Jarosław Duraj, Vice-Director do Instituto Ricci de Macau

Inter-religiosidade da Rota da Seda não pode ser esquecida. Vice-director do Instituto Ricci de Macau e professor de Ciência Política na Universidade de São José, Jarosław Duraj conhece como poucos o pensamento Ler Mais

Mangkhut

Tufão não poupou a Diocese. As igrejas da zona norte da cidade de Macau estão entre as instalações que sofreram inundações e prejuízos no passado fim-de-semana, durante a passagem do tufão Mangkhut Ler Mais

Conceito tem o alto patrocínio da Conferência dos Bispos Católicos de Inglaterra e País de Gales

A Arte de Bem Morrer. The Art of Dying Well (a Arte de Bem Morrer, ou a Arte de Morrer Bem, como o leitor preferir) é um conceito, princípio ou movimento social Ler Mais

Igreja celebrou ontem Santo André Kim Taegon e os seus companheiros, martirizados no século XIX

Catolicismo na Coreia floresceu com os mártires. A Igreja Católica celebrou ontem o Santo André Kim Taegon e seus companheiros (mais de uma centena de mártires) – leigos e sacerdotes do século Ler Mais

Papa dá exemplo do Apóstolo para falar do Sacramento da Confissão

A vergonha que salvou Pedro. Como se sabe, Francisco fala frequentemente do sacramento da Confissão mas, na homilia do passado dia 6 de Setembro, surpreendeu os fiéis ao explicar por que é Ler Mais

 

Jarosław Duraj, Vice-Director do Instituto Ricci de Macau

Jarosław Duraj

Inter-religiosidade da Rota da Seda não pode ser esquecida.

Vice-director do Instituto Ricci de Macau e professor de Ciência Política na Universidade de São José, Jarosław Duraj conhece como poucos o pensamento budista. Especialista em diálogo inter-religioso, o jesuíta passou algum tempo em mosteiros no Japão e em Taiwan, e descobriu uma tradição espiritual que tem por base uma percepção profunda da própria natureza do Homem. O conhecimento do outro, defende, é meio caminho andado para que o diálogo inter-cultural seja bem sucedido e a China só teria a ganhar em aplicar o princípio à iniciativa “Faixa e Rota”. A questão dá o mote a um simpósio organizado pelo Instituto Ricci nos dias 22 e 23 de Novembro.

Mangkhut

Tufão não poupou a Diocese

Tufão não poupou a Diocese.

As igrejas da zona norte da cidade de Macau estão entre as instalações que sofreram inundações e prejuízos no passado fim-de-semana, durante a passagem do tufão Mangkhut pelo território. A revelação é feita numa circular assinada pelo bispo D. Stephen Lee, que adianta ainda que a tempestade – a mais forte a fustigar este ano a bacia da Ásia-Pacífico – afectou algumas das instalações educativas subordinadas à Igreja.

A fúria do Mangkhut também não poupou Coloane, com a capela de São Francisco Xavier a não escapar incólume à subida das águas.

Conceito tem o alto patrocínio da Conferência dos Bispos Católicos de Inglaterra e País de Gales

artofdyingwell.org

A Arte de Bem Morrer.

The Art of Dying Well (a Arte de Bem Morrer, ou a Arte de Morrer Bem, como o leitor preferir) é um conceito, princípio ou movimento social promovido pela Conferência dos Bispos Católicos de Inglaterra e País de Gales.

Porque consideramos ser mais eficaz darmos um exemplo – ainda que fictício – do que procurarmos explicar ou dissecar este conceito, vamos até ao número 22 da Well Street em Londres.

Igreja celebrou ontem Santo André Kim Taegon e os seus companheiros, martirizados no século XIX

Catolicismo na Coreia floresceu com os mártires

Catolicismo na Coreia floresceu com os mártires.

A Igreja Católica celebrou ontem o Santo André Kim Taegon e seus companheiros (mais de uma centena de mártires) – leigos e sacerdotes do século XIX que abraçaram Cristo até ao último suspiro. A 6 de Maio de 1984, na praça Youido, em Seul, descia sobre eles a coroa celeste da santidade, aquando da sua canonização pelo Papa João Paulo II (a primeira cerimónia deste teor realizada fora do Vaticano), entre uma grande multidão de cristãos coreanos. A Igreja determinou o dia 20 de Setembro para a respectiva celebração anual litúrgica. Nesse âmbito, a paróquia de Santo António assinalou a data com a realização de uma missa na passada quinta-feira.

Papa dá exemplo do Apóstolo para falar do Sacramento da Confissão

A vergonha que salvou Pedro

A vergonha que salvou Pedro.

Como se sabe, Francisco fala frequentemente do sacramento da Confissão mas, na homilia do passado dia 6 de Setembro, surpreendeu os fiéis ao explicar por que é tão importante experimentar concretamente o «sentimento da vergonha» e a «surpresa de se sentir salvo».

O Evangelho da Missa narrava o episódio da primeira pesca milagrosa. Os barcos estavam em terra e os pescadores lavavam as redes. Jesus subiu para o barco de Pedro e pediu-lhe que se afastasse ligeiramente da margem, para falar à multidão. Quando acabou, disse-lhe que avançasse para o largo e lançasse as redes para a pesca. Tinham labutado toda a noite em vão… «mas, já que o dizes».

