Daily Archives: March 2, 2018

Fiéis de Hong Kong, Estados Unidos e Reino Unido escreveram carta aberta aos Bispos de todo o Mundo

Só a “Pedro” o direito de governar a Igreja

Só a “Pedro” o direito de governar a Igreja.

Um grupo de quinze católicos composto por professores universitários, docentes, investigadores, activistas de Direitos Humanos e advogados de Hong Kong, dos Estados Unidos e do Reino Unido refere, numa carta aberta dirigida às conferências episcopais de todo o mundo, que está “profundamente chocado e desapontado” com as notícias sobre o possível acordo entre a Santa Sé e a República Popular da China para a nomeação de bispos, bem como para o reconhecimento de sete “bispos” ilegítimos.

“De acordo com os ensinamentos da Igreja, os bispos são os sucessores dos apóstolos, com deveres de liderar e cuidar do rebanho. […]

“24 Horas para o Senhor” na Sé Catedral

“24 HORAS PARA O SENHOR” NA SÉ CATEDRAL

Cumprir o desejo de Francisco.

A diocese de Macau celebra, nos dias 9 e 10 de Março, as “24 Horas para o Senhor”, cumprindo assim o pedido do Papa Francisco para que as igrejas das Dioceses de todo o mundo deixem as suas portas abertas ininterruptamente, oferecendo aos fiéis a possibilidade de acesso à confissão e à adoração eucarística.

A iniciativa, organizada pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização (dicastério da Cúria Romana), tem como objectivo voltar a colocar o Sacramento da Reconciliação no centro da actividade pastoral da Igreja. Em Macau realiza-se na Sé Catedral.

Segundas Jornadas do Cristianismo e Vida no Paço Episcopal

Compreender a identidade cristã, respeitar a ecologia

Compreender a identidade cristã, respeitar a ecologia.

A paróquia da Sé, com o apoio da diocese de Macau, está a levar a cabo as 2as Jornadas do Cristianismo e Vida, em língua portuguesa, que decorrem até amanhã no Paço Episcopal. Do programa consta uma caminhada ecológica com intervenções em Português e Inglês.

«O objectivo é entrar numa dinâmica de formação dos cristãos. Integra todo um programa pastoral da diocese de Macau, sendo dirigida a religiosos, clérigos e leigos», disse a’O CLARIM Isabel Varanda, professora associada da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, que está em Macau para ministrar as jornadas, desta vez subordinadas ao tema “O ‘Estilo’ Cristão de Habitar o Mundo”.

Língua Portuguesa na Ásia – I

O prestígio de outrora

O prestígio de outrora.

Ao longo de vários séculos foi o crioulo português de Batávia (actual Jacarta) simultaneamente língua franca e língua de prestígio utilizada por mestiços e indígenas como forma de afirmação social. Testemunha isso mesmo o registo deixado pelo corsário suíço Elie Ripon, que começou a sua aventura asiática em Java, em 1618, tendo regressado à Europa em finais de 1627. Entrementes, combateu em terra e no mar contra portugueses, espanhóis, ingleses, piratas e indígenas. Referindo-se a um ataque a Batávia, em 1619, profere: “Não víamos ninguém, apenas ouvíamos as vozes dos portugueses que gritavam ‘Jesus! Virgem Maria!’”.

Macaenses em Portugal festejaram o Ano Novo Lunar

Cunquates, prosperidade e boa saúde

Cunquates, prosperidade e boa saúde.

A entrada no ano do cão, como não poderia deixar de ser, foi convenientemente assinalada em Portugal pela comunidade macaense residente nas zonas centro e norte do País. As raízes chinesas que ligam estes portugueses ao território de Macau passam, certamente, pela celebração dos seus principais festivais. Assumidamente católicos, como é parte essencial do ser e sentir-se macaense, não deixam por isso de assinalar o seu lado cultural mais chinês.

O grupo de amigos Filo, Filo di Macau decidiu este ano prestar uma merecida homenagem ao grupo de pessoas que deram início a estes encontros, especialmente aos médicos Ricardo Conceição, Francisco Fong e Beatriz Vasco da Silva.

Capa 02-03-18

Capa 02-03-18

Nova estratégia terá de contemplar a Rússia e a China

A Europa entregue a si mesma

A Europa entregue a si mesma

Durante 70 anos, a Europa pôde contar com os Estados Unidos para a manter segura e para resolver muitos outros problemas que não queria ou não conseguia resolver. Esses dias parecem ter terminado com a chegada de Donald Trump. A nova realidade foi anunciada de forma clara pela Chanceler da Alemanha, Angela Merkel: «A Europa tem de tomar conta do seu próprio destino».

O Presidente dos Estados Unidos anuncia-a em público e de forma desabrida, mas a mudança começou bem antes de Donald Trump entrar na Casa Branca: os Estados Unidos já não querem, já não podem e já não conseguem dar a mesma prioridade à Europa que deram desde que entraram na II Guerra Mundial, em 1941.

António Conceição Júnior lançou obra com Reflexões sobre Macau

António Conceição Júnior

Quotidianos de mediocridade

O escritor e artista António Conceição Júnior lançou, na passada segunda-feira, o livro de crónicas “Quotidianos”, no qual o leitor é convidado a fazer uma incursão pelos pressupostos fundamentais da própria existência numa cidade onde impera a mediocridade, como é o caso de Macau.

«Vivemos um período que considero ser perfeitamente medíocre. A mediocridade tomou conta de Macau. E isto é algo que assumo frontalmente e não tenho problemas em dizer em qualquer lado.

Opinião

Uma boa notícia... para alguns

Uma boa notícia… para alguns

O anúncio da possível extensão dos mandatos presidenciais na China não caiu bem em vários sectores da vida pública de Macau. A consolidação de poder nunca é vista com bons olhos, ainda por cima num país como a República Popular da China que, embora não seja uma democracia, tem primado pelo rejuvenescimento das suas lideranças.

Ao que tudo indica, a filosofia do Partido Comunista Chinês terá mudado de rumo.

Aberto ao público na Travessa da Sé desde Janeiro

Silva Café

Silva Café emprega trabalhadores com deficiência auditiva

O Silva Café, aberto na Travessa da Sé desde o passado dia 21 de Janeiro, tem à disposição do público algumas especialidades típicas de Macau, sem esquecer aquele gostinho português. Trata-se de uma parceria entre o administrador do estabelecimento, o senhor Shota, e a Sé Catedral.

«Sempre quis abrir um café. Perguntei a vários amigos se isto seria possível e, por coincidência, a Sé Catedral queria libertar um espaço onde os fiéis se pudessem encontrar», contou o senhor Shota a’O CLARIM, sublinhando que entre outras especialidades vende bifanas e pastéis de nata à moda de Macau, bem como o exclusivo bolo de galinha portuguesa.

Fotolegenda

Almoço

“NO NEWS IS GOOD NEWS” 

Vong Hin Fai dixit! Directores e editores de Órgãos de Comunicação Social confraternizam com deputados da Assembleia Legislativa de Macau, no “Almoço oferecido aos representantes dos organismos de comunicação social”, realizado no passado dia 27 de Fevereiro, na Torre de Macau.

Opinião

Uma nova escalada

Uma nova escalada

Na viagem apostólica ao Chile e Peru, o Papa Francisco afirmou que «basta um incidente qualquer para activar o gatilho da guerra», confirmando ter receio de um conflito nuclear mundial.

Não é para menos. O SIPRI, Instituto Internacional de Investigação para a Paz que observa o comércio mundial de armas, afirma, num relatório publicado em 2017, que desde 2012 existiu um aumento de mais de oito por cento na despesa com o armamento a nível mundial.

Vaticano

“Deus é jovem”, o novo livro do Papa Francisco

“Deus é jovem”, o novo livro do Papa Francisco

O novo livro-entrevista do Papa Francisco, “Deus é jovem”, vai ser lançado a nível mundial no próximo dia 20 de Março.

Dois anos depois de “O nome de Deus é misericórdia”, publicado em mais de cem países, a publicação antecipa a próxima assembleia do Sínodo dos Bispos, que o Papa convocou para Outubro, no Vaticano, dedicada à realidade dos jovens na Igreja e na sociedade.

O Nosso Tempo

Se São Francisco fosse jornalista...

Se São Francisco fosse jornalista…

A Paz é a verdadeira notícia – tal é o mote da mensagem do Papa para o Dia Mundial das Comunicações Sociais de 2018.

E a “ oração” que se segue, adaptada da conhecida prece de São Francisco pela Paz, está incluída na mensagem do Pontífice, publicada no Vaticano a 26 de Janeiro último e que só muito recentemente li.

Filosofia, uma dentada de cada vez (53)

Porque é que eu sou eu?

Porque é que eu sou eu?

Porque é que eu sou eu? Ainda me lembro de fazer esta pergunta a mim mesmo quando era criança. Mal sabia que esta é uma pergunta filosófica, uma questão relacionada com a individualidade.

Pela parte material, a questão da individualidade é relativamente fácil de se responder. Deixem-nos assumir que temos duas pranchas de madeira, idênticas, à nossa frente. O que é que faz com que uma prancha seja diferente da outra? Obviamente que não é o facto de serem pranchas e de cada uma ter a mesma forma (ver FILOSOFIA, UMA DENTADA DE CADA VEZ, nº 28). A forma faz com que sejam semelhantes, em vez de diferentes e individuais.