36 Anos das Aparições em Medjugorje, na Bósnia-Herzegovina – onde o céu toca a terra

36 ANOS DAS APARIÇÕES EM MEDJUGORJE, NA BÓSNIA-HERZEGOVINA

«Vim para dizer ao mundo que Deus existe» (16 de Junho de 1983).

Sem voo directo, via Hong Kong, há poucas opções para aterrar na Bósnia-Herzegovina, com destino a Medjugorje, sendo o aeroporto de Sarajevo (Bósnia-Herzegovina) ou Split (Croácia) dois dos destinos mais comuns. Depois da chegada ao aeroporto, ainda restam mais de duas horas de viagem de carro ou autocarro, acompanhados de uma bela paisagem montanhosa e rio de longa extensão, até chegar a Medjugorje, uma aldeia que pela paisagem lembra, a alguns, Jerusalém.

Na sua passagem por Medjugorje, no passado mês de Março, o arcebispo de Varsóvia-Praga, D. Henryk Hoser, enviado especial da Santa Sé, dirigiu-se aos fiéis reunidos na igreja paroquial de São Tiago com estas palavras: «Encontramo-nos num lugar no qual se reúne uma multidão de peregrinos. Pedimos, todos juntos, a intercessão da Mãe de Deus, a fim de que abra os nossos corações e também as nossas mentes para a Graça Divina, ao ensinamento da Igreja e à Palavra de Deus. O Espírito Santo é a nossa vida e Ele é também a alma da Igreja. Procuremos a verdade de Deus em nós mesmos e também a verdade de Deus sobre o homem. Este lugar de oração é agora conhecido no mundo inteiro. O Santo Padre está muito interessado no desenvolvimento da piedade popular que se desenvolve aqui. Isto faz também parte da minha missão: avaliar a pastoral deste lugar e propor directrizes que se devem realizar no futuro. Venho de um país que tem muita devoção à Mãe de Deus. Maria é a Rainha da Polónia. Aconselho a todos vós a fazer de Maria a Rainha das vossas vidas. Pelo momento bastam estas palavras». Depois o monsenhor Hoser invocou sobre todos os presentes a Bênção de Deus. Com a sua passagem por Medjugorje nasceu uma esperança ansiada por muitos que o Santuário de Medjugorje seja aprovado.

Os videntes resumem as mensagens destes 36 anos em cinco importantes práticas: rezar o terço (rosário), santa missa, jejum (pão e água), leitura da sagrada escritura e confissão mensal. Na verdade, toda a população é católica praticante e os Sacramentos da Igreja são vividos com amor e devoção. Medjugorje é tido como o maior confessionário do mundo, a oração está presente em todas as famílias com o terço nas mãos, e às quartas e sextas-feiras o jejum não é esquecido.

O enviado do Vaticano, antes do seu regresso, falava aos jornalistas: «Sem dúvida, aguardam saber sobre as minhas impressões, as minhas conclusões. A primeira coisa que desejo enfatizar é o facto essencial de que, no passado, Medjugorje não era conhecida no mundo. Era uma pequena localidade perdida em alguma parte das montanhas, como o próprio nome – Medjugorje – indica. Agora Medjugorje é conhecida no mundo inteiro, e chegam peregrinos provenientes de oitenta países. Do ponto de vista da importância deste lugar de peregrinação, pode ser comparado a outros lugares. Por exemplo, se a Medjugorje chegam dois milhões e meio de peregrinos por ano, a Lourdes vão seis milhões, mas Lourdes existe há mais de 150 anos. Medjugorje tem somente 36 anos de idade. É tempo de fazer o primeiro balanço, uma primeira validação, que é muito importante para o desenvolvimento do futuro deste lugar. Então, por que tanta gente vem aqui? (…)

Em Medjugorje eles encontram tempo sagrado e também espaço sagrado. “Sagrado” significa reservado de modo particular à Divindade.

Comummente se diz que Medjugorje é um local de culto mariano, e é verdade. Mas se olharmos em profundidade, vemos que em Medjugorje o culto é essencialmente cristocêntrico, porque tem no seu centro a celebração da Eucaristia, a transmissão da Palavra de Deus e a Adoração do Santíssimo Sacramento, durante a qual se descobre que esta é a presença real de Jesus Cristo, na sua Divindade e Humanidade. Alguns descobrem a oração do Rosário, que no fundo é uma oração de meditação nos mistérios de nossa fé. No final, rezando a Via Sacra, eles entram no mistério Pascal, seja no mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. Termino este panorama com ênfase marcante no Sacramento do Perdão, na Confissão pessoal e personalizada.

Do ponto de vista religioso, Medjugorje é uma terra muito fértil. Nestes anos foram contabilizadas 610 vocações religiosas e sacerdotais com inspiração Medjugoriana. (…) Tendo presente a actual crise de vocações, sobretudo em países da antiga cristandade, como a Europa Ocidental, este facto parece-nos algo de novo e às vezes perturbador.

Considerando o número de comunhões distribuídas – porque é a única possibilidade de contar os peregrinos, naturalmente com uma certa margem de erro – podemos dizer que desde 1986 até 2016 foram distribuídas 37 milhões de comunhões. O número de peregrinos é com certeza muito maior, porque nem todos receberam a Comunhão».

Olhando o Evangelho e as palavras de Jesus, acreditamos que Medjugorje é uma boa “árvore” por tantos bons frutos que tem dado. Jesus disse: «Toda a árvore boa dá bons frutos e toda a árvore má dá maus frutos… (Mt, 7:17-18)».

Milhares de pessoas oriundas de inúmeros países, com destaque para a Croácia, Áustria, Itália, Alemanha, Polónia e Estados Unidos, estiveram presentes no Santuário de Medjugorje para celebrarem os 36 anos das aparições e presença de Nossa Senhora Rainha da Paz em Medjugorje e no mundo.

Expressamos o sentimento vivido e publicamos algumas palavras da homilia da Santa Missa vespertina do dia 25 de Junho de 2017, presidida pelo padre Damir Pavić, na paróquia de São Tiago em Medjugorje: «Somos felizes queridos irmãos e irmãs porque temos Maria aqui, Maria que é a consolação para o tempo de hoje. É consolador no tempo de hoje, quando vemos tanto mal, quando parece que o bem se escondeu, que se tenha retirado para outro lugar, num qualquer esconderijo, ter Maria e escutar as Suas palavras: ‘O Meu Coração Triunfará, não temam nada’, por isso não alimentemos o diabo com o nosso medo mas sejamos felizes!».

 

APARIÇÃO A MIRJANA SOLDO A 2 DE JULHO DE 2017

As comemorações dos 36 anos das aparições no passado dia 25 de Junho e a recente visita do arcebispo de Varsóvia-Praga, D. Henryk Hoser, levaram O CLARIM a Medjugorje, para sentir este milagre vivo numa vila onde a fé e a sua vivência irradia em todo o lugar, e chega a todos os cantos do planeta.

Mirjana Soldo, uma das videntes, para além da aparição anual a 18 de Março, é testemunho vivo da aparição mensal que decorre no dia dois de cada mês, onde Nossa Senhora reza com ela por todos aqueles que não têm fé e não conhecem ainda o amor de Deus. Mirjana partilha a aparição com um mar de gente proveniente de todos os cantos do mundo, que ali vivenciam o momento único da presença real de Nossa Senhora. São vários os testemunhos de fé, de curas físicas e espirituais, e ainda de transformações interiores. Muitas pessoas, que querem estar próximo de Mirjana durante a aparição, vão de noite para a montanha e por ali pernoitam, num lugar privilegiado, quase sem dormir, permanecendo em oração.

Com uma permissão “especial” tivemos a oportunidade de estar perto de Mirjana, junto da cruz azul, onde sempre ocorre a aparição. Por volta das seis horas da manhã encontravam-se já muitas pessoas no local e à medida que os fiéis esperavam pela vidente cantavam músicas e rezavam o terço em várias línguas com os sacerdotes presentes. Rezou-se em Croata, Italiano, Espanhol, Português, Polaco, Francês, Japonês, Coreano e Inglês.

Quando Mirjana apareceu já passavam das oito horas da manhã. Ajoelhou-se em frente da cruz e iniciou a sua oração, enquanto aguardava Nossa Senhora. Quando se deu a aparição, a vidente revelou uma emoção forte, com a alegria a espelhar-se no rosto. Todos se aperceberam do sucedido, tendo de imediato reinado o silêncio.

Passado pouco tempo da vidente estar a dialogar com Nossa Senhora, uma mulher italiana começou a gritar palavras obscenas e a pedir que Nossa Senhora se fosse embora, contorcendo-se no chão. Com a ajuda de algumas pessoas, um sacerdote rezou junto da peregrina, acabando esta por serenar. As pessoas de Medjugorje dizem que este tipo de possessões demoníacas acontecem com alguma regularidade na presença de Nossa Senhora e na adoração do Santíssimo Sacramento no santuário.

Estar presente na aparição, sentir e presenciar o que ali se passa é uma experiência única. Se alguém sentir o chamamento, deve ir a Medjugorje sem hesitar, pois realmente o céu toca a terra. No final da aparição, acompanhámos Mirjana a casa com dificuldade – dado o aglomerado de gente – sempre muito protegida pelos “seguranças” que ajudam a organizar a multidão, pois muitos querem felicitá-la, abraçá-la e tocá-la.

Sempre com um sorriso nos lábios, embora sofrida – diz custar-lhe muito «ter estado no céu com Nossa Senhora e ter voltado à terra» – vai confortando muitas pessoas que lhe agradecem e a quem ela diz humildemente: «não me agradeçam a mim, agradeçam a Nossa Senhora». O vídeo e a mensagem da aparição estão disponíveis na Internet: www.medjugorjebrasil.com.br, www.reinadelapaz.tv e www.marytv.tv

Uma vez em Medjugorje, acreditamos que ninguém vai por si, mas pelas mãos da Santa Mãe. Não nos leva só por nós, mas para que sejamos testemunho da sua real presença e mensageiros das suas palavras para todos os seus filhos espalhados pelo mundo, que tanto ama, como é prova uma mensagem que nos transmitiu um dia: «Se soubessem o quanto vos amo, chorariam de alegria!».

Medjugorje é o “Evangelho vivo”, lugar de vivência da fé, de milagres, de conversão, de manifestações diabólicas, exorcismos, curas e libertações. No fundo, uma ressurreição para a vida eterna para quem se entrega nos braços da Mãe Celeste que nos leva ao Filho, a Nosso Senhor Jesus Cristo.

Miguel Augusto

EM MEDJUGORJE (BÓSNIA-HERZEGOVINA)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *