Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo

Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo

Festa na Sé

No Domingo passado, na paróquia de Nossa Senhora do Carmo, na Taipa, e na Sé Catedral, em Macau, a Igreja rejubilou com mais um momento festivo: a Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, na qual grupos de crianças receberam Jesus pela primeira vez, no seu coração, outro grupo professou a sua Fé e outro recebeu o sacramento do Baptismo e da Confirmação (Crisma), diante da assembleia de cristãos que se associaram à sua alegria e emoção.

Na Eucaristia, os cânticos e a envolvência das crianças e de seus pais foi e é muito importante. São gestos que contribuem para o crescimento da nossa Fé, que se revela por sinais.

Momentos como estes ficam gravados na alma e no coração.

O coração dos que se tornaram filhos de Deus pelo Baptismo, dos que O receberam pela primeira vez, dos que professaram a sua Fé e dos que foram Confirmados tornou-se “sacrário”, onde Jesus nos espera sempre com infinita paciência, compreensão e bondade, sem nunca se aborrecer de nós.

Damos graças a Este Deus amoroso que, em Jesus, Se faz morada no coração dos seus filhos e encorajamos as famílias que querem ser testemunhas coerentes com a sua Fé, vivendo-a e aprofundando-a, mesmo neste mundo tão conturbado e cheio de solicitações para o mais fácil e cómodo.

 

Para os adultos em especial

O que é a Fracção do pão e a comunhão?

Um gesto tão antigo, espontâneo e simples, repetido quotidianamente em cada mesa e família, onde a vida se partilha. Este é o gesto que acompanha o crente: a capacidade de partilhar o pão, a vida, a palavra, que se tornam – por Cristo, com Cristo e em Cristo – pão da vida e vinho de salvação.

Talvez já estejamos habituados à rotina da Eucaristia, gaguejando um ámen mudo diante do mistério de amor, transformado num árido ritual e não num encontro vivificante e num abraço. Mesmo assim, na Eucaristia Deus alcança-me, assimila-me, comunga-me. É Deus que me faz entrar na Sua vida e me transforma. Por isso, “Senhor, eu não sou digno que entres debaixo do meu tecto, mas sussurra apenas uma palavra”… para que eu, pequeno grão de trigo que se transforma em Ti, possa multiplicar, no altar do mundo, a alegria do Evangelho!

 

A minha oração

Adoro-Te, Senhor, no sacramento em que Te confias à minha fragilidade e pobreza…

Quero ser terra disponível onde germine a tua presença e floresça em gestos de acolhimento e compreensão.

Quero aceitar a Tua Vida, viver de Ti, para me tornar um manancial de bondade fecunda…

Quero saborear o Teu pão para me tornar alimento de esperança e da alegria do Evangelho.

Irmã Maria Lúcia (FMNS)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *