MUSEU DO SEMINÁRIO DE SÃO JOSÉ É HOJE INAUGURADO

Museu do Seminário de São José é hoje inaugurado

Romagem e turistas.

O Museu do Seminário de São José é hoje oficialmente inaugurado, passando a estar aberto ao público a partir de amanhã. O projecto contou com a colaboração do Instituto Cultural.

O padre Jojo Ancheril disse a’O CLARIM que o museu, constituído por oitos salas, divididas entre o rés-do-chão e o primeiro andar, será um ponto de visita para turistas e de romagem para fiéis, visto haver muitos peregrinos que acorrem à igreja do Seminário de São José, onde está exposta a relíquia de São Francisco Xavier.

«É uma forma de potenciarmos o turismo religioso. Do ponto de vista da Igreja estamos a mostrar a História de Macau e da Igreja Católica, no sentido de que desde que os missionários vieram para cá muito tem sido feito em prol da sociedade de Macau», explicou o administrador do Seminário de São José, acrescentando viver um «momento feliz» por ser o culminar de «dezasseis anos de trabalho».

As obras de arte fazem parte do acervo da diocese de Macau, sendo provenientes do Seminário de São José e de várias igrejas do território. «Alguns objectos datam de há duzentos ou trezentos anos. Foram trazidos por missionários de Portugal ou de outras partes do mundo. Conseguimos preservar estes objectos e, com orgulho, podemos ver a relação entre a Igreja Católica e a sociedade de Macau», descreveu.

Numa nota enviada a’O CLARIM D. Stephen Lee, bispo de Macau, elogiou o esforço conjunto entre a Diocese e o Instituto Cultural, que «tem tido grande vontade em preservar e proteger o legado cultural», sendo «este museu um bom exemplo disso mesmo».

«Estamos também agradecidos a todos os missionários e pessoas que ao longo de três séculos já passaram por esta formação. Diferentes nacionalidades com diferentes culturas e costumes enriqueceram a sociedade de Macau», vincou.

«A Igreja Católica em Macau está em dívida para com vários departamentos governamentais pela sua constante ajuda e apoio. E nós próprios estamos empenhados em preservar e proteger, mais e mais, o legado cultural e religioso de Macau», sublinhou ainda.

Lilian Chan, investigadora do Museu de Macau, é a curadora do museu, enquanto Carlos Estorninho foi o responsável pela concepção artística do mesmo.

O espaço estará aberto ao público todos os dias da semana, feriados incluídos, entre as 10 horas e as 17 horas, excepto às quartas-feiras. A entrada é livre.

PEDRO DANIEL OLIVEIRA

pedrodanielhk@hotmail.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *