Category Archives: Eclesial

Abusos na Igreja Católica

Jovens pedem “tolerância zero”

O documento de trabalho da próxima assembleia do Sínodo dos Bispos, divulgado na passada terça-feira pelo Vaticano, sublinha a preocupação das novas gerações com a implementação da “tolerância zero” para abusos sexuais e económicos na Igreja Católica.

Estes casos, assinala o texto, minam a credibilidade da instituição, que sofre ainda com a “falta de preparação dos ministros ordenados” para trabalhar com os jovens e a dificuldade de apresentar as suas posições doutrinais e éticas à sociedade contemporânea.

Filosofia, uma dentada de cada vez (69)

E qual é a Ética da Situação?

E qual é a Ética da Situação?

O que acontece quando ignoramos o objecto da acção (finis operis)? Se ignorarmos a moral da acção em si, então teremos que contar com a nossa boa intenção (ver FILOSOFIA, UMA DENTADA DE CADA VEZ, nº 66) ou nas circunstâncias para julgarmos o valor moral da nossa acção. Ao contarmos apenas com esses dois factores podemos cair no que é chamado de “Ética da Situação”, “Consequencialismo” e “Proporcionalismo”.

A Ética da Situação ensina-nos que uma situação ou as circunstâncias circundantes do acto determinam se o acto é bom ou mau. Isto também é denominado por “ética circunstancial”.

Papa nomeou visitador apostólico para a Paróquia de Medjugorje

D. Henryk Hoser

D. Henryk Hoser, de graça em graça.

No passado dia 31 de Maio, o Papa Francisco nomeou o arcebispo-emérito de Varsóvia-Praga, D. Henryk Hoser, visitador apostólico de carácter especial para a paróquia de Medjugorje, por tempo indeterminado. A missão do visitador apostólico tem por finalidade assegurar um acompanhamento estável e contínuo da comunidade paroquial de Medjugorje e dos fiéis que para lá se dirigem em peregrinação, e cujas necessidades requerem uma particular atenção. Trata-se de um cargo exclusivamente pastoral, em continuidade com a missão de enviado especial da Santa Sé para a paróquia de Medjugorje, confiada a D. Hoser, no dia 11 de Fevereiro de 2017, e por ele concluída nos últimos meses.

Filosofia, uma dentada de cada vez (68)

E quanto às acções com consequências múltiplas?

E quanto às acções com consequências múltiplas?

Já vimos que a bondade ou a maldade de um facto é baseada na própria acção (finis operis), na intenção do executante (finis operantis) e nas circunstâncias envolventes do acto.

No entanto, a vida é complexa. Os nossos actos dão origem a outros efeitos, bons ou maus, alguns deles não intencionais. Muitas das nossas acções têm consequências múltiplas. Que critérios devemos seguir para julgar tais casos?

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LXX

O Movimento de Oxford

O Movimento de Oxford

Retorno à Igreja Católica, ou movimento de reforma da Igreja Anglicana e de renovação na Igreja Católica em Inglaterra? Muitas questões se levantam em redor a este movimento, que aproximou os anglicanos da Igreja Católica, em alguns casos mais do que seria de esperar. Mas acima de tudo, é talvez o primeiro marco de aproximação das duas Igrejas, chamemos assim, importante para cada uma delas, mas sem dúvida um influxo de vitalidade e de capacidade de atracção da Igreja Católica em tempos de dificuldades, laicização e de questão social fracturante. O designado “Movimento de Oxford” é uma corrente de pensadores anglicanos que se dispuseram a estudar as origens do Cristianismo e, em grande parte, se converteram à Igreja Católica no período de 1833 a 1845. Entre todos sobressai a figura de John Henry Newman (1801-1890), que, convertido em 1845, tornar-se-ia cardeal da Igreja Católica em 1879.

Mundial de Futebol na Rússia

Papa fala em «oportunidade de encontro» entre culturas e religiões

Papa fala em «oportunidade de encontro» entre culturas e religiões

O Papa Francisco enviou, na passada quarta-feira, uma mensagem a todos os que vão participar no Mundial de Futebol da Rússia e aos adeptos, desejando que o campeonato seja uma «oportunidade de encontro» entre culturas e religiões.

«Que esta importante manifestação desportiva se possa tornar uma ocasião de encontro, de diálogo e de fraternidade entre culturas e religiões diferentes, favorecendo a solidariedade e a paz entre as nações», disse no final da audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro.

Família e Fé

Exercer a autoridade

Exercer a autoridade

«– Uma senhora veio ao meu consultório com a sua filha de sete anos, que tinha uma irritação na garganta. Como a rapariga não abria a boca, fiz um sinal com a cabeça à senhora para que, com a sua autoridade materna, me facilitasse a minha missão médica.

“– Querida, o doutor necessita ver a tua garganta. Não te importas de abrir a boca? Depois da consulta, prometo comprar-te um gelado”.

Internet e Redes Sociais

Papa pede respeito pelos outros

Papa pede respeito pelos outros

O Papa dedicou à Internet e às redes sociais a sua intenção de oração do mês de Junho, pedindo que estes espaços virtuais sejam marcados por relações de respeito e amizade.

