Mini-Encontro para atrair jovens

Casas de Macau ambiciosas na América do Norte

Mini-Encontro para atrair jovens.

A Casa de Macau Club Vancouver e a Casa de Macau USA estão a envidar esforços para organizar, no próximo ano, um mini-Encontro dos macaenses na Costa Oeste da América do Norte, com o intuito de atrair mais jovens da diáspora para a participação associativa de ambas as instituições.

«Estou a tentar fazer algo para construir a comunidade. Estamos a ficar velhos e pretendemos, não só ter mais jovens, como também chegar a outras Casas para haver mais comunicação e inter-ligação, digamos, na Costa Oeste da América do Norte – Vancouver e Califórnia», disse a’O CLARIM Francis da Costa, presidente da Casa de Macau Club Vancouver.

«Começámos com esta ideia de falar com as Casas e ver como podemos começar. Talvez no próximo ano as pessoas de Vancouver aluguem um ou dois autocarros e se desloquem à Califórnia para um mini-Encontro na Costa Ocidental, intercalado com o real Encontro [em Macau]. Estamos a falar com outras Casas e ver como poderemos fazê-lo», sustentou, assegurando que a Casa de Macau USA está interessada em avançar com a iniciativa.

Para Francis Costa, Macau está longe e a ajuda não é imediata; daí a necessidade de organizar os mini-Encontros entre as Casas mais próximas, acrescentando que a ideia é chegar mais longe e envolver também as duas Casas de Macau no Brasil.

O presidente da Casa de Macau USA, Henrique Manhão, confirmou a intenção de se realizar o mini-Encontro na Costa Oeste, realçando ainda que, a nível da sua colectividade, foi preciso esperar trinta anos para conseguir apoio para a difusão da língua portuguesa na Califórnia.

«Consegui através da Fundação Oriente, do Instituto Camões, do IPOR, da Fundação Jorge Álvares, do senhor José Luís da Silva e do cônsul de Portugal em São Francisco, doutor Nuno Mathias. Temos lições de Português há mais de dois anos. Começámos também com o Mandarim no Centro Cultural de Macau», descreveu.

Sérgio Rui de Pina, presidente da Macau Cultural Association (Vancouver), ainda não tinha sido consultado sobre o mini-Encontro até à cerimónia de abertura do 5º Encontro das Comunidades Macaenses, realizado no passado Domingo, mas a’O CLARIM disse estar receptivo a participar, por ser uma «iniciativa muito positiva».

No entanto, realçou que «o Conselho [Permanente das Comunidades Macaenses] está sempre metido no assunto, por ser a entidade que tem feito maior esforço para criar a comunicação entre as Casas e Macau, e fomentado uma participação nova da parte dos jovens».

PEDRO DANIEL OLIVEIRA

pedrodanielhk@hotmail.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *