Category Archives: Eclesial

Filosofia, uma dentada de cada vez (59)

O que Descartes disse mais?

O que Descartes disse mais?

René Descartes (1596-1650) queria acabar com todo o cepticismo e construir um corpo de conhecimento do qual não pudesse haver dúvidas. Propôs um método que ironicamente começa com a dúvida. Isto não significa que na realidade ele de facto não duvidasse, mas como forma de procedimento ou método decidiu que em primeiro lugar iria eliminar todas as fontes de dúvida possíveis. É por isso que a intensão de Descartes é conhecida como a “dúvida metódica”.

Quais são as possíveis fontes de dúvida? Descartes nomeou três, que são todas extra-mental (isto é, exteriores à sua própria mente).

Recital na Basílica da Santíssima Trindade

Andrea Bocelli canta pelo Centenário de Fátima

Andrea Bocelli canta pelo Centenário de Fátima

Andrea Bocelli actua na Basílica da Santíssima Trindade, no próximo dia 13 de Maio, num recital de Acção de Graças pelo Centenário de Fátima.

Um ano depois de Fátima se ter despedido do Papa Francisco, após a canonização de Francisco e Jacinta Marto, momento que emocionou Portugal e o mundo cristão e selou as celebrações do Centenário das Aparições, o tenor italiano visitará Fátima, brindando os peregrinos com a sua música.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LXI

O Cristianismo Iluminado II

O Cristianismo Iluminado II

O Cristianismo Iluminado, na sua matriz católica, não deixou de se afirmar culturalmente. A sua elitização radica também na tendência, por parte de muitos clérigos que a ele aderiram, de se afirmarem através de uma erudição teológica. Ou seja, no afinco com que publicaram livros de teologia e estudos eclesiásticos em geral, com destaque para as Sagradas Escrituras e filosofia, para formação de pregadores.

O esforço de renovação que se pretendia impor passava pela cultura e formação teológica. Novos manuais ou obras referenciais impunham-se na pedagogia reformista.

Família e Fé

A escravidão da preguiça

A escravidão da preguiça

Na parede do armazém estava afixado um cartaz com a seguinte inscrição: “Que bom é não fazer nada. E depois de não fazer nada, descansar”.

Acompanhava tal conselho uma fotografia de um rosto despreocupado, tranquilo e com um sorriso de orelha a orelha. Era um convite a não preocupar-se com a vida, a deixar as coisas andarem por si. No fundo, era um apelo a anestesiar qualquer ânsia insensata e vergonhosa de trabalhar.

Mensagem de Páscoa do Herdeiro do Trono Britânico

Príncipe de Gales realça os cristãos perseguidos

Príncipe de Gales realça os cristãos perseguidos

A situação dos cristãos perseguidos no mundo foi o tema central da mensagem de Páscoa deste ano do Príncipe de Gales, divulgada pela Fundação Ajuda à Igreja que Sofre.

De acordo com a organização católica dependente da Santa Sé, o príncipe Carlos, herdeiro da Coroa Britânica, salientou na sua habitual mensagem para o tempo pascal todos quantos hoje são obrigados a “fugir por causa da sua fé” e para “salvarem as suas vidas”, sobretudo no Médio Oriente.

Filosofia, uma dentada de cada vez (58)

A dúvida é uma opção válida?

A dúvida é uma opção válida?

A Filosofia Ocidental iniciou-se com os pensadores gregos do século V a.C. Como vimos, a Filosofia começa quando perguntamos “porquê”. Era este o tema que os pensadores gregos discutiam: o “porquê” ou as causas das coisas, a “arche”.

Com o continuar da discussão apareceu um grupo que não estava muito interessado em encontrar a verdade. Estava apenas concentrado na arte da discussão, da retórica, do “discurso bonito” que terminasse com um final que convencesse os outros, e a alcançar as suas ambições pessoais. Deste modo, podemos verificar que o discurso politicamente correcto não nasceu nos nossos dias, assim como a ideia da “pós-verdade”.

Família e Fé

O camponês e o burro

O camponês e o burro

Era uma vez um camponês que tinha um burro. Certo dia, o animal caiu num poço e não conseguia sair de lá. O camponês tentou várias vezes libertar o burro, mas nada alcançou.

Pediu ajuda a uns amigos. Nada!

