Teologia, Uma Dentada de Cada Vez (15)

O que significa a Revelação Sobrenatural?

O que significa a Revelação Sobrenatural?

REVELAÇÃO NATURAL– Vimos como podemos reconhecer Deus usando o nosso raciocínio. Deus mostra-Se ou revela-Se por meio das coisas que Ele criou, assim como um pintor comunica os seus sentimentos e sensações pelas suas obras. Daí o termo “revelação natural”. Apesar disso, não podemos conhecer muito mais do que um pouco devido às limitações do nosso conhecimento. É-nos possível saber que um pintor existe quando vemos as suas pinturas. Através do seu trabalho também nos é possível conhecer os seus interesses, ou inclinações, e ainda podemos saber muito mais se com ele pudermos conversar directamente. Isto é o que significa a revelação natural.

REVELAÇÃO SOBRENATURAL– O fenómeno da revelação sobrenatural é-nos explicado sucintamente na Carta aos Hebreus (1:1-4): «De muitas e variadas maneiras, Deus falou aos nossos pais ancestrais através dos profetas, mas nos últimos tempos falou pelo Seu Filho, ao qual designou herdeiro de todas as coisas, e pelas quais também Ele criou o Mundo».

A revelação sobrenatural é um locutio Dei (discurso ou comunicação de Deus) ao Homem. Esta é a maior afirmação que tanto os judeus como os cristãos podem proferir: “Deus falou-nos!” (ou falou connosco!). Como se pode ler na Carta aos Hebreus, Ele falou primeiro pelos profetas. Tanto os judeus como os cristãos aceitam que este facto é verdadeiro (ver TEOLOGIA, UMA DENTADA DE CADA VEZ, nº 4).

No entanto, a mesma Carta também nos diz que Deus falou-nos “através de um Filho,” o Senhor Jesus Cristo. Deus falou-nos em pessoa! (ou Deus falou-nos por Ele próprio). É nisto que os cristãos acreditam. É um grande privilégio. Mas também uma grande responsabilidade.

“Em nos dando o Seu Filho, a sua única e definitiva Palavra, Deus disse-nos tudo de uma vez, numa única palavra (comunicação), e nada mais teve para nos dizer” (São João da Cruz).

Já vimos antes (ver TEOLOGIA, UMA DENTADA DE CADA VEZ, nº 3) que a religião é um conjunto de (1) verdades (sobre Deus, o homem e o mundo), (2) preceitos (de como o homem se deve comportar perante Deus, com os outros homens e o mundo) e (3) ritos (como Deus abençoa o homem e como homem reza a Deus).

A Religião que Jesus fundou ultrapassa em muito outras religiões criadas por simples seres humanos (ordinários), pois (1) Jesus Cristo não apenas ensina a verdade – Ele é a verdade! Por Seu intermédio conhecemos a totalidade da verdade sobre Deus, o homem e o mundo. (2) Além disso, ao contrário dos outros professores de moral, não apenas nos mostra o caminho. Ele é o caminho! (3) Ao contrário dos outros sacerdotes (os sacerdotes do Antigo Testamento ou de outras religiões), não só nos dá a vida divina. Ele é a Vida, é a Bênção de Deus, pois é o Deus Verdadeiro! Para além disso, porque foi homem verdadeiro, pôde oferecer a Deus o sacrifício perfeito em favor do Homem.

A revelação sobrenatural é realmente necessária? Qual a sua utilidade? No que diz respeito a Deus, não tem qualquer necessidade de falar sobre Ele próprio. Deus subsiste perfeitamente n’Ele próprio e não necessita de nada nem de ninguém. Mas na sua grande misericórdia decidiu deixar que as Suas criaturas soubessem da Sua existência.

Se Deus não tivesse feito isto, o Homem apenas teria um vago e confuso conhecimento de Deus. O Papa Pio XII, na sua encíclica “Humani generis” – “A Raça Humana”, reitera a posição de São Tomás de Aquino (ver “Summa Theologiae”, parte I, pergunta 1, artigo 1) de que necessitamos da revelação sobrenatural para conhecermos não só as verdades sobrenaturais, mas também as verdades que a nossa mente possa descobrir por ela própria, “de forma a que mesmo na presente condição da raça humana elas possam ser facilmente conhecidas, com firme certeza e sem possibilidades de erro”.T

Pe. José Mario Mandía

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *