar especial, o que o dota de uma dignidade intrínseca à própria humanidade criada por Deus. Deus imprime no coração de cada pessoa uma “lei natural”, que deve ser a matriz para a orientação da conduta dos seres humanos. Por um simples acto da sua vontade, Deus fez, criou, o mundo – a partir do nada, pois, no princípio, só Ele (que é Eterno) existia. Mas vejamos as Fontes…