Jornal O Clarim

Semanário Católico de Macau

Levantamento das verbas do regime de previdência central não obrigatório (I)
Local Todas as Categorias

Conhecer as Leis de Macau

Levantamento das verbas do regime de previdência central não obrigatório (I)

A Lei n.º 7/2017 (Regime de previdência central não obrigatório) entrou em vigor no dia 1 de Janeiro do corrente ano. Previamente, já tínhamos apresentado o conteúdo sobre o plano contributivo do regime de previdência central não obrigatório, a articulação entre os planos privados de pensões e o regime de previdência central não obrigatório, e a afectação das contribuições à respectiva aplicação, entre outros. No artigo de hoje, iremos debruçar-nos sobre as normas que regulam o “levantamento das verbas”.

Por norma, as verbas só podem ser levantadas quando o titular da conta individual tiver completado 65 anos de idade. Os titulares que ainda não tenham completado 65 anos só podem requerer o levantamento das verbas caso se situem em qualquer uma das situações abaixo descritas, sendo que o montante máximo que pode ser levantado também irá depender da razão apresentada:

1) Se o titular da conta tiver completado 65 anos de idade, o montante máximo que pode levantar corresponde ao valor total ou parcial do saldo da sua conta individual.

2) Se o titular da conta não tiver completado 65 anos de idade, o montante máximo que pode levantar corresponde ao valor total ou parcial do saldo da sua conta individual, quando o titular:

  1. a) Incorrer em despesas elevadas para diagnóstico e tratamento médico devido a lesões corporais graves ou doença grave próprias;
  2. b) Tiver completado 60 anos de idade e não exercer nenhuma actividade remunerada;
  3. c) Invocar razões humanitárias ou outras devidamente fundamentadas.

3) Se o titular da conta não tiver completado 65 anos de idade, o montante máximo que pode levantar corresponde ao valor acumulado do regime distributivo, quando o titular:

  1. a) Incorrer em despesas elevadas para diagnóstico e tratamento médico devido a lesões corporais graves ou doença grave do seu cônjuge, parente ou afim em qualquer grau da linha recta;
  2. b) Estiver a receber a pensão de invalidez do Fundo de Segurança Social há mais de um ano;
  3. c) Estiver a receber o subsídio de invalidez especial do Instituto de Acção Social.

Na próxima semana continuaremos a apresentar as normas atinentes ao levantamento das verbas do regime de previdência central não obrigatório.

Obs.: Na elaboração do presente artigo, teve-se como principal referência a Lei n.º 7/2017 (Regime de previdência central não obrigatório) e o Regulamento Administrativo n.º 33/2017 (Disposições complementares do regime de previdência central não obrigatório).

Texto fornecido pela Direcção dos Serviços de Assuntos de Justiça

LEAVE A RESPONSE

Your email address will not be published. Required fields are marked *