Daily Archives: November 1, 2018

Igreja Católica é prova de vida da Humanidade

Estão os valores reféns dos extremistas?

Estão os valores reféns dos extremistas?

O assunto pode parecer fracturante no seio dos católicos, não porque os possa dividir, mas porque toca em matérias sensíveis, fazendo-os questionar o seu próprio posicionamento face à Igreja Católica e aos temas que estão na ordem do dia de todas as sociedades, independentemente do seu quadrante político e geográfico.

Não é de agora que a Igreja Católica é encarada como sendo tradicionalista, ortodoxa e, por vezes, reaccionária. Os últimos escritos sobre o Papa Pio XII são disso exemplo, pois permanecem vivas duas teorias opostas: a primeira acusa Eugenio Pacelli de ter colaborado com o Nazismo, a segunda defende que a acção do então Sumo Pontífice contribuiu para salvar do holocausto centenas de milhares de vidas.

Praia Grande recebe Bazar Solidário no fim-de-semana

Cáritas vai construir novo lar de idosos

Cáritas vai construir novo lar de idosos.

A Cáritas Macau tenciona adicionar um sexto centro de acolhimento para idosos aos cinco lares e centros de dia que já gere no território, disse a’O CLARIM o secretário-geral da organização, Paul Pun.

As novas valências deverão ser construídas num lote com 600 metros quadrados que foi recentemente doado por uma benemérita à organização. O terreno, revelou o responsável, é o primeiro registado em nome da Cáritas Macau desde 1951, ano em que a organização foi fundada.

Cooperação no Ensino Superior

COOPERAÇÃO NO ENSINO SUPERIOR

É necessário ir além das boas intenções, diz o padre Peter Stilwell.

O Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e da Tecnologia (FDCT) está disponível para estender aos países lusófonos os mecanismos de cooperação que já mantém com a Fundação para a Ciência e Tecnologia de Portugal, que incluem, entre outros aspectos, o financiamento conjunto de projectos de investigação e a co-organização de seminários de natureza académica.

A garantia foi dada no passado fim-de-semana por Paulo Cheang Kun Wai, membro do Conselho de Administração do FDCT, durante a 1a edição do Fórum dos Reitores das Instituições do Ensino Superior da China e dos Países da Língua Portuguesa, revelou a’O CLARIM o reitor da Universidade de São José (USJ), padre Peter Stillwell.

Entre o Deísmo, o Racionalismo e a Revitalidade da Igreja Católica

Crise da consciência europeia

Crise da consciência europeia.

Ao longo do século XVII foi-se dando uma mudança profunda em muitos espíritos, nomeadamente por influência de ideias anglo-saxónicas (o deísmo) e de ideias francesas (o racionalismo), as quais vieram a culminar no iluminismo anti-cristão do século XVIII.

A França, principal epicentro deste cataclismo, vertiginosamente adoptou as ideias defendidas por Voltaire, declarando uma guerra filosófica contra qualquer religião positiva, nomeadamente o Cristianismo, metamorfoseando os espíritos intelectuais da época e eivando-os duma forte virulência.

Portugal recebeu Missão Apostólica e Evangelizadora desde o seu berço

Fundado por Cristo, para Cristo

Fundado por Cristo, para Cristo.

Os portugueses, desde o berço da sua nação, são conhecidos, por lenda ou milagre, por terem sido chamados por Deus, de uma forma especial e abençoada, para se unirem a Cristo, numa missão apostólica e evangelizadora, e de expansão do Cristianismo. Os barcos que mais tarde se lançaram a descobrir o mundo foram instrumentos do Senhor, “sacrários” flutuantes do Evangelho que neles seguia, deixando as sementes cristãs em terras onde as suas naus chegavam. Nossa Senhora está também muito presente na História de Portugal. Presenteou-nos com uma aparição em Fátima, na Cova da Iria, confortando-nos: «Em Portugal se conservará sempre o dogma da Fé». É preciso voltarmos ao primeiro amor, ao primeiro chamamento, e cada um sentir-se impelido pela fé a ser luz de Cristo para o mundo.

Capa 01-11-18

Capa 01-11-18

Opinião

Uma mentira mil vezes repetida

Uma mentira mil vezes repetida

Um dos maiores paradoxos da idade que nos é contemporânea é o que encontra expoente na ascensão da era da desinformação. Nunca, como agora, os conteúdos e a informação foram tão facilmente acessíveis, mas o resultado da “overdose” de informação a que estamos sujeitos não é a lucidez alvitrada mas – e pelo contrário – um manancial de descrença e de cepticismo que tende a alienar as conquistas de uma era que se prefigurava, a priori, como uma época de abertura e de clareza.

A chegada à Casa Branca de Donald Trump colocou na ordem do dia a própria epistemologia do conceito de verdade.

Dos Fundos Europeus aos “Tops” Turísticos

O engodo fatal

O engodo fatal

Longe não chega o que de mão estendida permanece. Em época de mais uma tranche de fundos europeus, agita-se na comarca a costumeira súcia de patifes, babando-se desavergonhadamente na antevisão de vir a fazer uns desvios para proveito próprio. Ufanos, os autarcas inventam obras de encher o olho e preparam-se a todo o gás para mexer no que bem está e assim deveria permanecer. Mas não, faça-se obra. Quanto mais não seja para justificar a bendita verba. Deixo aqui o exemplo da minha aldeia natal, Caldas de São Jorge, onde o poder local se prepara para descaracterizar todo o espaço circundante às Termas, ou seja, o âmago da sua alma. Os muros de granito ancestrais que separam a estrada do rio Uíma e que em todo o redor do parque de frondosos plátanos se apresenta irão ser demolidos para tornar o espaço “mais homogéneo”.

