Daily Archives: March 17, 2017

Augusto Nogueira, futuro Presidente da IFNGO, sobre a nova lei da droga em Macau

Augusto Nogueira

Não podemos esperar pelos juízes.

Augusto Nogueira, nomeado presidente da Federação das Organizações Não-Governamentais para a Prevenção de Droga e Abuso de Substâncias (IFNGO), quer dar maior visibilidade à entidade que vai passar a liderar a partir de Novembro, “abrindo-a” a outras ideologias para além da tolerância zero. A’O CLARIM, o presidente da Associação de Reabilitação de Toxicodependentes de Macau deixa reparos à revisão da legislação sobre a droga, defendendo que deve haver maior envolvimento de especialistas da Saúde na aplicação da lei local.

Seminário recebe imagem de Nossa Senhora

SEMINÁRIO RECEBE IMAGEM DE NOSSA SENHORA

Fátima em São José.

O Seminário de São José recebeu a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, no passado dia 11 de Março, que foi enviada pela igreja de Nossa Senhora do Carmo, na Taipa. Na cerimónia de recepção estiveram presentes D. Stephen Lee, bispo de Macau, vários sacerdotes e dezenas de fiéis.

A imagem foi transportada até ao interior da igreja por dois membros da Associação dos Antigos Alunos do Seminário de São José, Bernardo Jorge e António Leong. De seguida, foi celebrada missa com cânticos marianos e rezou-se o Terço.

Regina Alves

REGINA ALVES

Uma vida em Chaves.

Regina Alves é o nome pelo qual é conhecida em Macau. Nascida na família macaense Alves, de que também faz parte o advogado Leonel Alves, seu primo, desde os dezoito anos que vive em Portugal.

Foi em 1967 que chegou a Coimbra para estudar Serviço Social, curso que terminou mas que nunca chegou a exercer. O casamento com um médico, natural de Aveiro, trocou-lhe as voltas da vida, acabando por se fixar na cidade de Chaves, lá bem no Norte de Portugal, junto a Espanha, em 1981.

Cineteatro de Macau abre a instituições e escolas católicas

CINETEATRO DE MACAU ABRE A INSTITUIÇÕES E ESCOLAS CATÓLICAS

Um novo centro de cultura.

O Cineteatro de Macau, para além da projecção de filmes, vai tornar-se num centro cultural dirigido para instituições e escolas de matriz católica.

Nesse sentido, «a sala número dois, agora em obras de restauro, por forma a passar de sala de cinema para um salão multifuncional, irá estar à disposição de organizações e escolas, sensivelmente a partir do início de Abril, para a realização de diferentes actividades, entre palestras, seminários, fóruns cinematográficos, mini-concertos e pequenas peças teatrais, com intuitos evangelizadores e educacionais», disse a’O CLARIM Francisco Lio, director do Centro Diocesano dos Meios de Comunicação Social.

Museu virtual de Macau e outras vertentes do CCCM

MUSEU VIRTUAL DE MACAU E OUTRAS VERTENTES DO CCCM

A China ainda tão longe.

Inaugurado em Dezembro de 1999, o Centro Científico e Cultural de Macau (CCCM), na Rua da Junqueira, continua a ser pouco conhecido entre os portugueses, muito embora esteja situado numa zona nobre da capital, onde há várias dependências da Marinha, como sejam o Instituto Superior Naval de Guerra (que fica do outro lado da rua), o Museu da Marinha ou a Biblioteca Central da Marinha.

O CCCM resultou da iniciativa conjunta do Governo da república e da última Administração Portuguesa de Macau, tendo em vista “a preservação e incremento futuro do relacionamento derivado de uma presença portuguesa de quase cinco séculos” e é composto por um museu dedicado à História de Portugal, de Macau e da China dos séculos XVI e XVII, havendo uma secção que cobre a História da China, em termos de artefactos, durante um período de cerca de cinco mil anos, ou seja, do Neolítico até hoje.

Capa 17-03-17

Capa 17-03-17

Jessica Faleiro, Escritora Goesa

Jessica Faleiro

Igrejas de Macau reflectem vida em Goa

A escritora goesa Jessica Faleiro reconheceu na passada quarta-feira, perante uma plateia de jovens estudantes, que a tradição católica de Macau transporta-a para as suas vivências em Goa.

«Escrevi este livro, chamado “Afterlife”, com histórias de Goa. E até referi que Goa foi uma colónia portuguesa durante 450 anos e que se tornou independente de Portugal em 1961, passando a ser parte da Índia», disse, no auditório do Instituto de Formação Turística.

Feira Cultural Internacional da USJ

FEIRA CULTURAL INTERNACIONAL DA USJ

Multiculturalidade na diferença

A Associação de Estudantes da Universidade de São José realiza hoje, no pátio da instituição de Ensino Superior no NAPE, a “Feira Cultural Internacional 2017” com o intuito de dar a conhecer e de sensibilizar os intervenientes, e público em geral, para os diferentes traços da multiculturalidade em Macau.