«Que a Internet não seja um lugar de alienação. Que seja um lugar concreto, um espaço rico em humanidade. Peçamos juntos para que as redes sociais não anulem a própria personalidade, mas que favoreçam a solidariedade e o respeito pelo outro na sua diferença», refere Francisco, num vídeo divulgado pela Rede Mundial de Oração do Papa.

Filosofia, uma dentada de cada vez (67)

Quais são os motivos e circunstâncias relacionados com a Santidade?

Quais são os motivos e circunstâncias relacionados com a Santidade?

O objecto da acção (finis operis), a intenção (ou motivo – finis operantis) e as circunstâncias, são os três elementos de uma acção que precisamos de examinar de modo a podermos julgar se um acto é bom ou não. Este facto tem algumas implicações na nossa vida espiritual. Muitas vezes, os três elementos são utilizados para analisar a gravidade de más acções, mas muitas outras vezes deixamos de os usar na avaliação das boas acções.

Do ponto de vista da Fé, somos chamados não apenas a evitar o mal ou a tentarmos ser pessoas “decentes” ou “agradáveis” (simpáticas – amáveis). Nós, cristãos, somos chamados para uma vida de santidade.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LXIX

A Questão Social – III

A Questão Social – III

A história da caridade e da generosidade é uma das marcas mais fascinantes do século XIX. E é a marca de água da Igreja desses “tempos de chumbo”, de dificuldades, de pobreza e doença, fome e guerra. É por tudo isso, e na forma de resposta, a época da criatividade da Igreja, por excelência. Se no embate ideológico e teórico, os ganhos foram reduzidos e as feridas abertas ficaram mais dolorosas, nas respostas pragmáticas e activas a Igreja mostrou criatividade e assertividade, mitigando o sofrimento e honrando-o, humanizando as formas de o aplacar e de respeitar o ser humano. Nunca a Igreja foi tão eficaz na criação de soluções, passando para além dos problemas e das discussões. Mesmo com a secularização e laicização, com a redução do número de cristãos, a Igreja reinventou-se e criou forças e energias para assumir a luta contra a miséria e contra o outro lado da moeda do progresso…

Família e Fé

O êxito

O êxito

Narciso era um belo rapaz. A sua mãe, desejando saber se viveria muitos anos, consultou o cego Teresias.

«– Terá uma longa vida – respondeu o adivinho – sempre que não olhe demasiado para si mesmo».

Ninguém entendeu naquele momento as palavras do sábio. A enigmática resposta caiu no mais completo dos esquecimentos.

Filosofia, uma dentada de cada vez (66)

As boas intenções são suficientes para fazer uma boa acção?

As boas intenções são suficientes para fazer uma boa acção?

Já estudámos as normas objectivas (a lei moral) e subjectivas (a consciência) da moralidade. A próxima pergunta é: quais os aspectos da acção (“acção” pode significar “pensamentos”, “desejos”, “atitudes”) que deverá a consciência examinar para determinar se uma acção é boa ou má? Se uma pessoa pensa “bem”, se a sua intenção ou motivação (em Latim, finis operantis) é boa, será suficiente para classificar uma acção como “boa”? Algo mais ou menos como isto: se alguém tirar o meu dinheiro, sem me pedir, mesmo que a sua intenção seja a de ajudar alguém necessitado, consideraríamos essa acção como boa? Talvez não. São Bernardo de Clairvaux (1090-1153) disse: “L’enfer est plein de bonnes volontés ou désirs” (“O inferno está cheio de boas intenções ou desejos”). Então, se as boas intenções não são suficientes, que outros elementos de uma acção deverão ser tidos em conta?

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LXVIII

A Questão Social – II

A Questão Social – II

O século XVIII viu surgir e consolidar-se um ambiente de secularização, de anticlericalismo e de acentuada descristianização, principalmente nos sectores intelectuais, mas alastrando-se depois às massas populares, à sociedade em geral. A credibilidade das igrejas cristãs foi sendo enfraquecida, por vários filósofos e pensadores, depois por boa parte da sociedade. Eram-lhes apontadas contradições, reais ou aparentes, além da influência negativa que exerciam sobre as populações. À Igreja era apontado ainda o travão que impunha ao progresso e à modernização da sociedade, sendo acusada de tradicionalista, conservadora.

Família e Fé

Os defeitos dos outros

Os defeitos dos outros

Era já de provecta idade. Considerava-se, com toda a humildade, um verdadeiro especialista em obras de arte.

Um dia, foi visitar um museu com um grupo de amigos. Logo no início da visita, começou a manifestar as suas contundentes opiniões. Inadvertidamente, tinha-se esquecido dos óculos em casa. Mesmo assim, não se coibiu de satirizar as diferentes pinturas com a sua veemência característica.

Bartolomeu I recebido por Francisco no Vaticano

Patriarca de Constantinopla quer «agenda cristã comum»

Patriarca de Constantinopla quer «agenda cristã comum»

O Patriarca Ecuménico de Constantinopla defendeu, no passado sábado, uma agenda cristã comum perante os desafios que o mundo enfrenta.

A posição foi assumida durante a conferência internacional que juntou cerca de quinhentos participantes da Fundação Centesimus Annus – pro Pontifice, que reflectiu sobre “novas políticas e formas de vida na era digital”.