Comemoração de Todos os Fiéis Defuntos (2 de Novembro)

Pensar positivo é um acto de Fé

Pensar positivo é um acto de Fé

Com o decorrer dos dias fui-me apercebendo de que para algumas pessoas o mês de Novembro é muito triste. É óbvio que quando nos recordamos mais dos nossos entes queridos, amigos e conhecidos que já partiram, isso aviva a nossa saudade da sua amorosa presença, o que é um sinal muito humano de sensibilidade e de pura amizade.

Todavia, é bom não esquecer que a Igreja, neste mês, multiplica os sufrágios pelas almas do Purgatório e convida-nos a meditar sobre o sentido da vida à luz do nosso último fim: a vida eterna, para a qual nos dirigimos a passos rápidos.

Diferenças Culturais entre Mundos Distintos

Quando a tradição é o que sempre foi

Quando a tradição é o que sempre foi

Recentemente encontrámo-nos com um casal amigo, que por acaso até é nosso cliente, e a conversa encaminhou-se para o Oriente. Macau, claro está, veio à baila! A mãe da senhora nasceu no antigo território português, tendo ela vivido alguns anos da sua infância em Macau, apesar de ter nascido em Portugal.

É um casal “bem viajado”, com alguma afinidade à cultura asiática, mas por incrível que pareça continua com a mente bem centrada em Portugal, pouco receptivo a experiências diferentes, à excepção da comida!

“Avé Maria”, pela pena do Papa Francisco

Contra as manobras de Satanás

Contra as manobras de Satanás

No mês de Outubro, tradicionalmente dedicado a Nossa Senhora, o Papa publicou um livro sobre a Mãe de Deus, sob a forma de uma entrevista concedida a Marco Pozza (editado em Italiano pela Rizzoli e pela Libreria Editrice Vaticana). A gravação da entrevista foi transmitida no dia 16 de Outubro pela cadeia de televisão Tv2000. Nesta conversa, o Papa traça o perfil biográfico de Nossa Senhora e ensina a rezar-lhe, especialmente a “Avé Maria”.

Um traço fundamental da santidade de Maria é ser a santidade do dia-a-dia, das pequenas coisas correntes, como é a vida da generalidade dos homens e mulheres.

Teologia, uma dentada de cada vez (6)

Mateus foi o autor de Mateus?

Mateus foi o autor de Mateus?

Os manuscritos das Sagradas Escrituras (“evidência interna”) e as obras que a eles se referem (“evidência externa”) fornecem-nos garantias de que a Bíblia dos nossos dias não é uma falsificação feita na Idade Média. Podemos, no entanto, desejar conhecer mais sobre os seus autores. Estamos especialmente interessados nos quatro Evangelhos, porque nos descrevem a vida de Jesus.

Deixem-nos ver em primeiro lugar a “evidência externa” que aponta para os autores.

A Secreta Transmissão da Fé

Os “Cristãos Escondidos” no Japão – II

Os “Cristãos Escondidos” no Japão – II

Mas… que cristãos? Com esta pergunta ficámos a reflectir na semana passada. Uma questão cuja resposta ilustra o título destes artigos. As comunidades de “Cristãos Escondidos” começaram a formar-se a partir de meados do século XVII, pouco depois da proibição de entrada de missionários católicos e a saída de japoneses. Mas nem tudo seria em estricta conformidade com os preceitos e tradições da Igreja Católica, muitas coisas em parte mudaram. Para começar, não mais existiam sacerdotes…

A formação e consolidação destas comunidades começou, de facto, sem sacerdotes que as dirigissem espiritualmente e as ligassem ao exterior e à actualização doutrinal e sacramental. Sem presbíteros, a organização era diferente. Se se puder falar de “organização”, claro…

Bengala e o Reino do Dragão – 50

O renegado Martim de Melo

O renegado Martim de Melo

Todos os habitantes de Hugli eram tidos como vassalos do Grão Mogol e a ele pagavam direitos alfandegários que deixavam satisfeitos o governador da província recentemente conquistada. A alguns dos comerciantes, “os mais importantes da terra”, concedera em tempos Acbar, e depois Jahangir, uma série de privilégios e isenções, o que garantia prosperidade ao burgo e, sobretudo, a indispensável tranquilidade. Havia um pacto inerente, um pré-acordado “status quo”: aos senhores mogóis convinha-lhes a actividade comercial exercida pelos portugueses; a estes convinha-lhes manter-se de pedra e cal nesse local longe do controlo fiscal das autoridades de Goa e da opressiva moral dos metediços do Santo Ofício. Eram ciscos ferrugentos na oleada engrenagem o malfadado comércio de escravos e a venda de armas aos corsários do Golfo de Bengala…

Ecologia

Bispos dos cinco continentes em defesa do Ambiente

Bispos dos cinco continentes em defesa do Ambiente

Presidentes de seis confederações continentais das Conferências Episcopais católicas assinaram em Roma um documento conjunto, em defesa de acções políticas e da comunidade internacional contra os efeitos das alterações climáticas.

D. Gabriel Mbilingi, arcebispo do Lubango (Angola) e presidente do Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagáscar (SECAM), um dos signatários, explicou à Agência ECCLESIA que o objectivo do documento é dar um «contributo» ao debate em curso, apelando ao «cuidado da terra, ao cuidado das pessoas e da sociedade».