Category Archives: Eclesial

O misterioso homem do Sudário reconstruído em 3D

O MISTERIOSO HOMEM DO SUDÁRIO RECONSTRUÍDO EM 3D

Estaremos diante do corpo real de Jesus Cristo?

O fascínio pelo Santo Sudário despertou com uma imagem misteriosa, de um corpo desnudado no pano com as características de Jesus crucificado, que se deu a conhecer em 1898 após a revelação de um negativo – fotografia tirada ao Sudário pelo fotógrafo Secondo Pia. Mas a imagem ganha agora um novo clímax, com a exibição de uma escultura tridimensional da figura humana presente no Santo Sudário, no culminar do trabalho realizado por cientistas da Universidade de Pádua e do hospital local, onde a ciência acaba por alimentar a fé, num encontro de Deus feito Homem.

Não é a primeira vez que falamos do Santo Sudário de Turim, pano de linho que a Igreja Católica e os fiéis, cada vez mais, acreditam ter envolto o corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo no túmulo.

Bem-Aventurada Virgem, Mãe da Igreja

Igreja celebrou memória litúrgica de Maria

Igreja celebrou memória litúrgica de Maria

A Igreja Católica celebrou a 21 de Maio, pela primeira vez, a memória litúrgica da “Bem-aventurada Virgem, Mãe da Igreja”, que o Papa Francisco inscreveu no Calendário Romano Geral, a 3 de Março deste ano, para ser celebrada na segunda-feira depois do Pentecostes.

“Esta celebração ajudará a lembrar que a vida cristã, para crescer, deve ser ancorada no mistério da Cruz, na oblação de Cristo no convite eucarístico e na Virgem, Mãe do Redentor e dos redimidos”, lê-se no decreto, assinado pelo Prefeito do Dicastério, o cardeal D. Robert Sarah.

Filosofia, uma dentada de cada vez (65)

Quando é que somos obrigados a obedecer à nossa consciência?

Quando é que somos obrigados a obedecer à nossa consciência?

Já vimos como o Homem necessita de um “sistema de navegação” interno – a consciência – e como a ignorância pode afectá-lo.

Devemos obedecer sempre à nossa consciência? Se não, em que condições estamos obrigados a segui-la? Hoje iremos examinar os factores que devemos ter em conta para respondermos a estas perguntas.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LXVII

A Questão Social – I

A Questão Social – I

De repente, o mundo acelerou. A partir de finais do século XVIII, a começar pela Inglaterra. A economia substituiu a ideologia, a utopia, a liberdade e a fé. Devassou o mundo e sobrepôs-se a tudo. E a todos. A Igreja estava mergulhada numa luta contra os ataques que vinha sofrendo das ideologias liberais. Procurava adaptar-se, sem perder a essência e o essencial. Intentava uma modernização paulatina, uma aproximação à nova sociedade, embora com debates internos e vias que não desligavam da tradição a obstar esse progresso na Igreja em renovação. Mas, neste esforço titânico, uma nova frente abria-se no mundo ocidental, sem ninguém a defender os que ficaram fragilizados ou deserdados do progresso material e vítimas das mudanças brutais que se operavam.

Família e Fé

Saber medir as nossas palavras

Saber medir as nossas palavras

Estávamos os três a tomar uma cerveja. A esplanada, quase vazia. Depois de um dia extenuante de trabalho, logicamente, o cansaço fazia-se notar.

De repente, um deles fez ao outro uma pergunta indelicada, com uma certa ironia e até violência. Mais do que perguntar, parecia que estava a brincar com uma atitude que não entendia.

Filosofia, uma dentada de cada vez (64)

Será que o homem precisa de um sistema de navegação moral?

Será que o homem precisa de um sistema de navegação moral?

Já vimos que precisamos de normas morais e formais que advêm da lei moral (natural) e são necessárias pela nossa natureza. É uma lei que pode ser reconhecida pela razão e pode ser considerada como sendo razoável. Este código moral natural é confirmado e melhor esclarecido por uma lei revelada divinamente (a divina lei positiva), a qual, para além disso, convida o Homem a almejar um objectivo mais elevado, um objectivo que ultrapassa a sua natureza, um objectivo superior: a santidade.

A lei moral (a natural e a revelada) é ponto de referência objectivo para as acções morais.

Mensagem aos Budistas para a Festa do Vesakh/Hanamatsuri 2018

Cristãos e budistas: prevenir e combater juntos a corrupção

Cristãos e budistas: prevenir e combater juntos a corrupção

Queridos amigos budistas!

Da parte do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-Religioso, apresentamos-vos as nossas mais cordiais saudações e votos orantes por ocasião do Vesakh. Que esta festa proporcione alegria e paz a todos vós, às vossas famílias e comunidades em todo o mundo.

Este ano gostaríamos de reflectir convosco sobre a necessidade urgente de promover uma cultura livre da corrupção. Este fenómeno, que implica o abuso de posições de poder para um lucro pessoal, quer no sector público quer no privado, tornou-se um escândalo tão difundido no mundo de hoje que as Nações Unidas indicaram 9 de Dezembro como o Dia Internacional contra a Corrupção.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LXVI

O Despertar Religioso do Século XIX – II

O Despertar Religioso do Século XIX – II

A forma como a Igreja estava presente na sociedade era em boa medida anacrónica e desajustada em muitas situações ou contextos, como em muitas regiões da Europa. Era uma Igreja de outros tempos. Com outra mentalidade, desajustada, em colisão com as novas formas de política, sociedade, cultura. Era necessária uma atitude mais tolerante, aberta, que respeitasse mais a pluralidade de opiniões, as novas sensibilidades, o novo sentimento religioso que se desenhava nos novos tempos de industrialização, de pobreza, marginalização, êxodos rurais e migrações, desenraizamentos e novas estruturas sociais. As velhas paróquias rurais perdiam lastro para uma indefinição urbana crescente em termos de espiritualidade e novas exigências. A Igreja tinha que agarrar os novos tempos!

Vaticano

Papa condena «grave ataque» contra igrejas na Indonésia

Papa condena «grave ataque» contra igrejas na Indonésia

O Papa condenou o «grave ataque» contra três igrejas na Indonésia, que provocou pelo menos onze mortos, mostrando-se «particularmente próximo» do seu povo.

Francisco falava no Vaticano, após a recitação do Regina Coeli, lamentando o «grave ataque contra os locais do culto».

Família e Fé

Purificar a nossa memória

Purificar a nossa memória

Teve um enorme acidente de condução. O seu estado de saúde era gravíssimo. Os médicos diziam que o prognóstico era muito reservado. Durante vários dias, a sua vida esteve por um fio. Disse mais tarde:

«– Vi a morte cara a cara. Tive medo e tive pena. Quantas coisas ficavam por fazer!».

«– Se me deres mais um tempo de vida – pedi a Deus – prometo fazer muito bem a muita gente. E prometo também não perder tempo com coisas inúteis».

Filosofia, uma dentada de cada vez (63)

A Vida Humana: Há por aí um manual de instruções?

A Vida Humana: Há por aí um manual de instruções?

Todo o ser humano, no uso perfeito do seu juízo, é capaz de reconhecer a lei moral natural e as suas exigências. Além disso, para todos os que aceitaram a Fé Pregada por Jesus Cristo, ainda há uma fonte adicional de conhecimento e uma garantia de que aquilo em que acreditamos tratar-se de normas morais serem as normas morais correctas.

«Muitas vezes e de muitos modos, falou Deus aos nossos pais, nos tempos antigos, por meio dos profetas. Nestes dias, que são os últimos, Deus falou-nos por meio do Filho (Hebreus 1:1-2)».

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LXV

O Despertar Religioso do Século XIX – I

O Despertar Religioso do Século XIX – I

Entre revoluções e restauração, assim poderíamos qualificar os novos tempos. Em que o tempo começou a andar mais depressa e era preciso acompanhar. Ou perder o tempo. Falamos dos alvores do século XIX, da Revolução Industrial e das revoluções liberais, das independências americanas e da queda do Absolutismo. Tudo era diferente. E era mais rápido. As revoluções liberais, políticas, abalroaram indelevelmente os alicerces do Antigo Regime, ferindo-o de morte. O Absolutismo, ou autoridade absoluta, direito divino dos reis, privilégios de classes e a preponderância cultural, social da Igreja, todos estas marcas do Antigo Regime seriam gradualmente substituídas então por uma nova atitude, mais igualitária, baseada no sufrágio universal, em eleições directas, além da promoção de igualdade de classes.

Papa afirmou em vídeo-mensagem

«Escravatura não é coisa de outros tempos»

«Escravatura não é coisa de outros tempos»

O Papa Francisco alertou, na passada segunda-feira, para a persistência do fenómeno da escravatura, sob várias formas, e apelou a uma acção comum dos cristãos para travar o tráfico e a exploração de seres humanos.

«A escravatura não é coisa de outros tempos, é uma prática que tem profundas raízes e se manifesta ainda hoje de várias formas: tráfico de seres humanos, exploração do trabalho através de dívidas, exploração de crianças, exploração sexual e trabalho doméstico forçado são algumas das muitas formas. Cada uma delas é mais grave e desumana do que a outra», advertiu, numa vídeo-mensagem divulgada pelo Vaticano.

Família e Fé

Namoro e fé

Namoro e fé

Qual é o sinal de que um namoro se vive de um modo cristão?

Talvez existam muitos sinais. No entanto, há um que me parece de especial importância: que o amor mútuo ajude cada um deles a estar mais perto de Deus. Que o namoro alimente de verdade a sua fé, por ser vivido de acordo com ela.

Hoje em dia, confunde-se com muita facilidade “ter fé” com “viver de fé”.

Movimento Mundial de Trabalhadores Cristãos deixa alerta

Concentração de riqueza marginaliza os mais necessitados

Concentração de riqueza marginaliza os mais necessitados

O Movimento Mundial de Trabalhadores Cristãos (MMTC) alerta na sua mensagem para o 1.º de Maio contra a “concentração de riqueza” e pede que a classe trabalhadora tenha uma “vida digna”, com “terra, casa e trabalho”.

“Milhões de famílias de trabalhadores e trabalhadores, em diferentes continentes, vivem sob constantes ameaças por causa dos conflitos religiosos e políticos, forçados a abandonar as suas terras, dispersos, e a migrar para destinos incertos à procura de sobrevivência em terras nem sempre acolhedoras”, denuncia o movimento cristão.