Sofia Lei Lei, de 21 anos, está entusiasmada com o certame. «Penso que é “fixe”, porque podemos interagir com pessoas de outras culturas e conhecer melhor vários lugares diferentes. Por isso, é bom», disse a’O CLARIM a residente local, natural de Madrid (Espanha), que está a fazer a licenciatura em Estudos Governamentais na USJ.

Olhando em Redor

O primeiro sistema

O primeiro sistema

Em 2014, aquando da visita de uma delegação de jornalistas ocidentais às instalações da Associação de Jornalistas de Toda a China, com sede em Pequim, um deles perguntou a um alto responsável daquela entidade se havia no continente chinês censura de notícias.

A resposta que obteve por via da tradução foi, no mínimo, desconcertante: «Aqui não fazemos censura. O que há é gestão da informação». E foi assim que o grupo ficou a entender um pouco melhor a forma como se gere e lida com determinadas questões no primeiro sistema, como é o caso da tão propalada falta de liberdade de imprensa.

Santa Maria, Mãe de Deus – 2

Benedictus Fructus Ventris Tui!

Benedictus Fructus Ventris Tui!

Bendito é o fruto do vosso ventre!

A dignidade e o estatuto da Virgem Santa Maria deriva da sua condição de Mãe de Jesus Cristo, a segunda pessoa da Santíssima Trindade. O primeiro título de Maria oficialmente reconhecido pela Igreja através de um dogma foi o de “Theotókos”, ou Mãe de Deus, título que lhe foi atribuído pelo Concílio de Éfeso, em 431, em resultado da Controvérsia Cristológica que opôs Nestor, o então Patriarca de Constantinopla, e Cirilo, o Patriarca de Alexandria, e que determinou a separação entre diofisitas, por um lado, e monofisitas e miafisitas, por outro.

Carta aos Leitores

Campanha Quaresmal pelo Sudão do Sul

Campanha Quaresmal pelo Sudão do Sul

Cada ano, e através de “tempos especiais”, a Igreja recorda-nos que todos temos necessidade de renovação e conversão. A Quaresma é um destes tempos especiais que apela à conversão e à partilha como expressão visível da conversão interior… Na Mensagem Quaresmal deste ano, o Papa Francisco propõe que reflictamos na parábola do homem rico e do pobre Lázaro. E desafia-nos a que nos «deixemo-nos inspirar por esta página tão significativa, que nos dá a chave para compreender como agir para alcançarmos a verdadeira felicidade e a vida eterna».

Filosofia, uma dentada de cada vez (7)

Que são as Operações do Intelecto?

Que são as Operações do Intelecto?

As três formas pela qual obtemos conhecimento (através dos sentidos, pelo raciocínio e por testemunho) mostram-nos que não temos ideias inatas/congénitas.

Tudo o que sabemos, de alguma maneira, vem do exterior da nossa mente. Aristóteles, no seu ensaio “De anima” – “Sobre a Alma”, diz-nos que quando nascemos a mente é como uma folha de papel em branco – “tamquam tabula rasa” – como uma superfície limpa, na qual ainda ninguém escreveu nada.

O Nosso Tempo

O que lhes dirá Francisco?

O que lhes dirá Francisco?

Daqui a exactamente uma semana, no dia 24 de Março, o Santo Padre receberá no Vaticano os Chefes de Estado e de Governo da União Europeia, que se deslocarão a Roma para celebrarem o 60º aniversário do Tratado conhecido pelo nome da capital italiana, porque ali assinado, como carta fundadora das comunidades europeias.

Não creio que, em décadas mais recentes, tantos responsáveis políticos, ao mais alto nível, do Velho Continente, se tenham encontrado, ao mesmo tempo, com o líder da Igreja Católica.

Família e Fé

Saber dialogar

Saber dialogar

«Gostaria muito que as pessoas mais velhas soubessem pôr-se mais ao nosso nível. Aborreço-me profundamente ao ouvir os adultos falarem como se estivessem num pedestal. Parece que estão convencidos de ter sempre razão.

Muitas vezes, quando tentamos dialogar com eles só sabem responder: “Acabou-se a conversa. Faz o que eu te estou a dizer. Tu não percebes nada disto”.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – X

O perigo da desintegração da Igreja

O perigo da desintegração da Igreja

Muitas vezes as divisões nasceram de fervor de fé ou apego às tradições. Da querela chegou-se rapidamente à discussão e a rupturas. Eram necessários equilíbrios e pontes. Ninguém melhor que um “fazedor de pontes” – pontifex em Latim, ou pontífice… – para dirimir e ultrapassar questões e evitar que se transformassem em divisões. Já aqui falámos de São Gregório I Magno. Antes do Ano Mil, tempo de conturbação, impõe-se recordar de novo a sua acção em prol da unidade e da luta contra a desintegração, ou fracção, da Igreja, uma unidade plural e transnacional, multiétnica e plurilinguística, tendente muitas vezes à fragmentação. Unir era o imperativo e impunha-se, cada vez mais. Porque cada vez mais era também difícil.