Ecologia

Bispos dos cinco continentes em defesa do Ambiente

Bispos dos cinco continentes em defesa do Ambiente

Presidentes de seis confederações continentais das Conferências Episcopais católicas assinaram em Roma um documento conjunto, em defesa de acções políticas e da comunidade internacional contra os efeitos das alterações climáticas.

D. Gabriel Mbilingi, arcebispo do Lubango (Angola) e presidente do Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagáscar (SECAM), um dos signatários, explicou à Agência ECCLESIA que o objectivo do documento é dar um «contributo» ao debate em curso, apelando ao «cuidado da terra, ao cuidado das pessoas e da sociedade».

«O grito da terra, da mãe terra, em relação ao uso que dela fazemos e até à destruição que está em curso, é equivalente ao grito que vem da humanidade, da sociedade que precisa de ser também ela acordada, para que não se cometa este suicídio», sublinhou.

A declaração foi assinada, em Roma, no passado dia 26 de Outubro. Os responsáveis católicos pedem aos políticos que trabalhem por uma implementação ambiciosa do Acordo de Paris, de 2015.

O documento tem em vista a próxima conferência da ONU sobre mudanças climáticas, a COP24, que decorre em Katowice, Polónia, em Dezembro deste ano.

Os responsáveis da América Latina, Ásia, África, Oceânia e Europa pedem que os “grandes emissores de gases com efeito estufa assumam responsabilidades políticas e atendam aos compromissos de financiamento climático”.

Entre os pontos centrais da proposta estão a limitação do aquecimento global a 1,5 graus celsius; a adopção de estilos de vida sustentáveis; o respeito pelas comunidades indígenas; ao fim da era dos combustíveis fósseis, com transição para formas renováveis de energia; a reforma do sistema agrícola, para um fornecimento saudável e acessível de alimentos para todos.

A declaração tem o apoio das redes católicas CIDSE, Caritas Internationalis e Movimento Católico Global pelo Clima.

«Precisamos de ver uma transformação nas negociações climáticas de Katowice. Podemos salvar o planeta e aqueles que sofrem o maior risco de impacto das condições climáticas extremas, mas precisamos da vontade política para tornar isso uma realidade», disse Michel Roy, secretário-geral da Caritas Internationalis.

In ECCLESIA

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *