Jornal O Clarim

Semanário Católico de Macau

Como é que nós respondemos?
Eclesial Todas as Categorias

TEOLOGIA, UMA DENTADA DE CADA VEZ (26)

Como é que nós respondemos?

Quando alguém se nos apresenta, como é que nós respondemos? A acção mais educada é a de reconhecer a sua presença, talvez com um aperto de mãos e dizendo “como está?”.

Pela Revelação (a qual se encontra nas Sagradas Escrituras e na Sagrada Tradição), Deus apresenta-se, Ele próprio, a nós. Pela fé sobrenatural, reconhecemos a Sua presença e respondemos-Lhe.

FÉ HUMANA

Em FILOSOFIA, UMA DENTADA DE CADA VEZ, nº 3, discutimos o sentido de “Fé”. Começámos por descrever o que é a fé humana, e vimos como é importante para a nossa vida quotidiana. Isto é, porque a fé significa a aceitação da palavra de alguém, mesmo se nós próprios não tenhamos testemunhado pessoalmente os factos de que Ele nos fala. Acreditamos no que os nossos pais nos dizem sobre nós próprios, acreditamos no que os professores nos ensinam, os patrões têm que acreditar nos relatórios dos seus subordinados, os homens de negócios acreditam na palavra dos seus clientes e “vice-versa”.

Sem a fé humana não poderíamos viver plenamente a vida, porque estaríamos continuamente a tentar verificar o que as outras pessoas nos dizem. Não aprenderíamos muito, se baseássemos os nossos conhecimentos apenas no que observássemos, ou no que o nosso intelecto pudesse descobrir.

FÉ SOBRENATURAL

Não são apenas os seres humanos que nos falam. «Muitas vezes e de muitos modos, falou Deus aos nossos pais, nos tempos antigos, pelos profetas. Nestes dias, que são os últimos, Deus falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e por meio de quem fez o mundo (Hebreus 1:1-2)».

Como no caso da fé humana, somos livres de aceitar ou rejeitar o que Deus disse. A fé é a aceitação da Palavra de Deus, que nos chega através das Sagradas Escrituras e da Sagrada Tradição, preservada e ensinada pelo Magistério da Igreja Católica.

O ponto nº 25 do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica pergunta: “Como responde o homem a Deus que se revela?”. E dá a resposta: “Sustentado pela graça divina, o homem responde a Deus com a obediência da fé, que consiste em confiar-se completamente a Deus e acolher a sua Verdade, enquanto garantida por Ele, que é a própria Verdade”.

O que é a fé? A palavra “Fé” (em Grego “pistis”, e em Latim “fides”) tem dois significados, um objectivo e outro subjectivo.

Em termos objectivos, a fé refere-se a coisas em que se acredita. Quando Deus nos fala (Revelação) fornece-nos dados sobre Ele próprio, sobre o mundo, e sobre nós próprios. A fé, em sentido objectivo, aborda esses factos. Assim, quando dizemos “a Fé” estamos a falar sobre os conteúdos e objectos da nossa crença. No entanto, a palavra “Fé” também possui um sentido subjectivo (por “subjectivo” queremos dizer que tal se encontra no sujeito ou na pessoa, e não nas verdades ou factos em que se acredita). Num outro sentido, refere-se ao hábito ou virtude pela qual alguém aceita as verdades ou realidades reveladas por Deus. E isto é o que iremos aqui discutir.

Em ambos os casos, a fé não tem nada a ver com os sentimentos. Os sentimentos aparecem e desaparecem, crescem e diminuem.

A FÉ HUMANA COMPARADA À FÉ SOBRENATURAL

Podemos mostrar duas diferenças entre a fé humana e a fé sobrenatural. A fé humana tem muito mais a ver com a informação transmitida pelos nossos pais, professores, amigos, pela Comunicação Social, etc. A fé sobrenatural, por outro lado, refere-se às coisas que Deus nos transmitiu.

A fé humana apoia-se na nossa habilidade de discernir sobre o que nos é transmitido por outra pessoa. Já a fé sobrenatural também envolve o discernimento humano e necessita do nosso raciocínio, o qual, como diz o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, é “suportado pela Divina Graça”.

Pe. José Mario Mandía

LEAVE A RESPONSE

Your email address will not be published. Required fields are marked *