Stephen Morgan, Director da Faculdade de Estudos Religiosos da Universidade de São José

«Os leigos são os melhores missionários». O galês Stephen Morgan é o novo responsável pela Faculdade de Estudos Religiosos da Universidade de São José. Diácono permanente e até agora ecónomo da diocese Ler Mais

Dia do Professor das Escolas Católicas

Benções e homenagens no arranque do novo ano lectivo. Mais de duas mil pessoas – entre professores, dirigentes e auxiliares educativos – encheram na passada segunda-feira o Pavilhão Multidesportivo do Instituto Politécnico Ler Mais

Sé Catedral: Nova Comunidade de Língua Inglesa

Pastoral começa nas crianças. Recentemente, a comunidade de língua inglesa da igreja da Sé Catedral foi convidada a formar uma equipa, orientada sobretudo para o trabalho pastoral da Paróquia. A escolha para Ler Mais

Nova Portugalidade demarca-se de Artigo do Jornal I

Há valores que são imutáveis. Desde o seu aparecimento, há mais de três anos, o movimento Nova Portugalidade, uma (agora) associação que pugna pela divulgação e preservação do legado português disseminado pelos Ler Mais

Festival de Gastronomia de Macau em Portugal

Comida, folclore e matrimónio. Como já vai sendo tradição, o Grupo Folclórico Macau no Coração esteve em Portugal para acções de intercâmbio cultural e pesquisa etnográfica. De ano para ano tem aumentado Ler Mais

 

Extinção das Ordens Religiosas levou à calamidade no Ensino em Portugal

Pombal e aquele Verão de 1759

Pombal e aquele Verão de 1759

Férias! Rolo pela estrada a caminho de uma actividade com estudantes universitários. Que gosto, encontrar aquela juventude entusiástica! Sonho também com algumas excursões através do campo, atravessando rios e montes. A tabuleta da estrada que anuncia “Pombal” distrai-me. Evoco mentalmente aquele homem estranho, diferente de tudo o que alguma vez tivemos em Portugal. Como foi possível?

Começou como um fidalgo sem ocupação, até saltar para a embaixada de Londres aos quarenta anos, ser chamado para Secretário de Estado dos Negócios da Guerra e Estrangeiros aos 51 e começar, pouco depois, um mandato ininterrupto de Primeiro-Ministro, que durou 27 anos.

Reflexão

Não tenho tempo!

Não tenho tempo!

É a resposta ou exclamação que ouvimos com mais frequência nos nossos dias, vinda de jovens ou de adultos… Não tenho tempo… desculpa, mas não dá…

Face a esta constante e inevitável atitude, regra geral, segue-se um rol infindável de situações, afazeres ou eventuais obstáculos elegidos como culpáveis e responsabilizáveis da escassez de tempo para tudo e para todos.

Filosofia, uma dentada de cada vez (77)

As religiões causam guerras?

As religiões causam guerras?

Tenho um amigo que diariamente lê a Bíblia, mas que diz que não está interessado em juntar-se a nenhuma religião. Disse-me: «As religiões causam guerras».

O autor americano Sam Harris, no seu livro “The End of Faith” (O Fim da Fé ou A Finalidade da Fé?), afirma que a religião organizada é “a mais prolífica fonte de violência na nossa História”.

O Papa reza por elas na Intenção de Oração para o mês de Agosto

Políticas familiares adequadas

Políticas familiares adequadas

«As grandes escolhas económicas e políticas protejam as famílias como um tesouro da humanidade». É um verdadeiro apelo a uma «adequada política familiar» a intenção de oração do Papa Francisco contida na mensagem vídeo para o mês de Agosto, confiada à rede mundial de oração (www.thepopevideo.org).

«Falando das famílias – confidencia o Pontífice – muitas vezes vem à mente a imagem de um tesouro». Mas – reconhece – o «ritmo da vida actual, o stress, a pressão do trabalho e até a pouca atenção por parte das instituições podem pô-las em perigo».

Fórmula 1 – Época de 2018

Expectativas goradas, mudança de pilotos e uma compra

Expectativas goradas, mudança de pilotos e uma compra

A temporada de 2018 da Fórmula 1 arrancou, à semelhança dos últimos dez anos, com o Grande Prémio da Austrália, primeira prova de um calendário superlotado, composto por 21 corridas (Austrália, Bahrain, China, Azerbaijão, Espanha, Mónaco, Canadá, França, Áustria, Inglaterra, Alemanha, Hungria, Bélgica, Itália, Singapura, Rússia, Japão, Estados Unidos da América, México, Brasil e Abu Dhabi). O aumento do número de Grande Prémios deixou algumas equipas pouco satisfeitas e com problemas financeiros.

A Ferrari, com uma apresentação super elaborada e altamente mediática dos seus novos carros, enviou à concorrência directa (Mercedes e Red Bull) uma forte mensagem: “Estamos aqui para vencer!”.

Turismo

Vaticano alerta para efeitos negativos

Vaticano alerta para efeitos negativos

O Vaticano alertou para os “efeitos negativos” de um excesso de procura turística nos locais de destino, apelando à “sustentabilidade” do sector.

“Não se deve subestimar a sustentabilidade turística, já que nalguns destinos turísticos de maior renome e mais procurados se sentem os efeitos negativos de um fenómeno que se opõe a um turismo saudável e justo – o chamado ‘sobreturismo’”, refere o cardeal D. Peter Turkson, prefeito do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, na mensagem para o próximo Dia Mundial do Turismo (27 de Setembro).

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LXXVIII

O Anticlericalismo – I

O Anticlericalismo – I

Tantas vezes aqui se tem aludido a esta expressão. Sempre associada aos movimentos que se posicionaram contra a Igreja, ou contra os seus membros. Como, aliás, o tema sugere em parte. Mas será importante procurarmos esclarecer o que é afinal o anticlericalismo e como se manifestou na história recente da Igreja. Em termos gerais, podemos considerá-lo uma hostilidade contra o clero e as instituições eclesiais da parte de indivíduos, grupos ou mesmo de Estados. Nas épocas em que a Igreja assumiu posições de destaque nos campos político, social, económico e cultural, as tensões anticlericais sentiram-se mais. Como também nos tempos em que caiu em tentações de autoritarismo clerical (clericalismo) ou na exagerada ingerência na política e governação.

Bengala e o Reino do Dragão – 41

As tentativas de conversão

As tentativas de conversão

No decorrer da estada dos dois jesuítas na corte butanesa, Shabdrung ordenaria que três dos seus monges os acompanhassem em permanência. Dois deles eram muito jovens ainda. Um de doze anos, “muito ingénuo e de habilidade”, e outro de dezanove, “que tem particular aplicação em aprender o que se lhe ensina”. Cacela e Cabral, aproveitando a proximidade, foram-nos catequizando, ou como o primeiro diz, instruindo-os “nas cousas da nossa Santa Fé”. O autor da “Relação” refere ainda um quarto monge, “de 27 anos, mui principal e de muitos parentes” que durante todo o tempo acompanhava o monarca, “ajudando-o nas obras da sua curiosidade de pintura, escultura e marcenaria em que está sempre ocupado para ornato da imagem do seu pai”.

Conhecer as Leis de Macau

Afectação das contribuições (2)

Afectação das contribuições à respectiva aplicação do regime de previdência central não obrigatório (segunda parte)

A Lei n.º 7/2017 (Regime de previdência central não obrigatório) entrou em vigor em 1 de Janeiro do corrente ano. Na semana passada já fizemos nesta coluna uma apresentação sobre a afectação das contribuições à respectiva aplicação, tendo sido mencionados as entidades gestoras de fundos que participam no regime de previdência central não obrigatório, as diferenças entre o plano conjunto de previdência e o plano individual de previdência no que diz respeito à escolha dos fundos de pensões e da afectação das contribuições à respectiva aplicação, entre outros. Continuaremos hoje a apresentar outros aspectos relacionados com o mesmo regime.

Cartoon 17-08-18

Cartoon 17-08-18

Pontifícia Universidade da Santa Cruz inclui Macau e Hong Kong em programas de angariação de fundos e formação de jovens e adultos

Melhorar a Igreja, educando a Sociedade

Melhorar a Igreja, educando a Sociedade.

Angariar fundos para financiar cursos para jovens e adultos de baixa classe social é o objectivo de dois programas geridos pela Pontifícia Universidade da Santa Cruz, que agora tem Macau e Hong Kong como potenciais novos doadores. Uma pequena delegação da instituição de Ensino Superior, com sede em Roma, esteve na RAEM, e deixou bem vincada a intenção de começar a trabalhar de forma intensa nas duas Regiões Administrativas Especiais.

A Pontifícia Universidade da Santa Cruz (PUSC), em Roma, incluiu por decisão da Reitoria as Regiões Administrativas Especiais de Macau e Hong Kong em dois programas sob a sua égide e interligados entre si – o primeiro destinado à angariação de fundos e o segundo à formação de jovens e adultos de baixa classe social.

D. Arlindo Gomes Furtado, Cardeal de Cabo Verde, preside às Celebrações Marianas de 13 de Agosto

D. Arlindo Gomes Furtado

Migrantes e refugiados descem à Cova da Iria.

O cardeal D. Arlindo Gomes Furtado, bispo da diocese de Santiago, em Cabo Verde, vai presidir à “Peregrinação Internacional Aniversária” de 12 e 13 de Agosto, que assinala no Santuário de Fátima (Portugal) a quarta aparição da Virgem Maria aos pastorinhos.

A celebração inclui também a “Peregrinação do Migrante e do Refugiado”, que marca o arranque da “Semana Nacional das Migrações”, reunindo migrantes de várias partes do mundo na Cova da Iria.

Um mal ou um bem do Mundo, onde a abundância é cada vez mais desigual

Violam as criptomoedas o Catecismo da Igreja Católica?

Violam as criptomoedas o Catecismo da Igreja Católica?

Os defensores das criptomoedas apregoam um sem número de vantagens no seu uso, como por exemplo o lucro fácil. Há também quem as veja com grande reserva por fomentarem as actividades criminosas. São as criptomoedas um mal ou um bem do mundo, onde a abundância é cada vez mais desigual?

«Uma das vantagens do uso das moedas criptografadas reside na possibilidade de evitar gastos duplicados com terceiros. Na verdade, não existe uma autoridade central que controle os “bitcoins”: não há nenhum banco, organização ou empresa que administre os seus fluxos ou valor. Significa isto que não há comissões [a pagar], como há por exemplo com o uso de cartões de crédito.

Decadência e Queda da Comboios de Portugal

Suor e Carris

Suor e Carris.

O cenário tem vido a repetir-se ao longo das últimas décadas. Chega a canícula e qualquer viagem feita num comboio da CP é, por norma, um desconforto do princípio ao fim. Nunca o ar condicionado está no nível correcto. Aliás, é a própria CP a admitir essa grave falha ao decidir suspender a venda de bilhetes no longo curso, o serviço mais solicitado e o que mais receitas dá, nos dias 3 e 4 de Agosto, e isto porque “o sistema de ar condicionado nos comboios não funciona acima dos 42 graus”. Como é possível? Serve afinal para quê um ar condicionado? Se a esta perene falha juntarmos a degradação da via férrea – há troços na viagem Porto-Lisboa que proporcionam meias horas seguidas de irritantes solavancos capazes de abalar os estômagos mais blindados – e os constantes atrasos, estão reunidos os ingredientes para a desgraça.

Pio XII (D. Eugenio Pacelli)

PIO XII

O Papa que não conseguiram silenciar.

Em Maio de 1917, em plena Primeira Grande Guerra Mundial, Eugenio Pacelli foi nomeado núncio na Baviera, onde trabalhou em prol da paz e no auxílio às vítimas da guerra, tendo sido o único diplomata a permanecer em Munique durante o caos que se seguiu à queda da Monarquia e consequente proclamação da República Bávara.

Três anos mais tarde, ocupou a Nunciatura de Berlim, na República de Weimar, cargo que manteve até 1929. Depois de ser investido cardeal, foi designado Secretário de Estado da Santa Sé.