Jornal O Clarim

Semanário Católico de Macau

Sorria para a vida e a vida sorrirá para si
Centrais Todas as Categorias

Reflexão

Sorria para a vida e a vida sorrirá para si

Um rosto triste transmite lembranças dolorosas, cerra sorrisos, desencadeia inquietação, medo e mal-estar. Muitos fracassos humanos têm origem em atitudes duras, rostos carrancudos, expressões de amargura, de mágoa, de falta de disponibilidade, de acolhimento e de generosidade.

Pelo contrário um sorriso irradia como sol, quebra o gelo, descomprime tensões, atrai e cativa, derrama e contagia o bom odor da simpatia. Dizem que os homens sorriem porque são felizes e fiéis à estrela do seu destino, ao roteiro por ela desenhado que lhe aponta o caminho a seguir.

Se a virtude atrai a virtude, a tristeza chama a tristeza, o mal desencadeia o mal, um sorriso é altamente contagioso, são pérolas nos lábios que saltam para outras bocas, outros corações.

A alegria e a tristeza são dois pólos opostos, esta é aliada do inimigo, perturba o nosso caminhar, blinda-nos o horizonte, tira-nos as forças e o ânimo, prejudica a saúde da alma, do corpo e da sociedade. Ao invés, uma atitude serena, alegre, optimista, positiva e construtiva, impele-nos a uma força interior de acção confiante, empreendedora e feliz que se projecta num longo e edificante sorriso. Este estado de espírito reflecte-se no nosso rosto, incentiva a nossa energia, estimula-nos e predispõe-nos a criar condições favoráveis ao bom resultado das nossas iniciativas, das nossas expectativas e da concretização dos nossos projectos.

Sabemos que as dificuldades fazem parte do quotidiano, mas são os obstáculos que nos ajudam a crescer e as contendas e as guerras nunca têm a última palavra. O tempo ensina-nos que tudo o que então nos preocupava cabe dentro de um sorriso. Os defeitos dos outros e os nossos não desaparecem sozinhos, mas acompanhados dum confiante sorriso, atenuam-se e minimizam-se.

Diz um provérbio oriental que mais vale acender uma luz do que maldizer a escuridão. Sabendo como o riso é difuso eu acrescentaria que mais vale desafiar a vida sorrindo do que pacificamente deixar-se envolver pelas nuvens cinzentas que teimam em pairar sobre o horizonte da nossa vida.

Mas, o verdadeiro sorriso tem de ser genuíno, o reflexo duma alegria e felicidade conquistada a par e passo, o resultado mais transparente dum espírito sereno, feliz e confiante, pois o mal e o bem ao rosto vem.

Pequenos risos e sorrisos naturais são detalhes que enfeitam a tapeçaria da vida humana, são pormenores que tornam a convivência mais serena, alegre, confiante, luminosa e bela, podendo ser considerados como o termómetro da nossa felicidade.

SUSANA MEXIA 

Professora

LEAVE A RESPONSE

Your email address will not be published. Required fields are marked *