Todos os esforços pareciam inúteis.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LX

O Cristianismo Iluminado I

O Cristianismo Iluminado I

O século XVIII é um dos mais fecundos tempos da História da Igreja e do Cristianismo em geral. Fecundo em irrupção de movimentos de tendência nacional, galicana, do ponto de vista institucional, mas também de movimentos de cariz espiritual e filosófico. Estes são produto das Luzes, a que se chama também Iluminismo ou Ilustração. Os movimentos, ou tendências, de carácter institucional são já próprios do Absolutismo, o grande sistema político da época das Luzes. Ambos se fundem por vezes, ambos colidem. Mas em tudo isto, surgiu um Cristianismo Iluminado, uma forma de adaptação religiosa aos ventos deístas e racionalistas que surgiram. Ou de ruptura e choque, por outro lado. Tudo mudaria, na Igreja Católica como nos demais ramos do Cristianismo.

Filosofia, uma dentada de cada vez (57)

Como podemos estar seguros?

Como podemos estar seguros?

Já vimos que a verdade se baseia na existência de algo, em coisas reais, no que é real. Quando somos confrontados com a realidade, por causa da nossa liberdade, podemos responder a esse facto [essa realidade] no mínimo de três maneiras; podemos ter três diferentes atitudes. Estar certo, ter uma opinião ou duvidar. Vejam bem que enquanto a verdade se refere ao “estado das coisas” (a forma como as coisas são), estas três referem-se a diferentes “estados de espírito” (o que pensamos sobre esse facto).

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LIX

A Igreja e a Revolução Francesa

A Igreja e a Revolução Francesa

A Revolução Francesa (1789-1799) marca um dos períodos mais difíceis para a história da Igreja Católica. Pode-se dizer que as suas consequências são profundas e demoraram a esvanecer-se. Tudo mudou a partir daqueles tempos, nada ficou como era. A tradição, o Antigo Regime, a velha Europa e a Igreja, como foi desenhada em Trento (concílio entre 1543 e 1565), tremeram e foram ameaçadas. O tempo das “coisas novas” advinha, embora nascido de forma turbulenta e sangrenta, em tempos dilacerantes e ameaçadores. Os ideais iluministas da Revolução Francesa não combinaram, de imediato, nos ideais da Igreja e da sociedade em geral. O sentimento anticlerical e, acima de tudo, anti-religioso, eram marcas da Revolução. Foram postos em prática de forma abrupta muitas vezes, quando não de maneira violenta.

Família e Fé

A beleza da temperança

A beleza da temperança

Oxalá tudo aquilo que eu tocasse se transformasse em ouro – desejou ardentemente um rei mitológico. E o maravilhoso dom foi-lhe concedido pelo génio.

Porém, a vida não correu como o velho monarca tinha sonhado. Tudo o que tocava se convertia em ouro – também a comida e a bebida que, desesperadamente, tentava engolir.

Filosofia, uma dentada de cada vez (56)

A verdade ainda importa?

A verdade ainda importa?

A verdade ainda importa? Ainda é importante? Um autor lamentava-se que tínhamos entrado numa “era de pós-verdade”.

“Houve tempos em que tínhamos ao mesmo tempo verdades e mentiras. Agora temos verdades, mentiras, e declarações que podem não ser verdadeiras mas que consideramos tão benignas (sem importância) que não as chamamos de falsas. Os eufemismos abundam”, escreveu Ralph Keyes, o autor de “The Post-Truth Era: Dishonesty and Deception in Contemporary Life” (“A Era da Pós-Verdade: Desonestidade e Decepção [fraude, desilusão] na Vida Contemporânea”).

Internacional

Secretário-geral da ONU elogia «pontificado admirável» de Francisco

Secretário-geral da ONU elogia «pontificado admirável» de Francisco

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, elogiou o «pontificado admirável» do Papa Francisco, eleito em Março de 2013, e considera que estes cinco anos geraram um «dinamismo extraordinário» na Igreja Católica.

O responsável português falava ao portal de notícias do Vaticano, “Vatican News”.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LVIII

O Iluminados

O Iluminados

Mais famosos sob a designação de “Illuminati”, os Iluminados que hoje aqui tratamos são o grupo mais importante que despontou com este nome. Também conhecidos como Iluminados da Baviera, em ordem à região onde surgiram, em 1 de Maio de 1776, eram uma sociedade secreta aparecida no contexto do Iluminismo. A Sociedade foi fundada por Adam Weishaupt, católico de formação, mas cedo apaixonado por orientações mais libertárias. De referir que dos vários grupos que surgiram sob esta designação, efémeros ou restritos, sem rasto, muitos serão provavelmente fictícios, não deixando de alimentar anacronicamente o imaginário de tempos vindouros.

Família e Fé

O sentido genuíno do trabalho

O sentido genuíno do trabalho

Um dos problemas mais “espinhosos” da actualidade é a conciliação entre trabalho e família. Parece um dilema profundo de difícil resolução.

Para as mulheres esse dilema pode-se expressar mais ou menos assim: “Ou trabalhas ou tens filhos. Ou te dedicas à tua carreira profissional ou cuidas do teu lar”.