Capa 21-09-18

Capa 21-09-18

Entre a Tormenta e a Bonança

Um bem haja a todos depois da tempestade

Um bem haja a todos depois da tempestade

Quase uma semana passada desde a intempérie que afectou Macau, muito já foi feito, mas com certeza muito mais há ainda para fazer. Muito o Governo e os órgãos de decisão terão de realizar para continuar a preparar o território no que respeita a fenómenos meteorológicos severos, os quais – segundo confirmam os especialistas – se irão repetir mais frequentemente.

Comparativamente com a tragédia do ano passado (falo do infame Hato), o Mangkhut, apesar de muito mais forte, acabou por provocar menos estragos na sua trajectória.

Passeios por Havana – 3

A sínica costela de Fulgêncio

A sínica costela de Fulgêncio

Prossigo a minha caminhada ao longo de um El Malecon pouco movimentado e o próximo edifício a chamar-me a atenção (a surpreender-me, será mais correcto dizer) é um arranha-céus envidraçado de uma vintena de andares. Em primeiro plano, em jeito de saliência de fino pano, bem arvorado, avisto o celebérrimo estandarte das estrelas e das listras. Eis a embaixada norte-americana! E porque me surpreendo eu? Sim, é verdade. Por pouco esqueço o recente reatamento das relações diplomáticas entre os desavindos propínquos. O cenário serve na perfeição, até porque o enquadro no visor da máquina fotográfica juntando-lhe os automóveis descapotáveis que com regularidade passam na estrada.

Filosofia, uma dentada de cada vez (80)

E se a primeira causa fosse a Acção Pura?

E se a primeira causa fosse a Acção Pura?

Os cinco modos de São Tomás acabam como respectivamente se segue:

1– Primeiro modo: o que moveu o Imóvel e a Acção Pura.

2– Segundo modo: a Primeira Causa Eficiente.

3– Terceiro modo: o Ser Necessariamente Existente.

Família e Fé

Olhar para o Céu

Olhar para o Céu

Passeavam há uns minutos sem dizerem nada. As relações entre ambos estavam um pouco tensas. Ela não compreendia como é que alguém que tinha levado nas suas entranhas, que era carne da sua carne e sangue do seu sangue, vinha agora falar-lhe assim.

Era uma rebeldia própria da juventude e o entusiasmo acabaria por passar-lhe. Talvez aquelas ideias fossem somente um exacerbado sentimento religioso próprio da idade. Nada para preocupar-se em demasia.

Bengala e o Reino do Dragão – 44

O fruto sem semente

O fruto sem semente

Como já aqui dissemos, a tentativa de converter os butaneses saiu gorada e os padres João Cabral e Estêvão Cacela bem frustrados se devem ter sentido, pois o esforço foi muito. Só séculos depois, já em meados da centúria passada, voltaria um jesuíta a assumir papel de destaque no Reino do Dragão. Mas não era essa a intenção, quando William Mackey deixou o Canadá em 1946 destinado à missão de Darjeeling, capital da província indiana himalaica do Sikkim, onde a congregação tinha a seu cargo, e há já mais de um século, escolas, clínicas e igrejas. Originalmente, sob a batuta de padres belgas; logo após a Segunda Guerra Mundial, regidas por homólogos canadianos. O padre Mackey adaptar-se-ia de imediato à nova realidade.

Cismas, Reformas e Divisões na Igreja – LXXXI

A secularização – I

A secularização – I

A secularização é um processo histórico através do qual a religião perde a sua influência sobre os diversos sectores da sociedade. Essa erosão da sua influência manifesta-se ulteriormente na diminuição dos efectivos das religiões e na redução ou perda de regularidade das suas práticas, na quebra no prestígio das igrejas e organizações religiosas, o que se repercute na gradual desagregação da sua influência na sociedade, na vida cultural e científica, educativa, na degradação do património das instituições religiosas, e, por fim, na desvalorização das crenças e dos valores e formas de culto com elas relacionados. O século XIX marcou a porosidade da religião e das suas instituições e formas de expressão cultural e social, reduzindo-se a capacidade e o alcance da acção e influência das instituições religiosas tradicionais.

Bispos da Europa defendem Nova Cultura de Solidariedade

Superar o individualismo e os nacionalismos

Superar o individualismo e os nacionalismos

O presidente do Conselho das Conferências Episcopais Europeias (CCEE), cardeal D. Angelo Bagnasco, defendeu há dias uma nova cultura de solidariedade no continente, capaz de superar o individualismo e os nacionalismos.

«Apesar de uma cultura que nos leva a ser individualistas, separados uns dos outros, como pessoas, como grupos e como Estados. Apesar de tudo isto, mais, por causa de tudo isto, há necessidade de anunciar a esperança que é Jesus, o qual fez de nós um povo novo.

Conhecer as Leis de Macau

Processamento na cessação da relação de trabalho no âmbito do regime de previdência central não obrigatório (primeira parte)

Processamento na cessação da relação de trabalho no âmbito do regime de previdência central não obrigatório (primeira parte)

A Lei n.º 7/2017 (Regime de previdência central não obrigatório) entrou em vigor em 1 de Janeiro deste ano. Na semana passada, falámos nesta coluna sobre as disposições relativas ao levantamento de verbas do regime de previdência central não obrigatório. Hoje vamos apresentar como é o processamento deste regime na cessação da relação de trabalho.

De acordo com a lei, nos planos conjuntos de previdência, as contribuições são iniciadas no mês seguinte ao mês em que seja acordada por escrito a adesão do trabalhador ao respectivo plano e terminam no mês seguinte ao da cessação da relação de trabalho.

Cartoon 21-09-18

Cartoon 21-09-18