Jornal O Clarim

Semanário Católico de Macau

Padre Steve Bevans
Destaque Todas as Categorias

Cinco anos do Pontificado de Francisco

Padre Steve Bevans fala de «novo espírito na Igreja».

«Tem sido maravilhoso. Há um novo espírito na Igreja. Julgo que é o que a Igreja e o mundo precisam», disse a’O CLARIM o padre Steve Bevans, a propósito da palestra “Papa Francisco: Os Primeiros Cinco Anos”, que proferiu na passada terça-feira no auditório do Seminário de São José.

Durante o evento falou particularmente do «entendimento que o Sumo Pontífice tem sobre a inculturação», o que «põe em realce muito outros aspectos». Nesse sentido – conforme nos realçou à margem do evento – «a avaliação que faço do seu trabalho é exactamente aquilo que a Igreja e o mundo são: maravilhosos».

Reconhecendo que há pessoas a minarem o trabalho do Papa Francisco, inclusivamente no seio da Cúria Romana, o que considerou ser «uma vergonha», o padre norte-americano confessou-se chocado, porque «essas são as pessoas que dizem: “temos que ter total lealdade para com o Papa”, mas quando ele não faz o que querem então já não são leais».

No seu entender, tal nunca aconteceu no tempo do Papa João Paulo II e do Papa Bento XVI. «Se as pessoas mais liberais fossem mais hesitantes sobre o que ambos faziam é certo que ficariam muito chateadas, dizendo: “como podem ser assim? Isso é contra o Santo Padre”». Por outras palavras, é algo que o padre Steve Bevans considera ser «muito irónico».

«A principal razão para tais comportamentos tem a ver com uma visão limitada que têm da Igreja, pois pensam que é o mais apropriado para o mundo, em vez fazerem algo como devia ser para um mundo simples, com a presença de um novo espírito e com o trabalho de Deus para todo o tipo de pessoas, e não apenas para as religiosas ou católicas», notou.

Nesta linha de ideias, o sacerdote dos Missionários do Verbo Divino acentuou que «o Papa Francisco é fortemente contra o clericarismo e o carreirismo», acrescentando que «muitos desses homens parecem estar mais interessados nas suas carreiras», razão pela qual «estão descontentes».

Embora admita que a credibilidade da Igreja Católica tenha ficado «muito comprometida» nos últimos anos, sendo disso exemplo os casos de abusos sexuais que vieram a lume «um pouco por todo o mundo», vincou que o Papa Francisco tem tido uma «abordagem corajosa para lidar com este e com outros problemas», ao mesmo tempo que «está menos preocupado com a Igreja [como instituição]», visto que a sua prioridade «são as pessoas».

A palestra foi organizada pela Faculdade de Estudos Religiosos da Universidade de São José.

PEDRO DANIEL OLIVEIRA

pedrodanielhk@hotmail.com

LEAVE A RESPONSE

Your email address will not be published. Required fields are marked *